20 pensou em “TÁ EXPLICADO

  1. Ivermectina mata bicha . Por razões óbvias não eve ser administrada a alguns portadores de lulaconvictus , uma bactéria devoradora de verbas públicas. Não queremos perder um calunista.

    • Médicos petistas relataram problemas de rins e fígado em pacientes tratados com o kit covid , administrando doses maciças de ivermectina tal qual fizeram com o assassinato dos idosos com excesso de hidroxicloroquina. Coisas de petralhas .

    • Goiano, a reportagem começa assim:

      “Medicamentos comprovadamente ineficazes contra Covid-19, como hidroxicloroquina, ivermectina, azitromicina e anticoagulantes,….”

      Toda afirmação tem que ter uma fonte e a reportagem do UOL não cita quais os estudos científicos que mostram a comprovação da ineficiência dos remédios acima.

      Também não há estudos em fase 3 que comprovam a eficiência, apenas estudos em fase 2.

      O que temos é que, quando os renomados Doutores Callil e UIP do renomado Sírio Libanês pegaram a gripe chinesa, eles se trataram com o kit acima.

      Ah, e a Dra. Ludhimila, aquela que disse ser contra o Kit, tem um vídeo dela agradecendo a vida de seu pai graças ao kit de tratamento precoce.

      No mais sou como o Picas logo acima: todo remédio tomado em excesso faz mal e a Invermectina precisa ser tomada em uma dose 10 x maior para causar problemas, enquanto o Paracetamol, se tomado em doses 2 x maior prejudica o fígado.

  2. É verdade, será preciso confirmar muitas coisas a respeito de medicamentos para tratamento da Covid 19; a doença está sendo conhecida à medida que ela avança e os cientistas correm atrás de encontrar soluções, como medicamentos profiláticos, drogas curativas e vacinas, além de novas estratégias de tratamento, como foi o caso de deitar o paciente em UTI de bruços, para melhor oxigenação.
    Assim, só mais tarde saberemos, com certeza, quais são eficazes, quais ineficazes, quais prejudiciais à saúde, quais inócuos.
    Por enquanto, tanto quanto à eficácia ou ineficácia, quanto aos danos à saúde, os resultados são apenas observacionais, não consta que haja conclusões definitivas em qualquer sentido.
    Mas, as pessoas se apegam ao que médicos dizem a favor ou contra.
    Outras vão na onda.
    Desse modo, hoje um conhecido, na faixa dos seus cinquenta nos, me informou que toma Ivermectina há muitos meses e que não tinha conhecimento de possíveis efeitos danosos à saúde (eu sugeri que ele faça pesquisas e converse com algum médico, inclusive sobre a dosagem “correta”).
    Mas, devemos ficar atentos, para fugir de erros contornáveis.
    Desde que o tratamento com Cloroquina/Ivermectina e outros surgiu, muitos o consideram profilático e curativo, outros acham ineficaz e perigoso.
    Por exemplo, em 8 de julho de 2020
    “COVID-19: Estudo da OMS aponta ‘evidências conclusivas’ de ineficácia da hidroxicloroquina
    Poder da cloroquina contra COVID-19: ‘Tão mito quanto o Messias’, diz médico.
    Cloroquina é ineficaz contra COVID-19 e aumenta risco de doença cardíaca e morte, diz estudo.
    O paciente, de 50 anos, é morador de Indaiatuba, e não tem histórico de doenças de base. Ele teve COVID-19 e, segundo relatos, cerca de três meses depois de se curar da doença, teve sintomas de peles e olhos amarelados. O paciente fez uso de ivermectina, hidroxicloroquina e azitromicina, além de zinco e vitamina D.
    As lesões causadas pelo uso do kit COVID foram graves e, agora, o paciente terá que se submeter a um transplante de fígado.
    Ainda, segundo informações da Unicamp, duas pessoas com quadros clínicos semelhantes morreram antes dos estudos clínicos serem concluídos ou do transplante ser efetuado.
    O kit COVID ficou conhecido em razão da recomendação feita pelo governo brasileiro.
    Isso porque o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) já defendeu diversas vezes o uso dos medicamentos do kit como tratamento para COVID-19.
    Esses medicamentos não apresentam eficácia comprovada e, pior, tem efeitos adversos graves à saúde”.
    Essas questões acabam sendo desacreditadas, seja pelos bolsonaristas, que fazem de um tudo para dar apoio ao seu chefe, quanto pelos esquerdistas, que desconfiam de tudo que a direita defende.
    Olho vivo e Lula 2022.

  3. Goiano, o kit Covid já salvou a vida de milhares de brasileiros que tiveram o privilégio de ter detectada precocemente a doença chinesa e depois se trataram com o kit devidamente prescrito por um médico.

