DEU NO JORNAL

A avaliação do governo Jair Bolsonaro aumentou em fevereiro deste ano na comparação com dezembro de 2019 em todos os quatro pontos levantados pela pesquisa VEJA/FSB: a gestão propriamente dita, a forma como o presidente governa, o que foi realizado até agora em comparação com o que se esperava antes do início do mandato e a expectativa sobre como estará o país até o final da administração, em dezembro de 2022.

Segundo o levantamento, 36% avaliam o governo como ótimo ou bom contra 31% em dezembro – o aumento foi além da margem de erro, que é de dois pontos percentuais para cima ou para baixo.

A taxa dos que consideram a gestão ruim ou péssima, por outro lado, caiu de 35% em dezembro para 31% em fevereiro.

* * *

Isso aí deu na página da Veja de hoje, sábado.

Bom, se deu na Veja, expoente da grande mídia oposicionista zisquerdal, então é sinal de que não tem mais jeito de tapar o sol gigantesco que inunda o Brasil com uma minúscula peneira.

Na verdade, só tem um cabra neste mundo, além de Lula, que vai desmentir esta pesquisa da revistona.

Este cabra é o Ceguinho Teimoso.

E ele já está convocado pra exercer sua árdua tarefa aqui no JBF.

Aguardemos.

2 pensou em “SE RENDERAM-SE À REALIDADE

  1. Se a Veja, muito a contragosto informou/afirmou que 36% consideram como bom ou ótimo o governo de Bolsonaro, leia-se 72% *setenta e dois por cento)…
    #Bolsonaro2022

  2. É a primeira vez que vejo uma pesquisa feita pelo IPRI INSTITUTO DE PESQUISA DE REPUTACAO E IMAGEM LTDA, que atende pelo nome de fantasia Instituto FSB Pesquisa, mas isso não vem ao caso, fui ver dados anteriores e verifiquei que o mesmo Instituto fez uma pesquisa em dezembro de 2019 e naquela época um fenômeno estranho se revelou: Sério Moro e Jair Messias Bolsonaro empatariam no primeiro turno. A estranheza é que se o governo estivesse bombando não deveria estar emparelhado com candidatos como Joaquim Barbosa, Sérgio Moro ou Gabriela Hardt, porque esses três nunca administraram porra nenhuma, nunca viveram o ambiente da política e provavelmente dariam xabu na presidência da república, porque não basta ser juiz herói condenador para governar, mas basta para encantar as mocinhas que vão apertar o dedinho na máquina de eleger maluco.
    Quanto à popularidade do presidente Jair Messias Bolsonaro estar aumentando, parece lógico: uma das coisas que incomodam a direita é “esse negócio de ficar dando dinheiro para vagabundo”, e o governo vai comendo pelas beiradas e aos poucos trava o Bolsa Família e demais benefícios alcançados pelos menos afortunados (leia-se “pobres e miseráveis”).
    Ao que tudo indica, o inconsciente coletivo brasileiro pende preponderantemente para a direita, mas estava represado, porque era politicamente incorreto ser contra as conquistas sociais alcançadas pelos desassistidos.
    Agora, tá liberado geral.
    Aí, os moralistas estão dando as caras de montão, enquanto Jair Messias Bolsonaro alimenta as massas distribuindo bananas.

Deixe uma resposta