ADONIS OLIVEIRA - LÍNGUA FERINA

Desde que me entendo de gente, sempre fui muito puto com essa estória de ter de obedecer aos dez mandamentos.

Sei muito bem que as orientações neles contidas são de fundamental importância para uma convivência minimamente civilizada na humanidade, assim como sei que as montanhas de tratados legais posteriores não vieram acrescentar muita coisa com relação ao comportamento ideal para a convivência dos homens.

O que me emputecia mesmo era o seguinte raciocínio:

– Caramba, pensava eu menino com meus botões, por que é que esses merdas não botam a coisa assim? Os dez conselhos? As dez orientações. Não! Tem que ser logo os dez MANDAMENTOS. Eles mandam e a nós, multidão de babacas, só resta obedecer sem tugir nem mugir. Ou cumpre…ou se lasca!

A vida toda tem sido sempre exatamente assim: Há sempre alguma fonte de tirania nos dizendo o tempo todo o que podemos (ou o que devemos) fazer, e o que não podemos fazer. Isso, quando se tratavam de autoridades que nos eram próximas, como nossos pais e tios, ou mesmo os professores, estava tudo bem. Depois, a coisa ficou muito mais ampla e difusa. Uma entidade etérea e indistinta, o “Governo”, passou a englobar todos os tipos de tiranias presentes em nossas vidas. O que estudamos e como estudamos, qual a interpretação “oficial” a dar àquilo que aprendemos, para onde podemos ir e como ir, o que comemos, onde trabalhamos e quanto ganhamos, quais seriam as formas de lazer e de prazer permitidas, se podemos guiar um automóvel e como podemos guiá-lo, quanto de nossos ganhos devem ser “doados” aos nossos opressores oficiais, e por aí vai.

Sempre existiram multidões de filhos da puta que se comprazem imensamente em mandar na vida dos outros! Mais até mesmo do que com o sexo. O nome dos dois se confundem, (Poder e Foder) num ato falho Freudiano! Dizem alguns especialistas que o poder é um poderoso afrodisíaco. Por outro lado, Wilhelm Reich, em sua obra “(1988). Psicologia de massas do fascismo (1933b). 2. ed. São Paulo: Martins Fontes”, meteu o dedo em uma enorme ferida. Descreveu detalhadamente como “Toda personalidade autoritária possui problema de cunho sexual”: Ou o cara é brocha, ou tem o pinto pequeno, ou o cara tem uma vontade louca de sair fantasiada de libélula deslumbrada, na parada gay, e depois dar a bunda adoidado, só que não tem coragem; e por aí vai.

Só por essa gracinha, ele foi expulso de uma porrada de países e morreu na cadeia, nos Estados Unidos. Em todos os países por onde passou, e foram muitos, todos os tiranozinhos de plantão, com suas inúmeras e indefectíveis taras sexuais, todos eles se sentiram tremendamente ofendidos com as constatações do mestre Reich, que era Marxista mas de burro não tinha nada. Tanto é que foi expulso também do partido comunista.

Como uma das coisas que mais existe no mundo é bicha enrustida, louca para sair dando a bunda adoidado e sem coragem, ou mesmo gente com o pinto pequeno, ou outros com as taras mais esquisitas, inimagináveis e inconfessáveis, o que não vai nos faltar nunca é candidato a opressor. Nisso Paulo Freire tinha razão!

A ocasião ideal para essa turminha de tarados botar as unhas de fora, sem falar nas paradas do “Orgulho” gay, são as grandes catástrofes! Esta é a hora ideal com que todos os governos sonham! Partem sempre, e de imediato, em busca da implantação de “Poderes Extraordinários”. A ideia subjacente é que, como eles são os seres iluminados e em contato direto com as divindades, ao contrário da rafaneia do proletariado, cabe a eles as decisões mais estapafúrdias imagináveis, sobrando para o povo simplesmente cumpri-las, sob pena de sentirem todo o vigor da mão “Bem Visível” e pesada do governo, monopolista na aplicação da violência.

A cada vez que uma catástrofe se abate sobre a humanidade, ou mesmo sobre parte dela, a queda do cavalo vem sempre acompanhada de um coice! Invariavelmente, com a desgraça, vem sempre estes dois fenômenos:

1. O imbecil de plantão no comando alega a necessidade de serem-lhe dados maiores poderes, a fim de que possa nos livrar das mazelas que se avizinham. Temporariamente, é claro!

