CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

O BRASIL NÃO É PARA AMADORES

Faz alguns dias, ouvi de um devoto da seita dos despejados, que os brasileiros tiveram um salto no valor do salário mínimo depois de 2003. Correto. O problema é que dinheiro não nasce em arvore. O salário mínimo anunciado pelos governos seja ele qual for, é uma referência para os empresários que, por lei, não podem pagar um valor menor aos seus empregados.

Ora, o empregador tem que repassar esse aumento nos seus custos. Aposentei em empresa privada e tão logo era anunciado o percentual de aumento do salário mínimo, também era confeccionada uma nova lista de preços para venda dos produtos. Ou seja, produtos mais caros nas prateleiras.

Em alguns produtos não é sentida alteração nos preços de imediato pois, sempre existe algum estoque que pode ser utilizado pelo comerciante para não ter um impacto negativo nos seus negócios e até opta por aumentos homeopáticos que, dependendo do produto, passam até desapercebidos.

Vacas gordas e magras

Vamos nos referir aos aposentados que recebem um salário mínimo. Nesse caso, o pagamento é feito pelo INSS. Até onde eu sei, o INSS, paga aposentados com o dinheiro arrecadado daqueles que estão em atividade e contribuem com um desconto mensal em seus rendimentos.

No caso do INSS, só posso entender que havia dinheiro em caixa, portanto, os aumentos foram mais ousados e hoje a coisa mudou de tal forma, que já falam dia e noite sobre reforma da previdência. Alguém consegue explicar essa aritmética? Talvez uma atitude prudente, fosse apenas ler a história de antigo Faraó do Egito, que ficou preocupado quando 7 vacas gordas foram engolidas por 7 vacas magras num sonho profético.

Faltou falar do “Calcanhar de Aquiles”, os funcionários públicos.

Não me atrevo, o bolo cresceu muito e só espero que tenham sabedoria para entender que, todos somos iguais perante a “Lei” e isso se aplica também aos sacrifícios que, são impostos por governos quando resolvem fazer qualquer alteração em sua Constituição.

Termino com a celebre frase:

O Brasil não é para Amadores.

Deixe uma resposta