MAURÍCIO ASSUERO - PARE, OLHE E ESCUTE

Desde a divulgação que o Intercpt fez das conversas da força tarefa da Lava Jato, a gente tem assistido um bombardeio sem precedentes às instituições desse país. No meu entendimento, o órgão mais desrespeitado é a Polícia Federal porque seus agentes fazem um trabalho fora de série para desbaratar quadrilhas, prender corruptos e num curto espaço de tempo um ministro do STF, um juiz de plantão, concede habeas corpus e “tá lá” a quadrilha rindo da cara da gente. O casal Garotinho foi preso no dia 03/09 e no dia 04/09, foi concedido um habeas corpus.

O que mais me emocionou foram as palavras de Garotinho: “Fiquei aqui menos de 24 horas e mais uma vez foi uma perseguição de um grupo político de Campos [dos Goytacazes] e da turma do Sérgio Cabral. Sempre brota em Campo tudo contra nós. Eu quero dizer que isso é uma perseguição de um grupo segmentado, que está partidarizado. Um grupo, infelizmente, do judiciário”. O cara foi deletado por dois executivos da Odebrecht, Leandro Andrade Azevedo e Benedicto Barbosa da Silva Júnior, que deram todos os detalhes do esquema e o cara diz que se trata de uma ação orquestrada, inclusive com a participação do judiciário… que o soltou.

Durante a campanha política do ano passado, a coisa que eu mais ouvi foi a ameaça à democracia que Jair Bolsonaro representava. No alto da minha inocência eu respondia falando da minha confiança nas instituições, no amadurecimento da nossa democracia, lembrando que remédio para presidente ruim, chama-se impeachement. Perdi alguns amigos, outros passaram a me chamar de bolsominion e outros mais contundentes, já me chamam de imbecil mesmo. Eu continuo dizendo que o país tem uma Constituição e todos devem obediência a ela.

Tem comentado por aí minhas impressões sobre o andamento da economia e cada comentário que faço sinto os olhares fulminantes. Descobri que as pessoas não estão interessadas no Brasil. Tardiamente? Não, é que eu sou imbecil mesmo. Recebi uma mensagem de um conhecido falando sobre “entrar com um pedido de impeachment contra Bolsonaro”. E eu, como idiota, perguntei qual seria a base porque até o momento eu não vi nenhuma violação dos preceitos previstos na lei, para tal.

O fato é simples: as pessoas que votaram no candidato derrotado, não aceitam a vitória de Bolsonaro. Simplesmente querem apear o presidente do poder porque foram derrotados nas urnas. A pesquisa ridícula do Datafolha mostra o combustível para avivar uma disputa que faz 11 meses que acabou. As pessoas deveriam seguir em frente e buscar construir um Brasil que se não der tempo de ser nosso, será dos nossos filhos, netos, etc. Não se faz isso. O discurso é uma música com diversas versões, mas a melodia é a mesma: Lula livre, Moro Corrupto, Força tarefa corrupta. Os caras que saquearam os cofres públicos são todos, sem exceção, inocentes.

O cenário que se desenha para este país é terrível. O pessoal do PT não tem votos sem Lula. Lula para eles é o oxigênio e por isso a necessidade de manter o Lula livre é premente. Haddad tem a incumbência de percorrer o Brasil catequizando a massa, mas esse papel está reservado para Lula, assim que ele for libertado. Haddad é só um poste imbecil e incompetente que não aglutina nada em torno dele, mas o que o pessoal quer, de fato, é Lula atiçando o povo para inviabilizar o atual governo.

Toda vez que penso nisso fico como o fubânico Adônis Oliveira: doido para ir embora desse país. Estamos nos encaminhando para um ambiente de instabilidade civil, criado, propositadamente, pela esquerda. A esperança é que tudo isso resulte numa intervenção militar que coloque a comunidade internacional contra o Brasil. isso assusta, pelo menos a mim. Por exemplo, a vaza jato, faz uma seletividade tremenda na sua divulgação. Diz apenas aquilo que retira de um contexto mais amplo e merece todo destaque e comentário, enquanto o que diz Palocci, agora comprovado, não merece o mesmo destaque na mídia. Eu imagino o que aconteceria se fossem divulgadas as conversas dos deputados do PT com os ministros do STF.

O Brasil não pode se manter firme com um STF composto por canalhas, a começar pelo asqueroso, Gilmar Mendes. Nunca antes na história desse país se viu um crápula de tamanha grandeza. A anulação da condenação de Bendinni mostrou o que se promete para os demais. No entanto, o fato de Bendinni ter sua condenação anulada não significa que ele é inocente. Ele é ladrão. Assim como todos os outros delatados por empreiteiros. Ladrões, simplesmente ladrões e a soltura desses bandidos mostra, decididamente, que a justiça no Brasil só se aplica a quem é pobre.

Deixe uma resposta