DALINHA CATUNDA - EU ACHO É POUCO!

Hoje sofro sem São João,
Sem fogueira, sem balão,
E o canto do meu amor.
Retirando seu chapéu,
Dizendo: Olha pro céu,
Repare quanto esplendor!

Chegou a praga, a desdita,
Chegou a peste maldita,
E acabou nossa ilusão
Fiquei sem meu arraial
Pois agora é virtual
Nossa festa e tradição.

Embora fique bem triste
Meu coração não resiste
E me pede pra cantar.
E eu entro na brincadeira
Acendo minha fogueira
E meu facho pra brincar.

Para seguir nova meta
Convido cada poeta
A fazer sua oração
Vamos rimar alegria
Fazer versos com poesia
Para festejar São João.

12 pensou em “SÃO JOÃO VIRTUAL

  1. Hoje sofro sem São João,
    Sem fogueira, sem balão,
    Mas (benedicto mas), nem tudo é tristeza não.
    Chegou a poeta, a bendita,
    Chegou Dalinha Bonita,
    Mais bela que a Maria do Lampião.

    • Pois é, Sancho Pança, vamos fazendo a festa om as ferramentas que temos. Obrigada pelos versos, sou fã de Maria Bonita.

  2. Não olho pro céu, meu amor
    Tamanha é a minha dor
    No alto, não há um balão
    Arraial não tem, nem pensar
    Fogueira não posso pular
    Acabaram com nosso S João
    XB

    • • Vou entrar nesse fuxico,
      • Eu quero brincar com Xico,
      • Giripoca vai piar.
      • No auge da brincadeira,
      • Dançando em volta a fogueira,
      • Vou ver Bizerra berrar.

  3. D. Dalinha, lhe confesso com emoção, fiquei feito buscapé aceso de tanta convicção. Poeta que é poeta louva sempre com amor nossa festa de São João.

    • Nesses dias de pandemia
      A dança, os fogos, a cantoria.
      Virou tudo uma quimera
      Ficou só na imaginação
      Brincar São Pedro e São João
      Ah! quem dera, quem dera!

      Esperei um ano inteiro
      Pelo santo padroeiro
      Poder reverenciar
      Digital frustração sem fim
      Bricar o São João assim
      É mesmo que não festejar

    • *
      Com o Carlos Eduardo,
      No arraial eu boto fé,
      Ele vem com emoção
      Aceso igual buscapé
      Gritando: Viva São João!
      E cheio de animação,
      Pra dançar no arrasta-pé.

  4. Se a Giripoca piar
    Eu não vou querer brincar
    Nem quero estar por perto
    Quero é ver dona Dalinha
    Dançar queimando a rodinha
    Num São João pra lá de certo

    • *
      Você é o meu exemplo,
      Resolvi me prevenir.
      Dançou queimando a rodinha
      E fez todo mundo rir
      Bebeu sem se controlar
      A fogueira quis pular
      Mas acabou por cair.

  5. Caí, mas não me queimei
    Não deixei-me pegar fogo
    A rodinha eu não queimei
    Pois não gosto desse jogo
    Fui foi cantar de galo
    Dalinha foi no embalo
    A franga tava de gôgo

Deixe uma resposta