SÓ EM BANÂNIA MESMO…

O “principado” do tráfico de drogas, estabelecido no Rio de Janeiro por decisão judicial que proíbe operações policiais contra os bandidos nas favelas, durante a pandemia, atingiu seu momento mais baixo com a reclamação do Partido Socialista Brasileiro (PSB), Defensoria Pública e ONGs contra o governador e o procurador-geral de Justiça, pelo fato de policiais terem atrapalhado e impedido uma grande festa de aniversário de um chefe do tráfico, onde criminosos exibem armas e vendem drogas.

A queixa do PSB et caterva, vergonhosa, foi ao ministro Edson Fachin, autor da liminar que proíbe a polícia agir contra bandidos nas favelas.

O promotor Bruno Carpes, conhecido por sua atuação corajosa contra o crime, classificou essa situação como “teatro dos absurdos”.

Para Bruno Carpes, o Estado optou por deixar as populações dessas favelas dominadas por traficantes, “agentes do mal e do terror”.

Parece realidade paralela: as autoridades agora precisam explicar os motivos para combater o tráfico.

Já traficantes, não podem ser presos.

* * *

Partido Socialista se queixa a um ministreiro do supremínimo…

Num vou fazer comentário.

Os fubânicos que são militantes zisquerdais solicalistas vão explicar pra gente.

Vou apenas fechar a postagem com uma linda canção para amenizar o nosso emputecimento.

1 pensou em “SÓ EM BANÂNIA MESMO…

  1. Lapa de Corrupto e sua seita fundamentalista jubilosamente comemoram mais esta grande conquista social desta nobilíssima classe trabalhadora (afinal, tráfico só não é trabalho por que Jeânus Uiui não conseguiu, enquanto parlamentar, enquadrar esta prática nos moldes da CLT).

    Judas Marreco também fica muitíssimo venturoso, pois é o excelso “stf” (tá em maiúsculo em tamanho 2 de fonte) está garantindo a lei e a ordem na vida de tão probos cidadãos brasileiros colecionadores de guarda-chuvas, pois a capital fluminense (principalmente nas favelas) é chuvosa o ano inteiro e há vários anos.

Deixe uma resposta