DEU NO JORNAL

Marcelo Rates Quaranta

O Juiz Federal André Prado de Vasconcelos, da 7ª Vara Federal de Minas Gerais, espelhando-se nos exemplos do STF e achando-se autoridade absoluta, deu um prazo de 72 horas para a maior autoridade do país, o Presidente da República, “explicar” por que é que trocou o comando da Petrobrás.

Não sou porta-voz do Presidente, mas ele não precisa explicar nada. Deixa que eu explico.

Primeiro, senhor Juiz, porque ele quis e ninguém tem nada a ver com isso, muito menos o senhor. Se está faltando trabalho na vara federal em que o senhor trabalha, a ponto de sobrar tempo para pedir que uma autoridade do Executivo “se explique”, então precisamos rever o seu salário.

Segundo, senhor Juiz, ele o fez porque essa é uma atribuição exclusiva do Presidente da República, e que, por estar escrito na Constituição Federal (o senhor conhece? É um livrinho! Eu recomendo a leitura!) ele não precisa dar explicações a ninguém, muito menos a um Juiz de primeira instância.

Terceiro, senhor, juiz, não há ato ilícito algum para ser questionado, arguido, explicado ou interrogado. A preocupação deveria ser com os que roubam o país e não com aqueles que querem impedir o roubo, o senhor não acha?

Quarto, se cada Juiz do Brasil resolver “questionar” os atos executivos do Presidente da República, e o Presidente perder seu tempo tendo que “se explicar”, o país vai se tornar ingovernável. Tá certo que a justiça é lenta, não anda, juiz tem férias duas vezes por ano, muitos acumulam processos e muitos crimes prescrevem por falta de julgamento… Mas nós não queremos isso para o executivo causado por falta de tempo para trabalhar, por ter que ficar se explicando, não é mesmo?

Quinto, senhor Juiz, embora alguns juízes achem que no Brasil a pulga manda no cachorro, as coisas não funcionam assim. Pulgas continuam sendo pulgas e devem ter consciência do quão minúsculas e insignificantes elas são perto dos cachorros.

Presidente… Se há alguém para quem o senhor realmente deve explicações dos seus atos, é para os milhões de brasileiros que votaram no senhor. O resto que leia a Constituição ou entenda pelos jornais.

18 pensou em “TODAS AS RESPOSTAS PARA O JUIZ

  1. Com todos esses disparates que juizecos dos cafundós do judas estão a praticar, parece-me que vamos ter de criar uma entidade semelhante aos Gedeões, para oferecer a cada um desses luminares obscurecidos um Vademecum novo, que, além da Constituição de 1988, já contenha os novos Códigos em vigor.
    Complementarmente, um exemplar de comentarista constitucional, que não seja algum dos 11 urubus togados que tanta merda veem excretando.

  2. O Dr. André Prado de Vasconcelos (nome pomposo de juiz) deveria enviar a viola no saco.

    Poderia ir dormir sem essa, mas passar vergonha é um predicado da esquerda militante.

  3. Sétimo: Vá dar meia hora de rabo. Não se meta onde não foi chamado. Se quiser ser Presidente do Brasil se candidate nas próximas eleições.

