DEU NO JORNAL

Marco Aurélio Mello criticou um funcionário do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina por ter se dirigido a ele, para convidá-lo à cerimônia de entrega de uma medalha a Jorge Mussi, ministro do STJ.

Em ofício enviado ao presidente do TRE-SC, em que recusa o convite para a solenidade, Marco Aurélio reclamou:

“Integrante de cerimonial não se dirige diretamente a ministro do Supremo”.

Leia a íntegra do ofício:

* * *

Integrante de Cerimonial não se dirige a Ministro do Supremo“.

É phoda!!!!

É pra arrombar a tabaca de Xolinha!!!

Excesso de falta do que fazer.

Excesso de coçação de saco remunerada com dinheiro público.

Um reles mortal não pode se dirigir a um Deus do Supremo.

Vindo de um pretensioso que ocupa uma das 11 cadeiras daquele antro de babacas, tudo é possível.

Tudo mesmo.

Até uma idiotice dessas.

Um sujeito metido a Anjo das Alturas que quer dar um peido maior do que a bunda e acaba amostrando quem realmente é.

Prestem atenção que na assinatura do ofício-tolôte ele não colocou o sobrenome “Mello”.

O mesmo sobrenome do primo ladrão, do primo corrupto, do primo enxotado da presidência que o nomeou pro STF, o ex-presidente Fernando Cocaleiro de Mello.

Um parentesco que tudo explica.

Nêumanne estava com a razão quando entupiu o furico deste babaca com uma resposta certeira:

Deixe uma resposta