DEU NO JORNAL

O fim da regra que prevê prisão após condenação em segunda instância não levará felicidade apenas aos facínoras que clamam por impunidade.

Felizes também estarão seus defensores, que o ministro Luís Roberto Barroso chamou de “os mais brilhantes e caros advogados do País”.

Que devem multiplicar suas fortunas com ações para abrir as portas da cadeia à fina flor da bandidagem nacional.

Eles próprios estimam “bandeirada” R$ 3 milhões para cada caso relevante.

O padrão era este: o acordo de delação dos 77 diretores da Odebrecht rendeu a criminalistas R$ 2 milhões por cabeça. Total: R$ 144 milhões.

Criminalistas famosos cobram até R$ 3 milhões só para estudar o caso e decidir se o aceitam. Se topar, R$ 20 milhões de honorários por réu.

Criminalistas falam mal da Lava Jato da boca para fora. Adorariam homenagear a operação pela montanha de dinheiro que ganharam.

* * *

Vamos resumir tudo isto com um único dado:

Segundo a página Conjur, a Consultor Jurídico, o ex-ministro e advogado de Lula, Márcio Thomaz Bastos, já falecido, deixou herança de R$ 393 milhões para sua família.

E fico por aqui pra não aumentar mais ainda a minha pressão arterial.

Fecho esta postagem com uma música tocante e comovente.

Dedicada vocês sabem a quem.

Deixe uma resposta