CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Editor Berto,

Ouvindo o Jessier Quirino e seu discurso, lembrei dessa historia que me foi contada há muito tempo.

Se achar conveniente, pode repartir com amigos do JBF

O CANDIDATO

Meu conhecido Francisco, vulgo Chico, vereador, se não me falha a memória, do município de Floresta. Negro, enorme, parrudo, um doce de pessoa, foi lançado candidato a deputado pelo seu partido. Saiu visitando os municípios.

A comitiva chegou em Umuarama, estrada sem asfalto, logo após a tragédia provocada pelas queimadas que assolaram o noroeste e oeste do Estado. O comício no começo da noite no palanque armado na praça da igreja matriz. Gerador próprio iluminando tudo, o locutor oficial introduziu o prefeito que fez um rápido e emocionado discurso enaltecendo o candidato Francisco, vereadores locais, que fizeram “uso do palanque e da palavra”, todos elogiando o candidato a deputado do partido.

Depois de todo esse introdutório, e do locutor gastar muita saliva e palavrório empostado, concede a palavra e o microfone ao candidato Francisco. Assim que o Francisco chegou mais a frente, sob o foco da iluminação, cumprimentou o publico presente agradecendo a presença de todos, um bêbado lá do fundo, um dos últimos da enorme plateia que se acotovelava na praça, gritou: “Fala negão”.

Chico com toda calma que Deus lhe deu, emendou:

– Negrão, negritude será a cor do asfalto que hei de fazer chegar até estas cidades perdidas e esquecidas do interior.

A turba foi ao delírio, aplauso por uns 3 minutos. O bêbado não se deu por vencido, tascou em alto e bom som: “tição”.

Chico de novo improvisa, e com voz quase embargada, porem firme, diz:

– Tições que ainda hoje queimam, transformaram troncos de árvores em cinzas, os que sobraram são como verdadeiros braços de trabalhadores erguidos para os céus implorando pelas verdejantes matas que enfeitavam nossas fazendas e nossas vidas.

O povão foi ao delírio. Foi necessário intervir para estancar os aplausos. Chico respira fundo. La vem o bêbado de novo e grita “tisiu, tisiu”.

Francisco com toda sua paciência, respira de novo, conta até 10. Faz uma reflexão profunda, cria aquele silencio mortal, devastador, a plateia fica estática e em suspense, ele com voz pausada, segura, responde:

– Tisiu, tisiu é a puta que te pariu, seu bêbado vagabundo, fi duma égua.

Foi aplaudido por mais de cinco minutos.

Infelizmente Francisco apesar de bem votado, não foi eleito.

Deixe uma resposta