A PALAVRA DO EDITOR

Embora tenham vividos em tempos remotos, sem explorar o mínimo traço de tecnologia, os romanos foram um povo sábio. Criativo. Cheios de ricos dons pessoais.

Na Roma antiga, misturados à sociedade, viviam filósofos e inventores ativos. Por isso, graças ao poder de criação dos romanos, a sociedade moderna herdou e utiliza muitas invenções do passado em algumas áreas. São técnicas produtivas, domésticas e de construção. Sem, no entanto, desconfiar da origem e procedência.

Deve-se aos romanos, a diversão e a participação em shows, na prática esportiva e, inclusive na vibração com os jogos intelectuais que passam de geração a geração, sempre aglomerando públicos.

Se o homem moderno sabe ler, evoluiu culturalmente, o agradecimento deve ser dirigido ao povo romano que teve a iniciativa de lançar o primeiro livro. Em substituição ao pergaminho ou as tábuas de pedra, tão comuns na época.

As proezas romanas são fantásticas. Com os livros, desenvolveram e compartilharam a cultura. O Direito Romano, resistente ao tempo, faz parte do cotidiano da atualidade. Inteligente, copiaram alguns inventos da cultura grega no campo da arte, pintura e da arquitetura.

Embora tenham sofrido intensa crise econômica e política, os romanos souberam dominar a corrupção nos governos, frear os gastos exagerados que desviaram montanhas de recursos do Império.

Com o poder de trabalho, os romanos transformaram um pequeno vilarejo num majestoso império, durante o século III a.C. que durou praticamente até o ano 476.

Foi na Roma antiga que surgiu o concreto, tão forte e resistente, capaz até de passar milênios, sem oferecer risco algum à construção, ao contrário do concreto atual, cuja resistência não passa de 70 anos. A durabilidade do material era garantida por causa da adição de pedras vulcânicas que, misturadas às cinzas dos vulcões, mais sal marinho e cal, tinham prazo de validade longevo.

Outra notável criação dos romanos foram as estradas. Inicialmente construídas com paralelepípedos, as estradas após 700 anos de uso foram pavimentadas para durar mais anos de uso. Resistir ao tempo.

Talvez o fã do Fast food não perceba, mas o criador deste tipo de comida rápida foram os romanos, desejosos de comer fora de casa, enquanto conversavam com os amigos. Ideia posteriormente copiada pelos americanos de Kansas que lançaram o hambúrguer em 1921, a preço de banana.

O leitor de jornais também deve agradecer aos romanos, o vício de acompanhar o noticiário pelos tabloides e se manter informado sobre os danos causados pelo coronavirus e outras desastrosas informações. Tudo começou com o registro das atas do Senado romano.

No tempo de Júlio Cesar, grande comandante e usuário de táticas populistas para se manter no poder, morriam muitas crianças durante o parto. Então, para salvar os nascituros, Júlio Cesar baixou um decreto ordenando aos curandeiros que na hora do parto difícil, fizessem cesarianas para salvar as crianças. Atualmente, com técnicas aprimoradas, as maternidades ainda realizam muitas cesarianas, desde que haja necessidade médica ou seja escolha das mães.

Se hoje as famílias usam água encanada em casa, a ideia veio da Roma antiga. Para garantir água nas casas, de maneira permanente, os romanos inventaram os aquedutos. Invenção que o homem moderno utiliza talvez sem desconfiar que a ideia partiu dos romanos.

O povo romano era metido a luxo. Então, para tomar banho quente, no maior conforto, os romanos criaram um sistema de aquecer tanto a água como a própria casa de banho.

Não resta dúvida. O maior Império da Antiguidade, foi tão importante na história mundial que o mundo ocidental ainda preza diversas influências romanas. No nome, na língua, na ciência jurídica, através dos códigos jurídicos, e até na política.

As palavras república, ditadura, senado, plebiscito, cônsul e magistratura, que o mundo ocidental não se cansa de utilizar, foram copiados do povo romano.

Deixe uma resposta