MARCOS ANDRÉ - DADO & TRAÇADO

Não existe mágica ou remédio. Qualquer pessoa, independentemente de seu nível cultural, social ou econômico, sabe que o melhor caminho para uma vida boa e saudável é manter bons hábitos alimentares, praticar regularmente atividades físicas dentro de suas reais possibilidades. Além de procurar evitar comportamentos de risco a saúde e integridade física, terá que aprender a ter que conter os excessos (prazeres) que a vida, gentilmente, sempre nos convida e seduz.

O 1º dia de outubro, é comemorado no Brasil o dia do idoso, por conta da criação do estatuto que resguarda seus direitos. E de uma maneira bem positiva e filosófica, J.R Nascimento e outros escritores e filósofos, conceberam uma marcante distinção do que vem a ser ‘velho’ e ‘idoso’ com muita propriedade.

Disseram que, enquanto o idoso sonha, o velho apenas dorme. Idoso é aquele que ainda aprende, o velho se recusa até ensinar. O idoso se renova a cada dia que começa, o velho se acaba a cada noite que termina, pois, enquanto o idoso tem os olhos postos no horizonte, de onde o sol desponta e ilumina a esperança, o velho tem sua miopia voltada para as sombras do passado. O idoso se exercita e medita, o velho descansa e resmunga.

Em contrapartida o idoso ama e faz planos. O velho sente ciúmes e rancores. O idoso curte o que lhe resta da vida; o velho sofre pensando nos seus últimos dias.

Tudo bem. É frustrante quando você constata que os países tidos como civilizados e adiantados, cuidam bem das pessoas da 3ª idade. Por aqui, com o advento da aprovação do Estatuto dos idosos, importantes conquistas foram incorporadas aos cuidados e reverencia para com os nossos “coroas”, quais sejam:

I) Meia entrada em atividades de lazer e espetáculos

Pessoas acima de 60 anos têm direito a 50% de desconto na entrada de qualquer atividade esportiva, artística e cultural. Para ter acesso ao benefício, basta apresentar o RG no momento da compra do ingresso.

II) Gratuidade no transporte público e interestadual

Ônibus, metrô e trem são gratuitos para os maiores de 65 anos, basta apresentar a carteira de identidade para comprovar o direito ao benefício. Vale destacar que em alguns municípios é necessário realizar um cadastramento para a obtenção do passe ou bilhete eletrônico. Procure orientação nos postos da Prefeitura da sua cidade.

Já no sistema de transporte coletivo interestadual, há duas vagas gratuitas aos maiores de 60 anos que recebem até dois salários mínimos. Se os dois lugares gratuitos tiverem sido preenchidos, quem se enquadrar nessas condições ganha 50% de desconto na compra de um outro bilhete.

Nesse caso, a passagem deve ser solicitada com antecedência mínima de três horas e o passageiro deve apresentar documentos que comprovem sua identidade e renda.

III) Isenção no IPTU

A isenção no pagamento do IPTU é uma política municipal e varia de caso a caso. Procure a Prefeitura da sua cidade e verifique quais são os critérios de isenção e providencie os documentos necessários para conseguir o benefício.

IV) Isenção total ou parcial do Imposto de Renda

● Isenção parcial

Aposentados e pensionistas acima de 65 anos têm direito à isenção parcial no Imposto de Renda. Isso quer dizer que eles não pagam tributos sobre os R$1.499,15 reais garantidos a todos os cidadãos pela tabela progressiva e sobre outros 1.499,15 reais por terem mais de 65 anos.

● Isenção total

Aposentados que possuem doenças graves como mal de Parkinson, câncer, AIDS e paralisia irreversível podem ganhar isenção total do Imposto de Renda. Basta o contribuinte apresentar um laudo pericial emitido por um serviço médico reconhecido pelo Governo ao INSS.

V) Limite de reajuste em planos de saúde

As operadoras de planos de saúde não podem aumentar o valor da mensalidade dos planos com base na mudança de idade de seus clientes com mais de 60 anos. O aumento só pode ocorrer por reajustes anuais previstos pela ANS (Agência Nacional de Saúde). Até agora, este direito é ardilosamente e solenemente driblado e, pra tristeza de muitos, a ANS faz de conta que defende o idoso. Tem que se ligar.

VI) Desconto em viagens

Em 2007, o Ministério do Turismo lançou o programa Viaja Mais Melhor Idade, que oferece benefícios para pessoas com mais de 60 anos através de parcerias com agências e hotéis. É possível obter descontos de até 50% nas tarifas de baixa temporada em mais de 2.000 estabelecimentos conveniados no país.

VII) Prioridade em processos judiciais

Quem tem acima de 60 anos pode furar a fila de espera da tramitação dos processos em qualquer instância da Justiça. Basta pedir ao seu advogado para fazer o requerimento do benefício à autoridade judiciária específica do caso. (creia)

VIII) Prioridade em programas habitacionais

Maiores de 60 anos também têm prioridade para adquirir a casa própria em programas habitacionais públicos ou subsidiados pelo governo. Além disso, 3% das unidades habitacionais são reservadas para os idosos e os critérios de financiamento devem ser compatíveis com os rendimentos das aposentadorias. Para ter acesso ao benefício, basta entrar em contato com a empresa responsável pelo programa habitacional.

Hoje, com o avanço da ciência e da tecnologia, foram conquistados significativos sinais de progresso, na expectativa de se amenizar alguns dos impactos provocados pelo nosso desgaste natural e orgânico do corpo. Ou simplesmente, a velhice.

Por isso, não se pode deixar levar e se abater, com o excesso de carga do “Sincericídio” destilado de bate-pronto, pela mãe do nosso respeitado Mestre e colunista, José Paulo Cavalcanti – CONVERSAS DE MEIO MINUTO (5) – D. Maria Lia, durante uma entrevista a uma repórter:

– Dona Maria Lia, o que é a velhice?

– A velhice, minha filha… é uma merda.

Mas, o mais importante e melhor de tudo, é ter plena consciência de que, independentemente da idade que consta lá no cartório, a idade da sua mente, espírito e coração, continue a produzir bons frutos, passar conhecimentos e servir de exemplo para os mais jovens. Pois o espírito nunca envelhece.

21 pensou em “SER VELHO OU IDOSO, EIS A QUESTÃO!!!

    • Pois é, Beni Tavares. Por mais que procurei dourar a pílula, não pude me furtar em trazer a sapiência de D. Maria Lia no contexto.

      Grato pela participação.

  1. Gratíssimo pelo comentário elogioso, Mestre Paulo.

    Burilei, procurando trazer alento , informação e filosofia à boa idade.

    No entanto, ficou marcada a contribuição “cirúrgica” no lúcido e perfuro cortante parecer, dela.

    Tive que registrar.

    Mas, a culpa foi dela.

    Cordiais saudações.

    • Muito obrigado, Dr Carlos Xavier.

      Na gazeta mais escrota da internet, você e qualquer um pode enviar textos, comentários e críticas de qualquer vertente.

      Sinto-me feliz com sua honrosa participação.

      Até a próxima.

    • Muito grato pelo comentário, querida poetisa!

      Foi unanimidade. A declaração de D. Maria Lia, foi a cereja do bolo do texto.

  2. Não mais que uma zherda a tal velhice?

    O menino Sancho discorda e segue brincando pela vida: “Nós não paramos de brincar porque envelhecemos. Nós envelhecemos porque paramos de brincar.” George Bernard Shaw

    “Se você está desejando juventude, acho que isso te faz ser aquele velho estereotipado, porque você só vive na memória, você mora em um lugar que não existe. O envelhecimento é um processo extraordinário em que você se torna a pessoa que você sempre deveria ter sido.” David Bowie

    “Quando você chegar à minha idade, você medirá seu sucesso na vida por quantas pessoas você desejou ter te amado realmente, te amam… Se você chegar à minha idade na vida e ninguém pensa no seu bem, não importa quão grande seja sua conta bancária, sua vida é um desastre. Essa é a melhor prova de como você viveu sua vida.” Warren Buffett, dirigindo-se aos estudantes da Georgia Tech que perguntaram sobre seu maior sucesso e fracasso.

    D. Maria Lia, durante uma entrevista a uma repórter:

    – Dona Maria Lia, o que é a velhice?

    – A velhice, minha filha… é uma merda.

    Uma pena que a repórter esqueceu de pergunta à sábia senhora:

    – Dona Maria Lia, o que é o Jornal da Besta Fubana?

    Talvez ela respondesse: é um lugar onde a primeira coisa que nos dá vontade de fazer é ter carteirinha, camiseta e crachá de FÃ dessa gente maravilhosa.

    EM TEMPO: Todas as carteirinhas de fã que Sancho coleciona desses colunistas maravilhosos está em dia.

    Sabe, Marcos André, o que deseja Sancho? Um dia dizer que já É VELHA A NOSSA AMIZADE.

    Até sempre!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!´

    • Meu caro Sancho, eu bem que gostaria de estar brincando, pulando, batendo minha bolinha, jogando meu futevoley, mas apesar da vontade ser imensa o corpo não segue com ela.

      • Falando em fã, como não ser fã de Beni?
        Concordo que fisicamente não seríamos “destaque” no seu amado futevoley, mas (inspirad´ssimo mas), a cada idade um brinquedo novo.

        Veja Sancho se adaptando:
        Faço contato com algumas “amigas” e nos reunimos para animada noitada de Strip Poker regado a umas cervejinhas e tira-gostos (Sancho pelado não é uma visão muito animadora, mas… brincar é preciso).

    • Mestre Sancho, nossa amizade é velha ou idosa?

      Talvez até provecta ou, quem sabe, vestuta. Ora! dá no mesmo.

      O importante é poder contar com o comentário de um dos ícones do IBF.

      como se diz por aqui: me sinto lisonjeado “até uma horas”

      Esta admiração parece até que é antiga…

      Um afetuoso abraço.

      .

  3. Parabéns pelo excelente texto, prezado Marcos André!

    Minha saudosa mãe, que, por coincidência, também se chamava Dona Lia, tinha pavor à velhice, desde jovem. Certa vez, respondendo à pergunta ” O que mais temes na vida?” num Álbum de Recordações de uma amiga, escreveu:

    “A velhice caprichosa,:
    Que faz da moça bonita,
    Uma megera maldita,,
    Uma carcaça horrorosa.”

    A criação do Estatuto do Idoso, no Brasil, foi um grande avanço social, que garantiu a cidadania a todos os idosos,, aposentados ou não, com direito a usufruir de benefícios dignos, como a meia entrada em atividades de lazer e espetáculos; gratuidade no transporte público e interestadual, ,entre outras benesses citadas por você.

    Gostei muito da “maneira bem positiva e filosófica”, com que “J.R Nascimento e outros escritores e filósofos, conceberam uma marcante distinção do que vem a ser ‘velho’ e ‘idoso’”..
    Realmente, o idoso nunca desiste dos seus sonhos e luta para não “entregar os pontos”. O Velho, ao contrário, só olha para o retrovisor do tempo, lamentando o passado, e se recusando a desfrutar do futuro que ainda lhe resta.

    A juventude não é um período da vida, mas um estado de espírito.
    Não é por termos vivido um certo número de anos que envelhecemos; envelhecemos porque abandonamos o nosso ideal.

    Somos tão Jovens, quanto a nossa Fé. E somos tão Velhos, quanto a nossa descrença. Seremos Jovens, enquanto nos conservarmos receptivos ao que é belo, bom e forte..

    “Se um dia teu coração for atacado e corroído pelo pessimismo, Que Deus, então, se compadeça de tua alma de VELHO!”

    Um grande abraço e um fim de semana cheio de saúde e Paz!

    • Fico sem palavras ante comentário tão grandioso, querida colunista.

      Um excelente fim de semana e um caloroso abraço

    • Minha coluna agrega personalidade, quando tem um comentário do porte que você retribui, campeão Kleber.

      Fervoroso abraço

  4. Parabéns Dr Marcos, suas colunas sempre maravilhosas.
    Kleber Quintas disse tudo, suas colunas são fáceis de ler e entender
    e engraçadas, com conteúdos sérios,
    estou aguardando a próxima.
    Um grande abraço.

    • Fico bastante agradecido pela participação, Sr Fernando Vaz ( Nando Vaz, a fera da voz e violão dos bares e eventos), mas, prefiro seus shows e performances no seu belo e reconhecido trabalho.

      Brigadão, amigo!

      • Obrigado pelas palavras Dr Marcos.
        Quando passar essa fase vamos marcar se reunir e fazer um som de MPB, é só o senhor marcar. Um grande abraço.

  5. A velhice é uma merda ?

    Sim, concordo plenamente. Acontece que nós em verdade não envelhecemos.
    Com o tempo vivido ganhamos experiencias, sabedoria, entendemos melhor os nossos semelhantes e pensamos muito mais antes de agir e tomar uma decisão.
    Nós não envelhecemos. Eu me sinto , no meu eu interno, a mesma coisa que
    sentia quando tinha 20/30 anos de idade. Eu nunca me senti diferente, nunca envelheci. Hoje tenho 85/86 anos e me acho muito mais sábio e com certeza tenho muito mais conhecimento e experiencia do viver neste mundo.
    Meus amigos, o que envelhece é esta roupa que usamos e chamamos de corpo,
    que fica estragada com muitos anos de uso e precisa ser trocada e para troca-la
    precisamos viajar à outra dimensão e programar o nosso roteiro de volta
    com muito mais experiência e sabedoria.

    Os verdadeiros espíritas não tem medo algum de deixar este mundinho que
    para nós é como um parque de diversão, muita distração, muita novidade, acontecimentos. alegrias e algumas tristezas, tudo fazendo parte do programa
    que foi escrito para ser vivido, tal como um enredo cinematográfico. Se o filme sai bom, ótimo, somos brindados com muita felicidade, mas se o filme sai ruim, mal acabado, cheio de falhas ou com a montagem confusa, foi falha nossa e
    precisamos tentar novamente, mudar o escript, mudar o cenário e muitas vezes mudar também os atores principais e coadjuvantes e fazer o impossivel para conseguir um bom desempenho.
    Se tudo der certo, mudamos a roupa velha gasta e subimos ao pódio em
    outra dimensão para recebermos o ” Oscar ” pelo bom desempenho terreno.
    Esta é a minha filosofia sobre a vida e a velhice.

  6. Agradeço pela magnífica explanação, Sr d.Matt.

    Temos visões semelhantes, principalmente no ponto de vista filosófico e espiritual.

    O espírito é como o condutor de um automóvel chamado corpo físico. Quando os “órgãos do carro (motor, amortecedor, pneu, escape, se desgastam requerem cuidados e reparos.
    Quando dá PT, aí o condutor (espírito) não mais tornará àquele carro.
    Só outro novo.
    O carro velho já se prestou ao que servia.

    Caloroso abraço de admiração.

Deixe uma resposta