    Só no governo federal mais de 200 pessoas (inclusive o PR e sua família) já pegaram a doença e foram salvas pelo tratamento precoce.

    Cidades inteiras (P. Feliz/SP e P. Seguro/BA) estão se mantendo livres de crise de saúde por adotar o kit. O presidente do CFM (Conselho Federal de Medicina) dá aval ao uso da Cloroquina

    https://www.youtube.com/watch?v=OzWWOnHsq1A

    Agora, um único paciente apareceu 3 meses depois de ter se salvado da gripe chinesa com complicações no rim e a Unicamp já conclui que Invermectina é perigosa? Que estudo foi esse? Qual foi o médico que tratou o paciente? A quantidade de remédio que ele tomou?

    Goiano, se isso é estudo científico eu sou o Einstein.

      • João Francisco, tens uma certa razão quanto à questão de ser insuficiente um (ou três, né?) caso de problema decorrente do uso de Ivermectina ou de cloroquina, embora esses medicamentos provoquem reações adversas, mesmo com o uso das dosagens recomendadas para os tratamentos a que classicamente se destinam.
        Sabe-se que a superdosagem de medicamentos, qualquer medicamento, é perigosa e consta que para Covid 19 as “recomendações” ultrapassam em muito o aconselhado.
        Relatei que um amigo está tomando há vários meses Ivermectina e alertei-o para perigos anunciados pela imprensa. A dosagem para infecção spor parasitas, que é para que ela serve, é de uma vez, um único dia, no máximo 200mck/kg, de modo que se pesas, por exemplo, 70kg, vais tomar 12mg. Reforço em três ou doze meses, dependendo de circunstâncias.
        Pois, esse amigo está usando já por sete meses a dosagem de 12mg mensais, e é sabido que Ivermectina pode aumentar a presença de enzimas hepáticas em exames de sangue mesmo em dosagem normal, o que pode levar a hepatite medicamentosa, de modo que o alerta a respeito de possibilidade de danos sérios à saúde não é desprovido de bases científicas, confirmada por observações clínicas.

        CONCLUSÃO: Há fundadas dúvidas sobre a eficácia ou ineficácia dos medicamentos profiláticos e curativos de Covid 19 e a comunidade científica, considerada como tal os grupos de pesquisadores que realizam estudos específicos sobre os tratamentos, tem sido unânime em declarar que ainda não existe tratamento para prevenção e cura de Covid 19.
        Por outro lado, os tratamentos que vêm sendo usados com certos medicamentos usados para outras doenças são feitos com dosagens mais elevadas, pois, mesmo que tomadas na dosagem correta (o que nem sempre acontece), são usadas por períodos maiores do que os usualmente aplicados nas doenças a que se originam, o que deve constituir superdosagem, aumentando os riscos de efeitos colaterais, indesejáveis e perigosos.
        Cuidado especial deve ser tomado com outros efeitos graves de cloroquina, hidroxicloroquina e ivermectina, especialmente se tomados em grande quantidade e indiscriminadamente, que são os efeitos colaterais político-ideológicos, são resistentes à desintoxicação.

  4. João Francisco,
    CONTINUANDO,
    convém revisar os dados e avaliações a respeito de Porto Seguro, BA (17.006 pessoas recuperadas, totalizando um percentual de 98,5% entre os suspeitos e confirmados de COVID-19, sendo 129 óbitos) e Porto Feliz, SP (47 mortos pelo novo coronavírus e 5.221 pessoas contaminadas).

    • Goiano, deixa eu te explicar uma coisa. Suponhamos que uma cidade tenha 20 leitos de UTI para tratamento da Gripe chinesa disponíveis (caso de Porto Seguro). Digamos que 4 leitos estejam ocupados com o pessoal da cidade e 16 livres. O Governo Estadual manda 16 de outras cidades para tratamento lá. Obviamente mais gente vai morrer.

      O prefeito de p. Seguro já explicou isso em vídeo

  5. João Francisco, em 5 de março, ou seja, há vinte e quatro dias, o prefeito de Porto Seguro, Jânio Natl, deu uma entrevista para telejornal da Globo dizendo que estavam havendo 80 infecções por dia e 5 óbitos por semana por Covid 19. Ele não fala nada de Kit Covid, mas informa que está adotando uma série de providências quanto ao transporte coletivo, que ele acredita ser um ponto de destaque para a transmissão.
    Ele não menciona que as pessoas que estão morrendo lá vêm de outras cidades para ocupar leitod de UTI cedidos.
    Eu recebo muita coisa e também fuço bastante a Internet e não vi essa informação a que te referes.
    A entrevista está em
    https://globoplay.globo.com/v/9322749/

  6. João Francisco, estás acompanhando o lockdown da Inglaterra?
    “Covid-19: como o Reino Unido fez número diário de mortos desabar de 1,3 mil para 36”
    O caminho para saída passou por duas medidas que foram as principais apostas do governo do premiê Boris Johnson: lockdown bastante restrito e grande investimento em vacinação.

