DEU NO X

5 pensou em “UMA LINDA BOYCETA

  1. Chego para o almoço e me deparo com APRENDIZADO FUBÂNICO, pois aqui a gente aprende cada coisa… Vaya cosas estas aprendiendo hoy, eh? O “enciclopédico JBF”, gazeta que tem de tudo um pouco e muito mais, nos ensina HOJE, bem ao estilo Escolinha do Professor Raimundo, que agora temos os que se identificam como “boyceta” (o que é de gosto é regalo da vida).
    Misericruzincredu, diria minha vovozinha, pois assim dizia ela para coisas muito complicadas (haja terapia – psicólogos esfregam as mãos e abrem sorrisão).
    Antigamente, na ‘infância e adolescência sanchiana’ não tinha “boyceta”; tinha homem, mulher, viado e sapatão (éramos assim designados de acordo com nossas preferências na salutar arte da fudelância e/ou fornicação); hoje a coisa vai de A a Z (para quem desejar se atualizar há o Manual de Comunicação LGBTI+ da Aliança Nacional LGBTI e Glossário LGBTQIAPN+) e não para por aí (sim, a turma do arco-íris é novidadeira).

    Que cada um seja feliz com suas escolhas.

  2. Pingback: O ENCICLOPÉDICO JBF | JORNAL DA BESTA FUBANA

  3. Esse semovente ser o que ele quiser não me importo. O que incomoda é impor pros outros que isso é normal e deve ser estimulado. Por essas e outras que sou contra movimentos antimanicomiais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *