ADONIS OLIVEIRA - LÍNGUA FERINA

A qualidade de vida da população brasileira é uma desgraça porque a qualidade das suas instituições é equivalente a uma latrina!

A qualidade das instituições brasileiras é esta desgraça que vemos porque as pessoas que as comandam são, em sua maioria absoluta, ou altamente incompetentes, ou bandidos da pior espécie. É um círculo maldito de causação circular que nos leva direto ao inferno na terra. Para os que não me acreditam, vamos aos detalhes:

1. Escolas – Este é o início de toda a nossa desgraça. No momento em que uma multidão de professorzinhos de merda parou de ensinar o BEABÁ e as tabuadas, e se arvoraram o papel de “educadores”, começou a bandalheira. Passaram a não ensinar o básico, para que as pessoas passassem a procurar o seu próprio autodesenvolvimento, já que se tornaram todos analfabetos funcionais, e invadiram as prerrogativas dos pais, ao incutir toda uma fieira de conceitos esdrúxulos na cabeça dos “educandos”. Coisas como ideologia de gênero, o politicamente correto, direitos das minorias abafando as maiorias, e por aí segue. Esta é a origem da geração de retardados mentais com as quais temos de conviver.

2. Universidades – Não fosse suficiente o desastre provocado nas escolas, coisa ainda muito pior aconteceu nas universidades! O milenar conceito de “Honra ao Mérito” foi célere para a lata do lixo. A partir das famigeradas cotas, onde a suposta etnia do candidato, ou mesmo a sua sexualidade bizarra, passa a valer mais que o mérito, até à formação das famosas panelinhas na administração, onde só entra quem for da gangue dos vermelhos, estas vetustas instituições, pilares maiores da formação da nossa elite pensante e de dirigentes da nação, viu-se rapidamente travestida num antro de maconheiros e de seres duma sexualidade disforme e aberrante, coadjuvados por uma filosofia de vida digna de um bordel de quinta categoria. Esta é a raiz da nossa incomensurável decadência. Para reverter este quadro dantesco, décadas e décadas serão necessárias. Não sei se ainda há possibilidade de remédio pois, quem poderia fazer isto, ou está morrendo ou indo embora do país. Nós somos a Biafra do futuro. A invasão dos bárbaros está se realizando a pleno vapor.

3. Bancos – Há que se fazer uma breve distinção entre bancos públicos e privados. Os públicos, imbuídos da maldita filosofia onde “O que é público não é para dar lucro”, passam a vida toda a fazer caridade com o dinheiro dos impostos. Os grandes beneficiados são aqueles que conseguiram uma sinecura em suas portentosas estruturas administrativas. O melhor exemplo é o Banco do Nordeste. Este deve ser o único banco do mundo que, apesar dos monumentais aportes anuais feitos pelo governo federal, sempre na ordem de muitos bilhões de reais, não consegue nunca fazer o seu Capital Social crescer. Todo o imenso volume de dinheiro aportado é consumido inteirinho pelo custo da administração, mais os empréstimos ridículos que fazem aos pequenos agricultores que, muito raramente os pagam. O mesmo se dá na Caixa Econômica, com os financiamentos imobiliários, especialmente aqueles direcionados às favelas federais do projeto “Minha casa, minha vida”. Já nos bancos privados, é toda uma outra estória. Primeiro, pelos juros que inviabilizam qualquer projeto. Depois, pela imensa dificuldade que é levantar um empréstimo para algum projeto empresarial. Para os micro e pequenos empresários, a coqueluche passou a ser as maquininhas que recebem de cartões. Ocorre que, para aqueles com negócio um pouco maior, estas maquininhas se transformaram em verdadeiras arapucas. Basta entrar algum pagamento um pouquinho maior e o céu desaba sobre a cabeça do empresário. SUA CONTA É IMEDIATAMENTE TRAVADA, SEM QUE LHE SEJA DADA NENHUMA JUSTIFICATIVA PARA TAL! Para liberar o dinheiro, passam a exigir uma infinidade de documentos e explicações. É um labirinto burocrático digno d´O PROCESSO, de Kafka. Não sei se existe alguma lei que os acoberte nesta arbitrariedade. O que eu sei é que é ABSOLUTAMENTE DESONESTO, pois nunca disseram absolutamente nada sobre esta possibilidade, quando daquelas propagandas em que um imbecil “global” fica cantando as maravilhas da “maquininha de fazer dinheiro”. Na verdade, É UMA ARAPUCA! Nada mais que isso.

