SUPREMA INDECÊNCIA FEDERAL

A revista Crusoé mostra casos em que o STF foi generoso com políticos e empresário, dando-lhes o direito a responder processos em liberdade, e inclemente com brasileiros que cometeram pequenos crimes.

Veja este caso:

“Analfabeto e alcoólatra, Evanildo José Fernandes de Souza passava o dia perambulando pelas ruas de Viçosa, interior de Minas Gerais. Em 2011, ele furtou uma bermuda em uma loja da região central da cidade. Logo uma equipe da PM o prendeu com a peça de roupa, vendida a 10 reais. Solto dias após o flagrante, respondeu o processo em liberdade, mas não escapou da condenação a um ano e sete meses de prisão em primeira instância. A pena foi mantida no TJ de Minas Gerais e no Superior Tribunal de Justiça. Em nome do réu, defensores públicos federais apresentaram um recurso no STF. Pediram a aplicação do princípio de insignificância, argumentando que não houve prejuízo à loja. Coube ao próprio Toffoli analisar o caso. Em junho de 2018, veio a decisão: por ter praticado outros pequenos furtos, Evanildo tinha de ficar trancafiado.

Uma semana antes, o mesmo Toffoli deu a José Dirceu o direito de aguardar em liberdade pelo julgamento de um recurso.”

* * *

Assim é o órgão maior da nossa justiça: generoso com ricos e poderosos, e inclemente com pobres e inofensivos infratores.

Esta é apenas mais uma das inúmeras patifarias cometidas por este esgoto imundo presidido pelo militante petista Toffoli, pau-mandado de José Dirceu no Palácio do Planalto e indicado pelo seu chefe, o Corrupto-Mor, para botar a bunda numa cadeira do STF.

Indicado mesmo contrariando a letra da Constituição, já que não tinha qualquer saber jurídico, muito menos notável, nem tinha também reputação ilibada. Clique aqui e veja matéria na página Jusbrasil.

Esta vergonha nacional representada pela sigla STF é um recanto sujo, poluído, enlameado, que conta com figuras asquerosas e deprimentes do porte de Gilmar, Marco Collor de Mello e Levandinho Safado.

Leia a reportagem da revista CrusoÉ na íntegra clicando na imagem abaixo:

Deixe uma resposta