  4. Marcelo Rates Quaranta e a Quem Mais Intgeressar Possa:
    A quantidade de bobagens que se dizem em questões de direito pelos neófitos de plantão é algo impressionante, de modo que é urgente que quem quer deitar falação sobre matéria jurídica que faça so favor de ir cursar Direito em alguma universidade do nosso grande país, porra.
    O Juiz da 7ª Vara da Justiça Federal em Minas Gerais não se espelhou em porra de exemplos do STF nem se achou autoridade absoluta porra nenhuma, ele atende a AÇÃO POPULAR apresentada em sua poderosa vara.
    O artigo 102 da Constituição Federal, que define as competências do Supremo Tribunal Federal (STF), não coloca o julgamento de ações populares como competência original da instância máxima judicial do país.
    A ação não saiu da cabecinha do juiz, como não pode acontecer, juiz agem quando provocados regularmente, a ação popular foi impetrada pelos advogados Daniel Perrelli Lança e Gabriel Senra da Cunha.
    Dizer que o juiz nem ninguém tem nada com isso e que o presidente da república Jair Messias Bolsonaro faz tudo o que quiser é burrice, e maior ainda dizer que o presidente fez porque quis e está acabado, não é assim, aqui tem lei e a ditadura acabou, o presidente só pode fazer o que é de sua competência e a lei o autoriza a fazer. Pode ser que a ação não seja provida, mas, por enquanto, o juiz continua em sua competência e pedir explicação faz parte do interesse em conhecer os fatos, dentro do processo, para concorrer em favor de futura decisão.
    Enfim:
    Arael, não houve disparate, o juiz está no pleno exercício de suas competências.
    Antonio Turci, o Marcelo não falou com propriedade, falou bobajada e tu de carona.
    José Roberto, a inocuidade não se presume no caso, ela será apurada. O juiz não está querendo minutos de fama, ele está fazendo o que tem de fazer por dever de ofício.
    Carlos, os juízes não são de merda só porque impõem ao Jair Messias Bolsonaro as obrigações que lhes competem impor, no caso fornecer explicações; cabe a Jair Messias Bolsonaro atender ou não, ele é livre para rasgar a solicitação.
    João Francisco, a bobajada em matérias de conteúdo jurídico prossegue: o juiz não pode enfiar a viola no saco quando a lei lhe impõe providência em ação judicial perante ele impetrada. Não se pode supor que um juiz que cumpre seu dever de ofício é de esquerda porque pede explicações a um direitista. E o nome do juiz nem pomposo é.
    Heber, o juiz não se meteu onde não foi chamado, ele foi, sim, chamado em ação popular e está não se metendo mas agindo no exercício de suas funções judicantes.
    Airton, o Ministério Público, certo ou errado, cumpre suas funções de se manifestar nos processos naquilo que seja de sua competência e se ele “se preocupou” de agir no caso não é porque está de pinimba com o Jair Messias Bolsonaro.

    • Boiano,

      explique-nos o paradoxo pautado pelo Sr. Adônis: como tanta erudição pode ser, no final das contas, uma burrice tão monumental a ponto de precisar de cinco anos lustrando uma cadeira com o rabo para transformar questões de certo e errado, as quais qualquer pessoa com um mínimo de bom senso e caráter responderia de bate-pronto, em “complexidades” que só uma seletíssima casta que insiste em falar em códigos entre si compreende?

      Aliás, com isso surge outro paradoxo: a Esquerda não é tão inclusiva? Portanto, como agora te apegas regularmente ao salvo-conduto d'”o Direito é complexo” para obscurecer até as coisas mais óbvias, não seria essa uma atitude estupidamente boçal e tacanha de boa parte dos legalistas desse país por com ela segregar uma gigantesca parte da população a total falta de clareza acerca das leis que a regem?

      No final, o Direito tupiniquim está se coadunando cada vez mais com a arte moderna, onde sua compreensão menos depende da faculdade de se enxergar o óbvio, e mais se torna um jogo editável e cifrado para somente uma súcia (mais e mais elitizada) de jagodes sofredores de autismo moral ter acesso, enquanto despudoradamente troçam de nossas caras como quem tira sarro xingando um estrangeiro que não entende seu idioma.