4. Prefeituras – A cada eleição, elegem-se os que mais prometem aquilo que não podem entregar. É um processo viciado! Em Recife, massas ignaras elegeram prefeito um fedelho cuja maior qualificação é ser bisneto de um velho demagogo, e filho do sempre lembrado político habilidoso que seria a bala de prata contra Lula e seu nunca suficientemente execrado PT. Como seria de se esperar, dali onde não se esperava que saísse nada, foi que não saiu nada mesmo! Continuou exatamente a mesma esculhambação de sempre. O profissional liberal que quiser emitir uma simples Nota Fiscal de serviços tem que ficar penando nos labirintos da burocracia dias e dias. Enquanto isso, as páginas da prefeitura ficam trombeteando que simplificaram o processo enormemente por não exigir mais que se reconheçam as firmas em cartórios. HUMMM!!! Outro, engenheiro, após apresentar imenso calhamaço de papel solicitando o direito de seu cliente ser reconhecido como ocupante de endereço que já ocupa há mais de 20 anos, tem seu processo postergado “sine die” simplesmente porque há uma linha de transmissão da CHESF na proximidade. Outro, inicia um projeto de reforma em um prédio antigo, quando é imediatamente abordado por um fiscal do IPHAN e multado. A alegação é que está realizando a obra sem licença. Só que este possui licença. O fiscal alega que a licença é válida só por 2 anos, e que está vencida. O que será que mudou nestes dois anos, de forma a obrigar o construtor a percorrer todo custoso labirinto burocrático de novo? Vá querer entender! Enquanto isso, a maior preocupação de todos os aprendizes de Adolf Hitler que ascendem ao comando de miseráveis arruamentos por onde passa alguma estrada, é encher esta mesma estrada de foto sensores e multar os que estiverem transitando em velocidade superior à que cismarem. Tem velocidade para todos os gostos! Quem seguir a orientação daquela profusão de placas endoida. Ninguém consegue escapar de levar multas em abundância, mesmo sendo estuprado pelas terríveis condições das estradas e pelas malditas lombadas. É um verdadeiro inferno! Um “estuprosacanolatrocíneo”, se é que existe!

5. Empresas – COMPESA – Um fiscal da COMPESA entra sorrateiramente em nosso prédio e, sem falar com ninguém, corta o suprimento de água do apartamento 13, por coincidência, o meu. Eles costumam fazer isto exatamente na tarde da sexta-feira, de forma a deixar o infeliz sofrendo sem água por um bom período de tempo, até a semana seguinte. Só que a unidade que estava inadimplente era a LOJA 13, e não o apartamento 13. O cara simplesmente se enganou e, como não falou com ninguém, não se tocou do erro cometido. Ligo para o atendimento da empresa. A moça me diz que está tudo absolutamente correto com o meu abastecimento. Eu lhe retruco que, quanto ao pagamento, tenho absoluta certeza, pois pago a conta uns 15 dias antes de vencer. Já quanto ao abastecimento, aí é que está o problema. Explico o que ocorreu e solicito que uma equipe venha imediatamente corrigir a cagada. Ela me informa que isto só será possível daí a uns 15 dias. Depois de dizer que ela seria uma imbecil, e de mandar-lhe à merda, fico matutando sobre a linha de ação a seguir: Processar a empresa e ganhar uma boa grana nas Pequenas Causas, ou mandar religar e esquecer essa empresa de bosta? Opto por mandar um encanador amigo religar. Prejuízo de R$ 200,00, fora a raiva. E ainda há a possibilidade de algum imbecil vir querer me multar por ter religado aquela porcaria.