2. As medidas de exceção, e que seriam provisórias, passam a ser permanentes.

Em suma: As crises são as melhores oportunidades para essa imensa classe de filhos da puta botarem as unhas de fora. Tudo para o bem da população, é claro! Podemos dizer, sem medo de errar, que esse tal de Corona Vírus caiu literalmente do céu, atendendo às preces de todos os patifes da nação que sonham com a derrocada do governo Bolsonaro. O melhor exemplo desse fenômeno é a evolução da carga tributária que nós, simples cidadãos, somos forçados a pagar à corja que nos domina e infelicita. A cada “crise”, o percentual dá um pulo.

No nosso caso presente, as manifestações explícitas de autoritarismo atrabiliário e ditatorial são infinitas. Poderíamos passar horas listando as imbecilidades ditas e cometidas pelos aprendizes de Stalin nos últimos dias. Por uma questão de espaço limitado, vou mencionar apenas algumas, a saber:

• Invasão de fábrica de máscaras cirúrgicas, em São Paulo, sem mandado judicial. “Fi-lo porque qui-lo! ”, diz o ditadorzinho de opereta, cheio de empáfia e espírito cívico.

• Invasão de um hospital para confisco dos respiradores existentes na UTI, mesmo o hospital sendo particular e o hospital da prefeitura não tendo a mínima condição de utilizá-los.

• Invasão pela polícia de uma missa com 5 ouvintes para transmissão pela internet.

• Invasão de todos os celulares da cidade pela Prefeitura de Recife, rastreando todos os seus munícipes e mandando-os de volta para casa caso dela se afastem.

• As fronteiras do estado fechadas pela polícia do governador do Maranhão. Não entra nem sai ninguém lá, só porque o boiolinha gorducho, líder dos comunistas, simplesmente não quer.

• Fechamento obrigatório de todas as empresas do Piauí. Quem insistir em querer trabalhar vai preso.

• Enquanto isso, mandam soltar milhares de presos, apenas porque podem vir a ser infectados mesmo estando já todos eles em “quarentena” forçada e ilimitada.

• Sanguessugas do congresso sem quererem largar a mamata de Bilhões, mesmo que o país se exploda e que esse dinheiro tenha que vir de mais dívidas.

• Decreto de governador ordenando que toda e qualquer morte que venha a ocorrer, e cuja causa não esteja clara, deverá ser atribuída ao COVID-19 e o culpado será Bolsonaro.

• Fica terminantemente proibido ir à praia, passear com o cachorro e qualquer outra atividade que não seja assistir diuturnamente ao terrorismo da
Rede Goebbels. Quem insistir, vai preso! E por aí vai…

Enquanto isso, Ministro do STF “autoriza” o governo a descumprir as Lei de Diretrizes Orçamentárias e de Responsabilidade Fiscal, passando por cima de toda a legislação aprovada pelo congresso. Em suma:

1. VIRAMOS O PUTEIRO MAIS ESCULHAMBADO DO PLANETA!

2. MANDA QUEM QUER (E PODE)! E AOS BABACAS, SÓ RESTA DIZER: Sim senhor!

3. A ORDEM É: VAMOS GASTAR JÁ. DEPOIS SE VÊ O QUE FAZER.

Se nossa carga tributária já era a mais alta da América Latina, agora o céu é o limite. Nem licitação precisa mais, devido à “emergência”. A roubalheira e a gastança estão em pleno vapor nos estados e o imenso rombo só aumentando.

Preparem-se! Como diria o Conselheiro Acácio, as consequências virão depois.

Nosso Presidente na mesma condição do Cristo na cruz. Oremos!

14 pensou em “TIRANIAS E CATÁSTROFES ANUNCIADAS

  1. A primeira parte do artigo foi pra mim a mais pura descrição psicológica do Goiano. Kkk
    Quanto ao puteiro que se tornou o Brasil não é a toa que vários países estão chamando seus patrícios de volta o mais rápido possível antes que a merda exploda

    • Meu caro Gonzaga, nem a descrição psicológica nem a corporal se aplicam a mim, uma vez que, para começo de conversa, sou portador de pinto grande, 14 centímetros em repouso, que raramente repousa. Também não sou afeito a brochar, a fantasiar de libélula e a dar a bunda, embora não esteja proibido na tábua de Moisés fantasiar-se de lavadeira.

      • Caro Goiano,

        Lembre-se que tu não és o “Macho Alfa” da escumalha comunista. Muito longe disso, até. És apenas e tão somente mais um babaca útil aos planos maquiavélicos de José Dirceu et caterva.