      • Isso que tu fazes, Noculalau (continuarei desrespeitando o teu nome enquanto desrespeitares o meu) é manter-se no pedestal de tua alta sabedoria, crente de que estás sabendo o que desconheces, que o orgulho mantém intocável.
        Não te metes a dar palpites ou a saber mais do que um cirurgião, aceitas os tratamentos e reconheces que o médico conhece os mistérios da medicina que ignoras. Quando eles falam entre si de arbatrose, de disdiadococinesia ou de xerasia, tu não te incomodas com a linguagem que te afasta do entendimento da conversa. Em termos de medicina, o máximo que podes fazer é ler as bulas e automedicar-se correndo os riscos.
        Mas com o direito achas que basta o bom senso, e esse é o ledo e completo engano dos néscios em matéria jurídica: acham que sabem e muitas vezes se ferram quando tentam colocar em prática seus pretensos conhecimentos baseados na lógica comum.
        Passo para Adônis: saber o que é certo ou errado não é conhecer o Direito e para conhecer o Direito é preciso muito, muito, muito mais do que lustrar os assentos universitários por cinco anos, da mesma forma que acontece com a Engenharia Mecânica, Elétrica, Civil, ou com as inúmeras áreas médicas, com a Odontologia e a Filosofia e assim por diante.
        A ignorância a respeito do tema chega a ser surpreendente, tanto quanto a insistência em mantê-la a salvo.
        Não tiramos sarro de quem não entende os fundamentos do Direito, a Teoria Geral, a interpretação das leis, o curso dos processos, a atividade jurisdicional, o que fazemos é tentar explicar que muitas das críticas às ações e atividades de magistrados e advogados são absolutamente infundadas e oriundas da falta de conhecimento desse campo da ciência.
        Veja bem, quando explico a vocês essas circunstâncias, o faço de maneira tão clara quanto possível, segundo a linguagem comum, mas se falasse com outro advogado sobre agravo de instrumento, interno ou de petição, carta rogatória, litispendência, prejudicial, decadência e milhares de palavras da terminologia jurídica não precisarei gastar tempo explicando o que significa cada uma, de modo que para quem está de fora fica difícil compreender, mas para nós simplifica o entendimento, tanto quanto acontece nas área de Adônis, de Nikolai e de tantos outros.
        Quem não conhece o Direito acha que sabe o que é certo ou errado nos julgamentos, mas não sabe, e se revolta contra um juiz que concede um “habeas corpus” achando que o juiz está errado quando o juiz está certo em face da lei, das circunstâncias previstas, dos arghumentos da defesa, e determinadas pela lei, e assim quando o Gilmar Mendes atende à parte e em consequência determina a soltura de um “bandido” o povaréu diz que ele é bandido também por desconhecer os fundamentos da soltura, mas nem tchum para quando o mesmo Gilmar deixa de atender a um “habeas corpus”, a um “mandamus”. Para Adônis, basta o conhecimento de “é bandido tem de ficar preso”, para NiKolay, idem, e para tantos outros, achando que sabem o que não sabem, acreditando que basta saber oq ue é certo ou errado para ser advogado ou juiz, ou para criticar seus atos do alto do pedestal de sua ignorância.
        E ainda ficam, insistentemente, dia após dia, incorrendo nas mesmas teclas, achando-se.
        Ou vão fazer faculdade, ou metam-se ao autodidatismo e estudem pelo menos a Teoria Geral e a Filosofia do Direito, que é o básico do básico, ou convençam-se de que estão porforinha e parem de achar que sabem o que ignoram e de dizer que o Direito é uma forma de enganar os tolos: o Direito é pura Ciência e da mais alta categoria.

        • Boiano,

          primeiramente, não tenho problema algum de desrespeitar seu nome ou te tratar por nomes pejorativos, pois sigo a máxima nietzscheana de que quem não sabe desprezar, não sabe respeitar. Portanto, como tenho profundo respeito pelas pessoas a princípio, tenho profundo desprezo por sua estirpe, assim como pela sua reciprocidade em também assim agir.

          Depois, no tocante a sua lenga-lenga tecnocraticamente prolixa, afirmo que, embora eu também nutra profundo respeito por pessoas que dedicam uma vida as suas formações acadêmicas, nutro um profundo desprezo por quem usa da dádiva de sair da condição de macaco pelado para, na deturpação de sua excelsitude, dedicar-se paulatinamente a cimentar diretrizes civilizacionais que fomentam a iniquidade em todas as suas formas e meios.

          Em todos os meios sociais existem os bons e os maus. Isso se aplica ao mundo profissional e acadêmico, e nisto, muito longe de ser uma exceção, inclui-se a área do Direito com todos os seus professores, defensores, procuradores e magistrados. Concordo que se diga que o Direito ser uma ciência e da mais alta categoria, desde que na medida inversamente proporcional a impressão passada por uma esmagadora maioria daqueles que colaboram para sua corroboração e aplicação. Esmagadora maioria esta que se esconde no juridiquês, no casuísmo, na chicanice e no corporativismo favorecendo a vertiginosa desmoralização desta ciência.

          Vc, no píncaro da sua boçalidade, subestima o poder do bom senso, e pelo motivo mais ingênuo: por sensatez não exigir nível superior ou um canudo. Eu não preciso saber, por exemplo, o que é “oligofrenia fenilpirúvica” para eu saber socorrer uma pessoa que se acidentou. Qualquer blogzinho da área de saúde comporta perfeitamente medidas de primeiros-socorros. Portanto, o que me dá lastro para identificar um oligofrênico ético e moral não é um canudo ou uma instituição educacional, mesmo pq nessa seara cinco anos é muito pouco para se obter algo que vem DE BERÇO!

          Por vir de berço, na idade em que me encontro, posso te garantir que tenho “pós-ph.D” em detectar filhos da puta, dos mais burros aos mais supostamente cultos, até pelo odor que exalam. Filhos da puta alguns desses que dedicam todas suas energias paulatinamente a travestirem todo tipo de abominação ética, moral, intelectual, de fala e de ação como “direito”, e se regozijam de seu onanismo dialético como um grupo de baitolas se punhetando uns aos outros impressionados com o tamanho de seus falos.

