ALEXANDRE GARCIA

O deputado federal Luis Miranda (DEM-DF)

O presidente Bolsonaro foi acusado de prevaricação. O Supremo pediu para o Ministério Público investigar. Prevaricação seria acreditar no senhor Luís Miranda. Eu pergunto: alguém acredita em Luís Miranda? O presidente não acreditou. O Luís Miranda gravou um áudio falando que não disse tudo o que ele disse na CPI, que estão deturpando o que ele queria dizer.

Como é que o Supremo entra nessa? Não é por ingenuidade, é porque o Supremo quer. É a militância do Supremo, a qual podemos chamar por outro nome, “ativismo judicial”.

* * *

Não querem ouvi-lo

O líder do Governo na Câmara foi acusado de estar pressionando o Ministério da Saúde para comprar a vacina indiana. Ele então foi convocado pela CPI da Covid, mas o presidente da CPI adiou o depoimento, que ficou sem data marcada. O líder do governo então recorreu ao Supremo dizendo que quer depor na CPI e que o acusam, mas não querem ouvi-lo.

Ele quer ser ouvido. Já foi ministro da Saúde, é líder do governo, é um deputado pelo Paraná, já foi prefeito no Paraná. Eles têm medo de ouvi-lo! Assim como tiveram medo de ouvir os médicos que foram chamados para expor como se trata um doente – e o relator da CPI fugiu. Eles não querem ouvir, já têm a sua verdade pronta.

* * *

Indiciamento

O relator da CPI, senador Renan Calheiros, acaba de ser indiciado pela Polícia Federal pelo suposto recebimento de R$ 1 milhão em propina da Odebrecht, quando era presidente do senado. Ele já está com uma dúzia de processos no Supremo. Como o relator da CPI tem essa ficha criminal? E como o presidente da CPI teve a própria esposa presa duas vezes? Além dos irmãos, também presos por desvio de verbas da Saúde em Manaus.

O Antagonista diz que Lula é o maior aliado de Bolsonaro, porque ajuda a candidatura do presidente. Eu discordo; eu acho que tem uma televisão que ajuda mais ainda, porque só fala nele o dia inteiro. Já ajudou a elegê-lo e vai ajudar a reelegê-lo.

* * *

Julgamento

A Odebrecht já devolveu R$ 8,6 bilhões de ilícitos, que foram conduzidos pelo senhor Luiz Inácio. O Supremo diz que a condenação de Luiz Inácio não vale mais. Mas a Odebrecht já reconheceu os crimes. Então tem crime, mas não tem autor de crime? É o equivalente a dizer que o senhor Lázaro, que matou as primeiras pessoas na Bahia, só pode ser julgado na Bahia.

Foi o que disse o Supremo: ele só pode ser julgado fora do Paraná, não pode mais ser julgado em Curitiba. Essas coisas que o Supremo tem feito são um escárnio contra o nosso cérebro.

16 pensou em “PREVARICAÇÃO SERIA ACREDITAR NO DEPUTADO

  1. Alexandre Garcia subiu o tom sobre a CPI. Calheiros tem muita confiança no STF. A ponto de dizer que a PF o está perseguindo, mas quando a acusação chegar no STF não irá prosperar.

    Bolsonaro fez ontem uma Tred no twitter dizendo que tem gente grande sendo chantageada por vídeos de contato com jovens menores de idade. Isso ainda vai feder. Deu até um nome, “Daniel”, que ó coincidência, era o nome de guerra do J. Dirceu, aquele que disse que retornaria ao poder mesmo sem vencer a eleição.

    Tenho a impressão que teremos uma semana cheia de emoções.

  2. Rachadinha é corrupção?

    O único juiz que teve coragem de enfrentar os esquemas corruptos no Brasil foi desmoralizado por Bolsonaro. Se não existisse Sérgio Moro, Lulla nunca teria sido preso e nesse momento seria presidente, enquanto Bolsonaro continuaria nas racahadinhas.
    Bolsonaro e Lulla unidos contra Sérgio Moro

    • C. Eduardo, Moro não foi desmoralizado por JB, ele se desmoralizou sozinho quando saiu do governo dando facada nas costas do Presidente e expondo a reunião de ministros, a Carla Zambeli, se fazendo de vítima. Moro vendeu sua demissão ao Antagonista / Empíricus, que lucrou muito com a especulação financeira resultante de sua saída (ocorreu numa sexta e o Antagonista já sabia na quarta).

