FERNANDO ANTÔNIO GONÇALVES - SEM OXENTES NEM MAIS OU MENOS

Não há ocasião mais constrangedora do que aquela vivenciada por um portador de alguns mil-réis de inteligência diante de um endividado cerebral, tagarela e proprietário de carro importado, celular acionado nos momentos mais inconvenientes e óculos de sol dependurado perto da bunda, como se o olho dela visse. Geralmente de muito bom senso crítico, o primeiro se deblatera organicamente com as primariedades jumentálicas do segundo.

Em tempos pandêmicos de mudanças aceleradas como os de agora, de transformações futuras de muita inventividade, humores e ironias não são facilmente admissíveis pelos estamentos ou-tudo-ou-nada, que desejam impor vanguardas nem sempre à altura do século XXI. E que não conseguem assimilar a grande lição deixada por Erasmo de Roterdam, no Elogio da Loucura, publicado numa época onde se admirava pitadas inteligentes, tal e qual como recentemente, com os recados do Lulu Santos – nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia. E o humorismo do Paulo Gustavo, eternizado recentemente, para infelicidade geral da Nação pensante.

Já houve outros contextos como os de agora, com encorpados primatas travestidos de mandatários. Que se horrorizavam com as sátiras de então, que chocavam santarrões e filisteus que desconheciam a Batraquiomaquia de Homero, a loa feita por Virgílio ao mosquito e o diálogo do grilo com Ulisses, aquele que não presidente de partido.

Estou a imaginar o espanto de alguns toleirões do aqui-agora brasileiro ao tomarem conhecimento do que Apuleio falou acerca dos burros, Luciano sobre a mosca parasita e Sinésio sobre a careca. E cairiam para trás, esfolando os raciocínios, se lessem São Jerônimo citando o testamento do porco idealizado por um tal Grunnio Corocotta, também não entendendo patavina do dito por Erasmo no seu livro mais famoso: “Na verdade, haverá maior injustiça do que, sendo permitida uma brincadeira adequada a cada idade e condição, não poder pilheriar um literato, principalmente quando a pilhéria tem um fundo de seriedade, sendo as facécias manejadas apenas como disfarce, de forma que quem as lê, quando não seja um solene bobalhão, mas possua algum faro, encontre nelas algo ainda mais proveito do que em profundos e luminosos temas?”

Como eu gostaria de ver, por muitos medalhistas, lido, relido e entendido o balaio de vergastadas de Erasmo de Roterdam! E que eles pudessem compreender melhor o significado de alma pequena, do Fernando Pessoa, inteligência portuguesa dezoito quilates. Perceberiam, se assimilassem a mutabilidade dos tempos, as ansiedades dos novos, os padrões comportamentais e as exigências éticas de um mundo em evolução.

Os humanismos solidários não devem ser jamais baralhados com pieguismos paspalhões, que apenas conservam legiões na ignorância e na irreflexão, qualquer palmadinha nas costas se convertendo em apoteótico agora-a-coisa-vai, numa Reunião sobre o Clima, patrocinada por Joe Binden, presidente dos Estados Unidos. Um Binden diferente de muitos bundens, um deles o atual ministro da Saúde Queiroga, que deixou a CPI da COVID-19 cheirando mal, com medo gigante de levar um pontapé na bunda do chefete insano, sem mais eira nem beira. Decididamente, um ministro desovado.

4 pensou em “TRICAS E TRAQUES

  1. Quem diabos é este tal de Bindem ?
    E de fato deve ter deixado a CPI cheirando mal , afinal aquilo feito por gente de menor importância , e deve-se puxar a capivara principalmente do vagabundo ( ou seria (vagabundem ) . Realmente aquela CPI de malandragem cheira muito mal (na verdade fede ) .
    E o chefete quem é , não é o molusco safado e nenhum de seus seguidores , associados ou apoiadores. Queiroga ao que se sabe é ministro da saúde do Excelentíssimo Senhor Presidente da República Jair Messias Bolsonaro que apesar dos derrotados tentarem derrubar de todas as formas , tem mostrado que conta com o apoio de gente honesta ( ver fotos ). Resta aos cretinos , criminosos , desonestos apenas espernear pois apesar de contar com grande corja de iguais ,ela não é maior que a de trabalhadores honestos que querem ver a melhora da nação !.

  2. Um idoso senil, desmiolado e com chapéu de bobo na cabeça citando outro idoso senil e desmiolado: Joe Binden-buceta.

    Um idiota palavroseiro, estúpido criador de neologismos babacas, ousar citar o bravo a competente Ministro Queiroga.

    O campeão das bobajadas em itálico, o criador de neologismos merdálicos fedorentos, ocupar um espaço tão importante quanto é este jornal, minha primeira leitura diária. E ainda caio na besteira de passar os olhos no palavreado deste esquerdinha demente. Esta foi a última vez. Basta.

    Quanto mais vejo o tipinho de gente míope que é contra o governo, mais admiro o presidente Bolsonaro.

    Que vai ser reeleito em 2022 pra matar de raiva os entusiastas do negativismo e que torcem contra o Brasil.

    A gigantesca manifestação da ontem em Brasília já tirou o sono destes babacas.

  3. Obrigado, bolsobarristas pelos comentários que somente fortalecem a minha crença num futuro brasileiro sem ódio nem fascistas, tampouco insanos mentais.

    • Uai sô ! pelo que diz vai haver suicídio e sem subsídio . Os insanos e odientos facínoras podem espernear a vontade , a vida é curta e logo estaremos todos livres deles oxi ! . Este jornal é pura adrenalina !.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *