DEU NO TWITTER

2 pensou em “TÁ NA CLT

  1. Meus caros Isentões, caso vocês leiam o Jornal da Besta Fubana, saberão que Jair Messias Bolsonaro não disse tudo, a respeito do factum principis, que é a cessação do trabalho por imposição da autoridade pública. Primeiro, é que a alegação deve surgir em reclamação trabalhista, quando o empregador invocar a circunstância em sua defesa, caso em que a autoridade pública comparecerá como chamamento à autoria. Verificada qual é a autoridade pública responsável, a Junta ou o Juiz do Trabalho remeterá o processo a outro juízo (da Fazenda), saindo o processo da alçada trabalhista e correndo como processo comum (mais complexo e demorado). MAS… para que haja a responsabilização da autoridade pública, será necessário que A PARALISAÇÃO NÃO DECORRA DE SUPERIOR INTERESSE PÚBLICO. Enfim, a coisa não é tão simples.

  2. Para efeito de realização de trabalho na área de antropologia psiquiátrica avançada tenho estudado atentamente os vídeos dos pronunciamentos de Jair Messias Bolsonaro, por recomendação clínica, desde que ele era soldado raso, tendo verificado a inexistência de uma curva sintomática em seu comportamento, que parece permanecer estruturalmente o mesmo desde a mais tenra infância, O trabalho está em vias de ser finalizado e a conclusão é a de que vocês não deviam ter votado nele, porra.

Deixe uma resposta