DEU NO JORNAL

Utilizando-se de números e estatísticas, o ministro Luís Roberto Barroso demoliu os argumentos repetidos inclusive por ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), contra prisão após condenação em segunda instância.

Mostrou que mentem os que afirmam haver aumentado a população carcerária após segunda instância: ao contrário, até diminuiu.

E apenas 0,035% dos réus condenados acabaram absolvidos, após condenação em segunda instância.

Dos mais de 25 mil recursos extraordinários apresentados em sete anos, apenas nove casos renderam absolvições dos réus.

Para o ministro Barroso, não há razoabilidade em “subordinar todo o sistema jurídico a esses números irrisórios”.

Para Barroso, não há mais dúvida sobre “autoria e materialidade” após o segundo grau e o cumprimento da pena é questão de “ordem pública”.

* * *

Ontem, quarta-feira, o Ministro Luíis Roberto Barroso deu uma aula de Direito, de cidadania, de dignidade, de hombridade e de vergonha na cara.

O Ministro Barroso é uma exceção que traz um pouco de alento e esperança à banda decente deste país.

É um alívio saber que neste covil de depravados, nesse puteiro (sem qualquer ofensa às putas..), nesse ajuntamento de delinquentes, nesse antro de soltadores de bandidos, nesse amontoado de canalhas chamado Supremo Tribunal Federal – presidido por um militante petista que foi reprovado duas vezes em concursos para juiz de primeira instância (Putz!!!) -, exista uma figura do porte de Luís Roberto Barroso.

Deixe uma resposta