      O povo não comprou sua narrativa e hoje ele não tem mais nenhuma popularidade. Se tivesse no governo ainda quero ver se o STF iria contra ele.

      Quanto a rachadinhas, não é crime.

      Depois que uma pessoa recebe dinheiro de salário, este lhe pertence e pode fazer com ele o que quiser, inclusive devolver uma parte ao seu superior. Se houver pressão indevida para dar o dinheiro é só fazer um B. O. Se rachadinha fosse crime, o PT já teria acabado.

      • “Quanto a rachadinhas, não é crime.
        Depois que uma pessoa recebe dinheiro de salário, este lhe pertence e pode fazer com ele o que quiser, inclusive devolver uma parte ao seu superior”

        Eu adorei essa resposta. Adorei! Simplesmente o melhor esclarecimento sobre rachadinha que já existiu. Inclusive a famiglia Bolsonaro tem todos os comprovantes do Imposto sobre Doação pagos para comprovar que não houve ilicitude.

        Parabéns pela resposta. Agora estou satisfeito. É só apresentar os impostos pagos e nada de errado com as rachadinhas.

        • C. Eduardo, espero a mesma manifestação sua sobre o fato de o Moro ter escancarado sua saída ao Antagonista / Emíricus 48 horas antes de sua espetaculosa saída com os mercados abertos ainda possibilitando especulações milionárias,

          Quando à rachadinha, ao contrário do que v. quer fazer acreditar, eu não disse que não há nada de errado, apenas disse que não é crime. Também não está provado que Flávio ou Jair Bolsonaro fizeram rachadinhas, como não está provado que Moro vendeu para O antagonista sua demissão.

          A Rachadinha é imoral, pois usa de um subterfugio legal (ter muitos assessores) para receber parte dos ganhos desses. O PT tem isso em seu estatuto e nunca se falou nada.

          Combate-se a febre (a rachadinha), enquanto que a causa (dos inúmeros assessores) ninguém fala nada.

          Bolsonaro também já disse que usavam (ele e o filho) dinheiro do auxílio moradia a que tinham direito para pagar as prestações de um pequeno apartamento que eles dividiam. Tudo legal, mas imoral também. Mais uma vez a imprensa usou isso para atacar a febre e não a infecção.

          Aguardo seu posicionamento sobre o Moro. Vai falar que nada foi provado? Mas alguém já disse que à mulher de Cesar não basta ser honesta, mas tem que parecer ser. Moro não pareceu ser correto ao sair e dar o furo (epa!) de sua saída 48 horas antes para o Antagonista.

          • “Moro ter escancarado sua saída ao Antagonista / Empíricus 48 horas antes de sua espetaculosa saída com os mercados abertos ainda”

            Desconheço essa hipótese, assim como não posso falar da operação com opções de venda de Petrobrás na véspera da demissão de Castelo Branco.

            O que posso dizer é que tenho em alta consideração o trabalho do Antagonista, já não posso falar a mesma coisa em relação a Empíricus.
            Mas, você que está por dentro de tudo, sabe quem comprou as opções de venda (puts) na véspera da demissão do Castelo Branco? Quem foi que deu a grande tacada?
            “Declarações de mudanças na Petrobras (PETR3, PETR4) foram antecedidas por operações atípicas no mercado de opções com ações da estatal. A suspeita é que tenha havido o uso de informação privilegiada (insider trading), o que é crime.
            Naquela tarde, pouco antes das operações atípicas, o presidente Jair Bolsonaro participou de uma reunião com alguns de seus principais ministros para tratar justamente da questão dos preços dos combustíveis”

            Não é melhor a gente achar que foi tudo coincidência?

