FRANCISCO ITAERÇO - MEUS RISCOS E RABISCOS

Estou tendo visões
Alma de saia curta
Acima dos joelhos
Lábios vermelhos
Cintura muito fina
Pernas grossas, longas…
O resto não sei
Não observei
Fecho os olhos
Faço uma prece
Com um pedido:
Ah quem me dera
Se acaso eu pudesse…
Abro os meus olhos
E a visão já era
Acho, era pecado
Sou um caso perdido

6 pensou em “SONHO PROIBIDO

    • Meu caro Mauricio Assuero, era alma sim senhor, perdido é porque era sonho quando acordei a alma sumiu. Mas deixa estar dá próxima vez sonharei acordado. Obrigado mano véio. Boa noite.

  1. Ah quem me dera…
    Se acaso eu pudesse…

    O imaginativo Sancho foi subindo por longas pernas da moça do poema de Itaerço…

    Abraço grande, poeta

    • Meu caro amigo Sancho, largue as pernas longas da alma do meu sonho, contente-se com a poesia. Rsrsrsrsrsrsrs. Obrigado meu irmão pela leitura e pelo comentário. Um abraço e boa noite.

      Itaerço
      Imperatriz-ma

  2. Parabéns pela beleza do poema, querido poeta Itaerço Bezerra! Os sonhos bons alimentam a alma e tornam a vida colorida!

    Grande abraço e “nunca desista dos seus sonhos”!

    Violante Pimentel Natal (RN)

    • Minha querida amiga Violante Pimentel, que bom ler seu comentário, mesmo distantes estamos juntos e misturados pela minha poesia e pelos seus causos. Obrigado querida amiga, meu abraço e boa noite.

      Itaerço
      Imperatriz-ma.

Deixe uma resposta