6. Justiça – Processos intermináveis – Qualquer pessoa que tenha se visto na vicissitude de necessitar uma decisão judicial em nosso país deve estar bem consciente do quanto esta estrutura escrota de esfoliação pública é inoperante. Faz-se urgente extinguir esta aberração de cima abaixo, iniciando pelo STF e indo até os tribunais estaduais, todos antros de sinecuras mil, e adotar os ritos e procedimentos sumaríssimos dos países saxões,

7. I.N.S.S. – Os privilegiados e os otários – São dois universos paralelos e um dos quais é a origem maior de toda a nossa imensa desgraça financeira. Uma parte, os enjeitados da sorte, somos nós! Os milhões de otários que trabalham por décadas, sempre contribuindo com quantias vultosas para este imenso conto do vigário, e que terminam se aposentado com migalhas, consequência de legislação e processos para lá de escrotos. Do outro lado, a casta dos privilegiados que se apossaram do aparato estatal em proveito próprio.

8. GOVERNO (Como um todo) – Este é exatamente a grande origem de todos os males. Hoje, torna-se muito difícil alguma mudança nesta esculhambação pois, aqueles que deveriam entender a situação malsã, estão todos estudando para concurso a fim de também se locupletarem. Sinceramente… Não vejo solução!

A grande conclusão disso tudo é que, não só somos acossados por políticos corruptos e venais, como o somos também pelos administradores das instituições com as quais somos forçados a ter qualquer relacionamento.

Moral da História: NOSSO PAÍS É UMA BOSTA PORQUE SUAS INSTITUIÇÕES SÃO TAMBÉM!

O fato de presenciarmos queda de R$ 150 BILHÕES no valor de mercado do Magazine Luíza (75% do valor original), só porque a dona saiu apregoando aos quatro ventos que dar o cu é lindo; ou termos visto queda imensa nas vendas dos automóveis Fiat, só porque esta empresa demitiu atleta de primeiríssimo nível que patrocinavam, porque ele não gostou de um SUPERMAN gay dando um beijo de língua em outro macho, são sinais de que boas coisas podem nos acontecer. Queira Deus! Estamos precisando muito.

2 pensou em “QUALIDADE DE VIDA X QUALIDADE DAS INSTITUIÇÕES

  1. Na mesma linha, publicado pelo Instituto Mises:

    “A liberdade deixou de ser um direito nato e passou a significar “qualquer coisa que você porventura ainda tenha permissão para fazer”.
    Direitos tradicionais como propriedade privada, liberdade de expressão, de associação e de contrato foram severamente restringidos. Por meio do estado, com seu ilimitado poder de tributação, algumas pessoas passaram a poder viver à custa da energia produtiva dos outros. Isso passou a ser chamado de “justiça social”.
    Os “direitos civis”, cujo significado é o aumento do poder do estado em ditar normas de associação entre indivíduos, não produziram nem liberdade nem igualdade racial, mas apenas mais tirania e ressentimento. Longe de gerar uma sociedade “sem preconceitos”, o que temos hoje é uma sociedade obcecada com raças e preferências sexuais, uma sociedade obcecada com “subclasses”, direitos e privilégios.
    O estado assistencialista, que prometeu tirar as pessoas da pobreza, logrou apenas habituá-las à pobreza, ao mesmo tempo em que eleva o fardo sobre a população geral. “Ações afirmativas” mostraram apenas que, quando você promete justiça para todos, tudo o que consegue é fazer com que todos se sintam discriminados. O “racismo” deve ser remediado dando-se ao estado ainda mais poder para regular as relações voluntárias entre indivíduos e a propriedade privada.
    Tirania se tornou “libertação”; degeneração se tornou “progresso”; assistencialismo se tornou “riqueza”; imoralidade se tornou “governança”.
    A humanidade ainda vai levar tempo para se recuperar dos tempos atuais.”

    Bom domingo, mestre Adônis

Deixe uma resposta