A PALAVRA DO EDITOR

Ontem, quinta-feira, fiz uma postagem informando que iria participar de um evento num colégio aqui do Recife.

Era o lançamento do um livro de uma estudante, cujo prefácio eu tinha feito.

Haveria um encontro no auditório do colégio, com palestra, debate e sessão de autógrafos da jovem romancista, uma adolescente de 15 anos.

O evento estava marcado pra começar às quatro horas da tarde.

Aprontei a edição do JBF logo pela manhã e resolvi não mexer no jornal durante a tarde, ficando inteiramente por conta do lançamento do livro.

Saí um pouco antes das três horas, pra enfrentar o pesado trânsito entre o bairro onde moro e o bairro da Boa Viagem, onde está localizado o colégio, a fim de chegar a tempo e com tranquilidade.

O evento foi ótimo, movimentado, com intensa participação dos alunos e muitas perguntas.

Quando voltei pra casa já era noite, trânsito congestionado do final do dia, e cheguei aqui lá pelas sete.

Jantei, desliguei o computador e encerrei meu expediente de editor.

Quando é hoje pela manhã, verifiquei que, logo após a meia-noite de ontem, um assíduo e atento leitor fez o seguinte comentário:

“Só para constar. Faz horas que parou a atualização do jornal pareceu-me ter parado muito cedo nesta tarde . Mas posso estar equivocado.”

Como editor desta gazeta escrota, já vi que tô ferrado.

A patota fubânica fiscaliza até os meus horários de trabalho!!!

A crise de abstinência é um excelente sinal de que estamos agradando a distinta freguesia.

Agora, falando sério, confesso a vocês que fiquei feliz que só a peste com o comentário do nosso estimado leitor, um fubânico veterano e que prestigia este nosso espaço há muito anos.

Brigadão pela fiscalização, seu cabra!

Fique certo que você mora na minha estiima.

E pode ficar tranquilo que hoje o expediente volta à normalidade de sempre.

4 pensou em “UM EDITOR BEM FISCALIZADO

  1. kkkkk. Tá vendo? Tá vendo? Tu nos vicias, depois não queres ser cobrado.

    Tens um compromisso eterno com seus leitores, caro Berto.

    Portanto, muita saúde, caro amigo.

    • Pois é , parou de atualizar a primeira preocupação é com a saúde , depois como disse o José Crente é com o stf e seu uber black .

      • Como aqui no JBF não temos nenhum praticante de crime (patriotas, tementes a Deus e trabalhadores), qualquer que seja, o uber black se bater à porta de Berto será unicamente para pedidos de autógrafo.

Deixe uma resposta para Cícero Tavares Cancelar resposta