COMENTÁRIOS SELECIONADOS

Comentário sobre a postagem ROUBAR E ROUBAR

Adônis Oliveira:

Moçada, Eu ensinei em faculdades particulares desde a década de 1980. Vão aí quase 40 anos.

O salário sempre foi uma merda. Muito longe dos salários pagos nas federais.

Graças a Deus, ensinar para mim era feito estar apaixonado por uma rapariga ruim: Dava um trabalho desgraçado, recebia muito pouco em troca, mas mesmo assim eu não largava.

Há algumas décadas, o prazer de ensinar era qualquer coisa de transcendental.

Ensinei principalmente em grupos de mestrado. Aliás, fui fundador dos primeiros cursos de pós-graduação na Politécnica de Pernambuco. Eram turmas estupendas! Eu aprendia mais do que ensinava. Colocava o tema para debate e deixava o papo correr solto.

Fazia apenas pequenas intervenções para correção de rumo, quando e se necessário. Eram momentos sublimes, esses diálogos peripatéticos modernos.

Fui professor homenageado diversas vezes.

Nos últimos anos, grandes grupos empresariais se apossaram das inúmeras pequenas faculdades regionais. Foi um desastre!

Cheguei a ser coordenador de todos os cursos de engenharia em uma delas. Não aguentei!

Hoje, se quiserem me pagar a peso de ouro para encarar uma cambada de analfabetos outra vez, correrei mais que o Diabo corre da cruz.

As federais conseguem ser ainda piores, só que ao custo de bilhões para os otários tradicionais: Nós.

Desejo boa sorte aos que aqui ficarem.

P.S. Caro Goiano. Como não sabes (ou te fazes de doido!), a educação já foi destruída faz muito tempo, e foi tua turminha vermelha quem arrematou e concluiu a obrada.

Deixe uma resposta