A PALAVRA DO EDITOR

MINISTRO POWERPOINT SHOW

Reinaldo Azevedo pergunta em sua coluna se não é hora de um vegetariano no Supremo Tribunal Federal.

Eu não só acho que sim, como sou vegetariano e advogado, além de não ter passado em concurso para juiz.

Considero-me, portanto, concorrendo à vaga com Dalagnol – até com certa vantagem, porque não me consta que ele seja vegetariano.

Só espero que Moro não seja vegano.

ABAIXO-ASSINADO

Estou passando um abaixo-assinado, aos 77 anos de idade, para que a idade de ingresso como Ministro do Supremo Tribunal Federal passe, com urgência, para 78 anos.

Assine clicando aqui.

MANIFESTAÇÃO CAVIAR E MORTANDELA

O presidente da república talvez edite medida provisória determinando, tendo em vista as diferenças brutais em manifestações pelo País, onde uns vão porque querem salvar o Brasil, e por isso são poucos, e outros vão atraídos por sanduíche, suco, transporte grátis e oportunidade de faltar ao trabalho e às aulas, que as manifestações a favor do governo também terão direito a privilégios, como ponto facultativo, transporte em limusines blindadas, lagosta ao termidor, vol au vent de caviar e veuve clicqot bem gelada, de modo a que as manifestações de elite não percam força em relação às do populacho ignaro.

DESMENTIDO

Acaba de ser desmentido: Bolsonaro não pretende editar medida provisória estabelecendo aulas de tiro ao alvo com pistolas no currículo escolar do jardim da infància, muito menos das creches. Talvez seja incluído somente a partir dos cinco anos.

TROJOLOTICE, EVIDENTEMENTE

Um repórter de campo da Jovem Pan foi cobrir uma manifestação contra o corte ou seja lá o quê em verbas da educação. É claro que essa manifestação foi de gente da esquerda, porque se fosse da direita eles teriam saído às ruas para exigir que se corte mais para acabar com as faculdades que só servem para estudante andar pelado fumando maconha e mijando para todos os lados.

Aí, deu ruim, porque o repórter Marcelo Mattos, depois de falar sobre o curso da manifestação em si, deitou a agradar os chefes Felipe e Augusto Nunes e a expor suas próprias idéias, dizendo:

“(…) A gente observa, né Felipe, agora o João vai fazer a imagem para vocês… reuniu um bom público que saiu do Largo da Batata… Agora, evidentemente, a gente observa que há muitos integrantes do PT, não integrantes que possuem mandatos né, (não) são políticos com mandatto, mas assim pessoas que trabalham em gabinetes e também estruturas internas do Partido do Trabalhadores e a gente observa clara e isso evidentemente Felipe. Mostra que essa manifestação, toda essa articulação que é feita aqui, evidentemente agora claro uma forma de uma tentativa de uma aglutinação da esquerda…” (até então o repórter falava tranquilo, as pessoas iam passando, mas a partir desse momento começou uma reação, alguém grita, “deixa de ser mentiroso!”, mas ele continua).

Evidentemente, Felipe, uma articulação da esquerda em torno de toda essa situação da educação, que como você disse, que como o Augusto falou e o próprio José Maria, então é uma forma nítida, a gente observa aqui que a questão do Lula Livre, a questão que envolve a política envolvendo justamente o PT então permeia toda essa situação agora, que ela é uma tentativa de aglutinação da esquerda em torno desse assunto.”.

Aí o repórter volta simplesmente a expor o desenrolar da manifestação, mas… tarde demais, o público começa a dizer “canalha” (Ele tenta apelar para a democracia, seu direito democrático de expor seu ponto de vista, mas os manifestantes também usam do seu direito de reclamar da forma como ele interpretava para o público os fatos).

A partir daí o repórter tenta alegar seus direitos democráticos e fala confusamente “A democracia é assim, Felipe, não sabem escutar, evidentemente, o que fazer, né Felipe…”.

Ao contrário do que alguns pretenderam informar, o repórter não sofreu agressão física nem tentativa e a própria segurança do evento garantiu seu isolamento, mas o cara ir lá dentro da manifestação para fazer observações controvertidas e do desagrado dos manifestantes é muita trojolotice, né não? Evidentemente.

Vejam o vídeo:

Deixe uma resposta