DEU NO JORNAL

O Supremo Tribunal Federal julga nesta semana a ação que visa permitir reeleição de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre como presidentes de Câmara e Senado, respectivamente, e pode levar o ativismo judicial a um novo patamar, segundo juristas.

Para o especialista em direito constitucional Acácio Miranda da Silva Filho, a ação movida pelo PTB trata dos regimentos internos, que não podem desrespeitar o que prevê a Constituição. A menos que o STF invente o “ativismo constitucional”.

“Plantações” atribuídas a Rodrigo Maia em Brasília dão conta de que a maioria dos ministros se inclina a quebrar esse galho para a dupla.

Silva Filho explica que a Constituição, por si só, proíbe a reeleição na mesma legislatura.

Regimento interno não é maior que a Constituição.

O Art 57, parágrafo 4º determina explicitamente que é “vedada recondução para mesmo cargo na eleição imediatamente subsequente”.

Adotando mais uma interpretação criativa, o STF viabilizaria a reeleição de Maia e Alcolumbre e inviabilizaria de vez o governo Bolsonaro.

* * *

É de lascar!!!!

É pra arrombar a tabaca de Xolinha!!!!

Eu estava em dúvida se ilustraria esta postagem vomitando no meu pinico – com nojo dessa pocilga chamada STF (sem qualquer ofensa aos porcos…) -, ou se ilustraria dando uma banana pra essa gangue togada, cada dia mais afoita e cara-de-pau.

Aí tomei a decisão:

Vou ilustrar com as duas fotos.

Esses urubus merecem.

8 pensou em “SUPREMO LAMAÇAL

  1. Não sei quem escreveu o texto , mas ele está redondamente enganado ao escrever ” Regimento interno não é maior que a Constituição.” . Segundo Randolfe Rodrigues , ele é , e por isso é que a Dilma manteve os direitos políticos que deveriam ter sido cassados junto com o mandato . E ele teve o aval doa alto saber jurídico do ministro Lewandoski.

  2. O “stf” é igual ao papel higiênico Neve que a cada dia diminui a espessura das folhas e não está servindo para o que se propõe.

Deixe uma resposta