DEU NO JORNAL

Os “brigadistas” ligados a ONGs, presos por atearem fogo na floresta, negociavam a venda de fotos de queimadas à ONG internacional WWF antes mesmo de o incêndio ocorrer.

Venderam 40 fotos por R$ 70 mil, diz a polícia.

Fechado negócio, ateavam fogo e faziam as fotos para sensibilizar doadores.

Só o ator Leonardo Dicaprio doou à WWF R$ 2,1 milhões, dos quais R$ 300 mil acabaram nos bolsos da quadrilha, segundo José Humberto Melo, delegado da Polícia Civil do Pará.

O delegado admitiu, durante entrevistas, que crimes idênticos podem ter sido cometidos em outros estados da região amazônica.

A polícia desconfiou da quadrilha ao observar que os quatro brigadistas ganharam muito dinheiro com os incêndios, e os investigou.

Escutas telefônicas autorizadas pela Justiça revelaram a trama de provocar queimadas para ganhar dinheiro no “combate às chamas”.

Os ongueiros também são investigados por sonegação: esconderam a maior parte do “cachê” de R$ 300 mil da WWF, segundo o delegado.

* * *

Essa pedra o reacionário e direitista Bozó já havia cantado bem antes da polícia do Pará descobrir os criminosos.

Vejam só o começo deste vídeo:

Eu só queria saber a que partido estes “brigadista” são filiados e em quem eles votaram na última eleição presidencial.

Alguém poderia me informar, por favor?

Criminosos e sonegadores também têm título de eleitor, num é?

Deixe uma resposta