        Quanto a dar a bunda, creio que há um engano aí:

        1o – Existem estudos demonstrando que os pederastas passivos possuem o pinto desproporcionalmente grandes.

        2o – Esses mesmos pederastas não DÃO A BUNDA! Eles simplesmente EMPRESTAM AOS AMIGOS MAIS CHEGADOS E CARENTES, para que estes se satisfaçam sexualmente.

        Mais creio que tudo isso já é sobejamente do teu conhecimento.

  2. Adonis, quando li “MANDA QUEM QUER (E PODE)! E AOS BABACAS, SÓ RESTA DIZER: Sim senhor!”, me lembrei que você esqueceu de mais dois direitos.
    O de dizer “não, senhor!” e “quero morrer”.
    Sendo o “não, senhor!” próprio para ser usado depois de algo julgado feito sem a devida atenção.

  3. Os “mandamentos” tinham como objetivo dois pontos básicos: fortalecer a monoteísmo acabando com a idolatria em relação aos deuses do Egito, dando espaço pra solidificar a presença do Deus de Moisés; o segundo ponto era a situação de barbárie vivida na época. Não havia um estado de direito, a pena de Talião era prática comum e incoerente com que era esperado na doutrina de Jeová, o Deus de Abraão.
    Assim, Moisés entendeu que se colocasse aquilo como um “tratado” dele, não seria atendido, mas se dissesse que eram mandamentos divinos a chance de cumprimento era maior.

  4. Adônis, não queiras revoltar-te com as disposições divinas.
    Embora os Dez Mandamentos da Lei de Deus sejam bastante extensos, a Igreja Católica fez deles um resumo que diz tudo em menos palavras:
    1.º – Adorar a Deus e amá-lo sobre todas as coisas.
    2.º – Não usar o Santo Nome de Deus em vão.
    3.º – Santificar os Domingos e festas de guarda.
    4.º – Honrar pai e mãe.
    5.º – Não matar.
    6.º – Guardar castidade nas palavras e nas obras.
    7.º – Não furtar.
    8.º – Não levantar falsos testemunhos.
    9.º – Guardar castidade nos pensamentos e desejos.
    10.º- Não cobiçar as coisas alheias.
    Mas, sabemos, há várias versões, umas usando a forma imperativa, outras mais restritivas, como o décimo, que por vezes aparece como “não desejarás a mulher do próximo”.
    Porém, todavia, contudo, temos o livre arbítrio, de modo que podemos cumprir ou não as leis.
    E sobre a imposição das leis humanas, há uma interessante observação: as leis penais não proíbem: por exemplo, o art. 121, não diz que é proibido matar alguém, ele diz “Matar alguém – pena – reclusão, de doze a trinta anos”.

    • Caro Goiano,

      Creio que me entendestes errado!

      Minha revolta NÃO É CONTRA AS DISPOSIÇÕES DIVINAS, que inclusive considero muito ajuizadas.

      Ela é contra TODO E QUALQUER FILHO DA PUTA QUE QUEIRA VIR ME DIZER COMO É QUE EU TENHO DE VIVER A MINHA VIDA.

      Seja ele comunista (feito você), governista, filatelista, panteista, terraplanista, o caralho!!!

  5. Muitas pessoas tem medo de tomar decisões, prefere ter alguém tomando decisões por elas. Os poderosos percebem isso e reforçam este sentimento, até transformar todo mundo em gado.

    Dois métodos são muito importantes neste processo: o primeiro, que você explicou bem, é usar qualquer ameaça ou perigo para incutir o medo e apresentar-se como a solução. O segundo é apoderar-se do ensino para doutrinar todos enquanto ainda são crianças.

    Sobre os Mandamentos, uma curiosidade: sabia que o único mandamento para o qual a bíblia não prevê a pena de morte é o “não cobiçar a mulher do próximo” ?

  6. Excelente análise, eu sempre achei que poder é muito melhor que sexo. Este você se contenta em praticar de vez em quando enquanto quem experimenta o poder não quer largar nunca.

  7. Adonis, o mandamento de “não adulterar” não está associado a cornura, mas a adulteração de fatos, documentos, etc. O adulterar aqui é mudar e não trair. Já tem o que fala de não cobiçar a mulher do próximo e nesse está inserido o chifre. Essa não adulterar está associado com a corrupção que rondava os Impérios.

Deixe uma resposta