A PALAVRA DO EDITOR

Seu Luiz, meu saudoso pai, costumava dizer pra Dona Quitéria, minha saudosa mãe, a seguinte frase:

– Quiterinha, você não me deu três filhos: você me deu três joias.

Com a modéstia que me é peculiar, atesto e dou fé que Seu Luiz estava coberto de razão.

Eu sou uma joia da porra!!!

Somos três irmãos: eu, o mais velho; Laudenor, o segundo da fila; e Lúcia, a caçula.

Todos já setentões, nós formamos um trio muito unido e solidário.

Laudenor, atualmente aposentado, sempre foi empresário, dono de restaurante em Brasília, herdeiro da vocação de comerciante do nosso pai.

Ele foi protagonista de uma história comovente, que eu faço questão de mostrar pra vocês.

Quero que meus amigos do JBF vejam uma reportagem que foi ao ar no último sábado, dia 25, no noticiário local de Brasília.

Cliquem aqui para acessar.

24 pensou em “TRÊS JOIAS

  1. Sem palavras, Mestre Berto!

    A medicina, quando bem aplicada por profissionais decentes, honestos, competentes, comprometidos e abnegados, – que no Brasil são a maioria – merecesse todos os encômios do mundo.

    Eles utilizam a ciência à serviço da Vida!

    • Só resta a Sancho a emoção e aplaudir a equipe médica, pois jóias não podem se perder tão facilmente. Que fique o beijo de Sancho no coração do gigante e fubânico Laudenor. E que a próxima parada do brasiliense seja um rodízio de churrasco gaúcho sem medo de ser feliz…

  2. Emocionante, caro Berto.

    É bom saber que ainda existem médicos que honram a profissão, que não se atém aos protocolos, que ousam para salvar vidas.

    Manda um beijo para seu irmão, um beijo mesmo, não no coração ou outras papagaiadas destas, na bochecha.

  3. Caríssimo amigo Berto, transmita a seu irmão, esposa e filhos nossos parabéns pela vitória conseguida. Graças a você tivemos, Halina e eu, a oportunidade de conhecer esse herói da resistência, quando de nosso encontro aí no Recife, tempos atrás.

  4. Fico imaginando a alegria simples de tomar um café com leite e um pão na chapa., é de arrepiar. Parabéns ao seu Irmão caro BERTO.Vi a reportagem mo DFTV 1, mas como estava tomando cerveja, não prestei a devida atenção a reportagem Vida longa a voce e seu irmão.

  5. Prezado Berto,
    Fiquei muito emocionado ao assistir ao vídeo.
    E pela estima que tenho por você, pude sentir, nas suas palavras, a grande alegria que você sentiu pelo seu irmão, e que agora é nossa.
    Parabéns, grande amigo.

  6. Pois é Berto……. como uma história pode ser tão comovente a partir de um simples café da manhã.

    Senti exatamente o que sentiu Marcos Pontes….
    “……Fico imaginando a alegria simples de tomar um café com leite e um pão na chapa., é de arrepiar……..”

    É bom começar uma segunda feira com uma história de recomeço, de gratidão e com lágrimas lavando a alma ……….

    JBF nos causa sempre grandes emoções, para o bem ou para o mal……..
    Que ótimo que estas emoções de hoje são todas do bem ……….

    Um grande abraço coletivo a esta familia e como diz Sancho Pança;
    “…….. E que a próxima parada do brasiliense seja um rodízio de churrasco gaúcho sem medo de ser feliz……. ”

    Yéééésssssssssssss …..!!!!!

  7. Que história emocionante, querido Editor Luiz Berto! Glória a Deus! Mãos abençoadas e guiadas por Deus curaram o seu querido irmão! Que a vida dele se normalize cada vez mais!
    Parabéns à equipe médica! Grande abraço para você, Lúcia, filhos e esposa de Laudenor, e demais familiares.
    Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo! Para sempre seja louvado! Amém!

  8. Berto,
    Que felicidade! Que vitória da porra!
    Teu irmão é um lutador. Um guerreiro.

    É bom assistir a uma vitória dessas para aprender a dar valor a cada uma das pequenas coisas que fazem a nossa felicidade e nós não damos a mínima atenção.

    Passamos pela vida como sonâmbulos.

    Parabéns a toda família.

  9. Grande, Glorioso e Venerado Berto:
    O vídeo sobre seu irmão é de partir o coração.
    Desejo a ele toda a felicidade do mundo em redescobrir o que é tomar uma sopa e um café da manhã com um pão na chapa.
    O final da história me fez ganhar o dia.
    Que Deus proteja sempre seu irmão e toda a sua família.

  10. Essa bela história nos mostra que a felicidade está nas pequenas coisas. Seu Laudenor foi dono de restaurante, e seu maior desejo era poder comer um singelo pão na chapa acompanhado de um café com leite.

    Parabéns à Equipe médica; à família e ao seu Laudenor por esta vitória. Que deus abençoe a todos.

    P.S: a partir de hoje vou valorizar mais meu café com leite (aqui em São Paulo chamamos de “média”)

  11. Muito comovente o drama e o final feliz.
    Interessante o valor de um pão na chapa com café com leite.
    Parabéns ao Laudenor, pela vitória, e ao médico Dr. Humberto Oliveira e sua equipe, que inovaram e possibilitaram a felicidade do seu paciente de poder voltar a comer.

  12. A dignidade e coragem com que o sr Laudenor e família enfrentaram todos esses anos de luta, e a perícia dos médicos, faz com que acreditemos que a humanidade ainda tenha jeito .

    • Claro que a humanidade tem jeito…..

      Taí uma emocionante história humana, do Laudenor, do médico e da familia…..

      O que nao tem jeito são os PTistas e quadrilheiros afins…. rsrsrsrs….

  13. Beleza, parabéns para a competente equipe médica que fez a operação e saúde pro mano, Papa Berto. Torço para que Laudenor volte a fazer tudo o que a gente faz normalmente, inclusive ter o prazer de comer. Coisa que lhe foi privada por uma década..

Deixe uma resposta