DEU NO JORNAL

Empresários com interesse em comprar medidas provisórias, durante o governo Lula, já chegavam às reuniões para tratar do assunto levando o texto a ser assinado pelo presidente da República e o então ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Esta é uma das revelações mais contundentes de Antonio Palocci, ex-ministro da Fazenda do governo Lula, ao relatar como empresários com dívidas bilionárias em impostos compraram a MP 470, autorizando o parcelamento desses débitos.

Odebrecht pagou R$ 50 milhões pela MP 470 e totalizou R$ 14 milhões o suborno pago por Benjamin Steinbruch, da CSN, diz o ex-ministro.

O magnata do setor de distribuição de combustíveis Rubens Ometto também participou da compra da MP 470, segundo acusa Palocci.

“Eles trabalhavam intensamente até na redação (das MPs)”, afirmou Palocci, durante seu depoimento em acordo de delação premiada.

“Muitas vezes, empresas como a Odebrecht levavam a redação da MP pronta”, reforçou o ex-ministro durante depoimento a procuradores.

* * *

Isto é muita sacanagem destes empresários.

Eles se aproveitavam do fato de que o pobre e inocente Lula não sabia ler, e já levavam as medidas provisórias prontinhas pra ele assinar, com o dedo polegar lambuzado em tinta de carimbo.

Uma maldade muito grande

Esta bomba palocciana será desativada pelo fubânico Ceguinho Teimoso.

Ceguinho, um lulo-petista que enxerga muito bem tudo que acontece neste Brasil, é especialista em desmentir estas sacanagens contra o melhor e mais honesto presidente que o Brasil já teve desde o seu descobrimento.

Se o Globo, a Folha, o Estadão e a Veja não estão publicando ABSOLUTAMENTE NADA sobre as delações de Palocci, é porque elas são mentirosas.

Deixe uma resposta