            • C. Eduardo, que Moro deu o “furo para O Antagonista 48 horas antes de sair, não há a menor dúvida, pois foi o único veículo que antecipou tudo o que ia acontecer em detalhes.

              Que a Empíricus é dona dO Antagonista, também não há a menor dúvida. Então a Empíricus sabe 48 horas antes de uma notícia que abalará a economia que será dada na sexta antes de o mercado fechar e não irá se aproveitar de alguma forma.

              Dá para fazer isso sem deixar pistas.

              O que não dá é para acreditar que O antagonista não passaria esta notícia para seu DONO.

            • C. Eduardo, Bolsonaro só dá estas notícias que podem mexer no mercado, depois do fechamento da Bolsa. Diga então, se as ações da Petrobras valem mais hoje ou quando Bolsonaro disse que ia mudar a presidência?

              • “De acordo com informações, alguns investidores ganharam muito dinheiro com opções de venda de ações da Petrobras, em operações atípicas, que sugerem o uso de informação privilegiada. O lucro pode ter chegado a R$ 18 milhões em transações com mais de 4 milhões de opções de venda, a PETRN 265, em uma jogada arriscada que dependia do conhecimento e ou fé extraordinária de que o preço da ação da estatal iria cair.
                A operação ocorreu cerca de 20 minutos após Bolsonaro ter se reunido com os ministros Bento Albuquerque, das Minas e Energia; Paulo Guedes, da Economia; Tarcísio Freitas, da Infraestrutura; além de Luiz Eduardo Ramos, responsável pela articulação política; Walter Braga Netto, da Casa Civil; e Augusto Heleno, da Segurança Institucional”
                João Francisco você não está sendo tão rigoroso com Bolsonaro como é com Sérgio Moro. Segundo o Correio Brasiliense (matéria acima) e todos que têm mais de 10 neurônios e acompanham os mercados, disso eu entendo, sabem que foi uma operação de um agente com informação privilegiada. Não seja tão inocente, por favor.
                Não posso afirmar que Sérgio Moro não usou sua demissão, embora não acredite. Mas a operação de opções de venda da Petrobras tem características que não deixam nenhuma dúvida que foi um agente com informação privilegiada. Foi fora de todos os padrões. Se você não entende do mercado de ações faça como eu, não ponha sua mão no fogo. Vai se queimar. Do Mercado de Ações eu entendo tão bem quanto o Ministro P Guedes (quem sabe mais do que ele), pode perguntar para o próprio.

              • Eu votei no Bolsonaro para ser diferente. Acreditei que conhecendo a verdade a verdade libertaria todos nós. Não é o que está acontecendo, Bolsonaro é mais do mesmo.

                • C. Eduardo, acho que eu já falei aqui muitas vezes, inclusive para você; Bolsonaro não é perfeito, eu lhe dou nota 6. É o que temos de mais perto do conservadorismo no momento.

                  Não há nenhum outro, nem o Moro que represente esta linha de pensamento, todos são contrários.

                  Então é com ele que eu fico. Ele cometeu alguns deslizes? pode ser, mas entre ele e o Lulla, eu não tenho a menor dúvida.

                • Eduardo,
                  Por partes, como diria Jack:
                  1) A rachadinha era coisa do filho, não do pai;
                  2) Bolsonaro não é perfeito (longe disso);Bolsonaro apenas é o político que foi eleito presidente e que faz um excelente trabalho,com ministros competentes e trabalhadores.
                  3) Sua vida e de sua familia, além de demais parentes e amigos foi e é esmiuçada pela oposição, incluindo a mídia, para encontrar algum furo, sem que nada relevante tenha sido encontrado.
                  4) Não há virgens no bordel.
                  5) Bolsonaro está a anos luz de distância dos demais candidatos à faixa.
                  5) Caso queira perfeição na política sugiro que convença Jesus Cristo a se candidatar.
                  6) como não me apaixono por políticos vou às urnas votar sempre no menos ruim, por isso voto Bolsonaro.

                  • Caro Relator Sancho, C. Eduardo não entende da realidade brasileira, a dele é paralela.

                    Vai voltar sempre com as mesmas ladainhas.

                    Abração.

Deixe uma resposta