    • Goiano, uma hora o nº de casos iria cair na Inglaterra, com ou sem lockdown. A Ângela, Ministra da Alemanha dia desses pediu desculpas pelos estragos do Lockdown que ela causou.

  7. João Francisco,

    1) Drª Raíssa: Muitos médicos acreditam no Kit Covid ainda que essa crença possa ser infundada, sendo uma causa disso o fato de que muitos não se infectam, em média 80% dos infectados têm sintomas leves.
    Daí, se um médico receita o Kit Covid para 100 pessoas, não se sabe quantas se infectariam; mas digamos que 20 dos ue tomaram o Kit voltaram apresentando sintomas.
    O médico dirá, primeiro: ora, o resultado inicial foi de 80% de êxito, embora não saiba se os que não se infectaram foi por causa do kit ou porque obedeceram às regras de higienização e distanciamento.
    Mas o médico já tem o primeiro resultado.
    Em seguida, ele aplica uma nova dosagem para os vinte que se infectaram.
    Os dados indicam que 80% dos infectados terão sintomas leves.
    Quando os vinte retornam, o médico verifica que 16 pacientes tiveram sintomas leves, o que o faz concluir que a Ivermectina funcionou novamente, sendo que, na verdade, os dados indicam que dos 20 infectados 16 teriam sintomas leves usando ou não o kit covid.
    O médico, feliz, continua aplicando o kit em 4 pacientes que retornam.
    Acontece que a taxa de mortalidade é de 2,5% e dos 100 atendidos pelo médico, no caso por impossibilidade matemática.
    Resultado comemorado pelo médico: com o uso do Kit Covid de 100 pacientes poucos tiveram sintomas leves e nenhum morreu, o que lhe dá taxa total de sucesso de profilaxia e de manutenção da vida.
    Mas, em Porto Seguro, segundo o prefeito dada uma semana antes da Drª Raíssa, houve 80 casos de contaminação por dia e 5 mortes por semana, quase 1 morte por dia (estatística permite isso, teres 0,71% de pessoa morta…).
    Aí, o sucesso já não se revela total, porque em Porto Seguros teriam sido 2.400 infecções em um mês e 20 óbitos, mesmo com a distribuição do Kit Covid.
    Os dados estatísticos, até apurações futuras que demonstram estarem equivocados, apontam para o fato de que o Kit Kovid não é o responsável pela contenção de infecção nem de óbitos.
    Esse viés observacional tem, segundo os cientistas, levado muita gente, inclusive administradores públicos e até médicos, a avaliarem equivocadamente os efeitos de algumas drogas no tratamento de Covid 19.

    2) O argumento de que não foi o lockdown um dos elementos decisivos para diminuir a propagação de Covid 19 e dos óbitos na Inglaterra (1.300 mortes para 36) “porque o nº de casos iria cair na Inglaterra com ou sem lockdown”, mereceria, a meu ver, um comentário sarcástico do Editor do Jornal da Besta Fubana, do tipo que ele costuma dirigir a meus textos e comentários.

    3) Não foi isso que a Merkel disse, mas eu entrego os pontos, João Francisco, desisto: Bolsonaro 2022.

  8. ERRATA:

    Onde se lê
    “Acontece que a taxa de mortalidade é de 2,5% e dos 100 atendidos pelo médico, no caso por impossibilidade matemática”,

    Leia-se
    “Acontece que a taxa de mortalidade é de 2,5% e dos 100 atendidos pelo médico nenhum morreu, no caso por impossibilidade matemática”.

  9. Segundo um certo sujeito , para evitar o corona é bom tomar vitamina C e sol para sintetizar vitamina D . Bom , acredito que precisamos de todas , do alfabeto inteiro . Aqui o Iluminado nos fornece gratuitamente vitamina B esta que nos faz rir, e movimenta o jornal e os músculos da face .
    Como escrevia outro simpático colunista , P.S. 57.796.986 – Após vitamina B não há virgula e também a palavra logo após não se refere a terceira pessoa do indicativo do verbo estar. Tudo brincadeira porque amanhã a turma do 69 ( é 69 anos ) , tomara a primeira dose da vacina . Apesar de alguns pegarem a doença após vacinados , temos que arriscar.

Deixe uma resposta