          Desse modo, o seu odor atesta o motivo pelo qual és tão fissurado por Paris. Porém, precisará muito mais do que uma fábrica de perfume francês para ocultar o seu crônico desvio de caráter.

          • Nikolai, um traço comum dos direitistas, fascistas ou não, é a facilidade de argumentarem com ofensa e intimidação.
            Outra falha de caráter de grupos de conservadores idealistas é a absoluta ausência de humildade: sabem tudo e o que não sabem se resolve em qualquer campo das atividades humanas pela formidável lógica de suas inteligências privilegiadas.
            É perigoso dar atendimento a um acidentado quem não tenha a menor noção e se arrisque a piorar as condições do infeliz, podendo levá-lo à morte. É perigoso fazer ligações elétricas quem não disponha dos conhecimentos próprios da área. É perigoso deixar de usar máscara por considerá-la focinheira ideológica contrariando a ciência. É perigoso substituir o poder judiciário pelo linchamento moral.
            Para terminar, eu gostaria de saber quais são os seus critérios par identificar um oligofrênico ético moral, que não foi possivel encontrar nas descrições clínicas.

            • Boiano,

              por acaso está se sentindo intimidado ou ofendido?

              Que verve mais gelatinosa… Esperava mais do fiel escudeiro do canalha-mor de Caetés. Apesar de que recai naquela incongruência canhestra de palavras e discursos magoarem mais do que todas as formas de entropia social promovidas por tal nefasto espectro ideológico em cada pedaço de chão pelo qual passou nesse mundo.

              Humildade? Quem é vc para falar de humildade? Basta o lapa de corrupto se intitular como “a viva alma mais honesta desse país”, ou se achar a verão tupiniquim de Abraham Lincoln, para se saber que a arrogância da Esquerda permeia todo o seu código genético. Se não tivessem em seu genoma defeituoso a soberba necessária para promoverem desde a Revolução Francesa (o verdadeiro ovo do basilisco) a narrativa do “mundo melhor”, impossível seria empilharem mais de cem milhões de cadáveres só no século passado. Tudo pela sanha megalomaníaca de buscarem o total controle das massas, desde suas ações, palavras e, quiçá, até de pensamentos!

              Lenin, Stalin, Mao, Pol Pot, Hitler, Fidel, Guevara… Por fim o lularápio: todos têm em comum o sentimento de serem os escolhidos. Os iluminados que acabarão com todas as mazelas do mundo num piscar de olhos.

              ₢ Isso é muita “ômildadi”! O arrogante sou eu! ₢

              Por fim, respondendo a sua dúvida final, já que para vc é tão importante o título ao invés da mensagem, deixo a um certo notável a identificação de um oligofrênico ético e moral:

              https://kdfrases.com/frases-imagens/frase-o-canalha-e-sempre-cordial-um-ameno-um-amoravel-e-costuma-ter-uma-fluorescente-aura-de-simpatia-nelson-rodrigues-160825.jpg

  5. Goiano,

    O juiz que se meteu a dar ordens ao presidente já foi devidamente mandado à puta que o pariu, conjuminado com dar meia hora de bunda.

    Quanto a você, vir querer dizer que só sabe o que é certo e errado quem passar uns cinco anos lustrando o assento da cadeira em alguma dessas faculdades de merda que vomitam milhões de causídicos analfabetos por ano, É DE FUDER!!!!

    Não repita a graçola não que nós te mandamos ir junto com o juizeco de merda.

    • Adônis, lamento informar que o presidente cagou fininho e, por meio da Advocacia-Geral da União (AGU), enviou manifestação para a Justiça federal de Minas Gerais com explicações sobre a indicação do general Joaquim Silva e Luna para assumir o cargo do atual presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco.

  6. Prezado Goiano,

    INFELIZMENTE, ao meu modesto modo de ver a situação, nosso Presidente da República parece empenhado em não dar a mínima possibilidade dessa multidão de filhos da puta esquerdistas acharem uma palhinha que seja para dizer que ele descumpriu a lei.

    Por mim, passava por cima dessa corja de canalhas com os tanques de guerra!

    Parece que a estratégia da diplomacia do Presidente está conseguindo matar de raiva a escória esquerdopata, vide as constantes choradeiras.

    Antes que eu esqueça: Não fui eu o primeiro a mandar esse juiz de merda à puta que o pariu não. Mas gostaria muito de ter sido.

Deixe uma resposta