DEU NO JORNAL

A Constituição assegura o direito de o jornalista preservar a fonte, e não é crime publicar denúncia baseada em documentos ou gravações levados ao repórter.

Uma coisa é uma coisa. Outra coisa é auxiliar a prática de um crime.

O Ministério Público Federal cita uma prova de participação do jornalista americano Glenn Greenwald no crime de invasão de celulares de pessoas que investigaram corrupção no PT.

Se isso é fato, não existe “ataque à imprensa livre” ou “autoritarismo”.

A prova citada pelo MPF é um áudio em que o americano orientaria um criminoso a destruir gravações que o ligassem à gangue de hackers.

* * *

Esse cabra safado, doador do orifício corrugado, tinha que ser mesmo um zisquerdóide.

Não há outra opção de vida pra esse tipo de gente.

Existe uma punição que seria ótima pro Verdevaldo, um estrangeiro fazendo putarias em terras nacionais.

Ao invés de ir pra cadeia, ele ficaria proibido de dar a bunda por um ano.

Uma pena duríssima (êpa!!!)

Duas condenações pesadas: um vai ser obrigado a passar um ano sem dar o rabo e o outro vai ter que ficar um ano sem contar mentiras

4 pensou em “PUNIÇÃO PESADA

  1. .
    referente aos dois condenados,
    o segundo desmerece qualquer comentário –
    no meu conceito, um desqualificado;
    quanto ao primeiro é preciso
    não deixar nenhum cabo de vassoura por perto…

  2. Vamos fazer tudo para que não se concretize o sonho maior desse cualira/xibungo ou coisa que o valha que é seu recolhimento a uma penitenciária, notadamente se de segurança máxima, em que seus hóspedes estão privados, há muito tempo, das famosas visitas íntimas.
    Vai estar no paraíso.
    Daí, a sua esperança na ação enérgica e esclarecida de seus preclaros confrades togados, mandando-o para um estabelecimento dessa natureza.
    Tal medida, a ser tomada por Gilmar Boquinha, Tófolli Porcina (aquele que é, sem nunca ter sido) e outros menos prestigiados, também assegurará o gozo de muitos incautos que vão imaginar que a justiça foi feita.
    Foi nada.
    Deu, foi, muita dureza ao Verdevaldo…

Deixe uma resposta