CONSTÂNCIA UCHÔA - "IN" CONSTÂNCIAS

Buscar a paz é procurar o eixo moral de nossa tão esvaída humanidade.

Sonhemos com a fé nos velando o amanhã e, acordemos, nenhuma guerra é santa!

13 pensou em “POR UM COCHILO DE PAZ

  1. Com admiração pela sua beleza- física e mental – parabéns pelas suas notáveis reflexões. Não é assédio, é admiração nascente.

  2. Pois é Fernando ….

    A minha admiração não é mais nascente……

    e sim crescente

    por esta poetisa e declamadora brilhante, com este jeitinho fascinante, um olhar provocante e um sorriso faiscante. …..

    Yéééééssssss ……

    Parabéns menina ….!!!

  3. Diz em sua Vita II, Tomás de Celano, biógrafo de São Francisco, aquele nascido em Assis (em italiano: Assisi; Asisium, em latim) como Giovanni di Pietro di Bernardonena: “Quando rezava nos matos e nos lugares desertos, enchia os bosques de gemidos, derramava lágrimas por toda parte, batia no peito e, achando-se mais escondido que num esconderijo, conversava muitas vezes em voz alta com o seu Deus. Respondia ao juiz, fazia pedidos ao pai, conversava com o amigo, brincava com o esposo. Transformado não só em orante mas na própria oração, unia a atenção e o afeto num único desejo que dirigia ao Senhor” (2Cel 95).

    Diz Sancho: Toda madrugada (excetuando-se sábados, domingos e feriados), antes de pegar a estrada, faço desta oração meu guia pelas rodovias da vida (e lá se vão mais de vinte anos estrada afora).
    Agradeço imensamente à poetisa maior por agora poder, com a voz da bela (repleta com a emoção tão própria deste ser de luz que és), ter sua voz em meus ouvidos em forma de oração.

    Que seu domingo seja lindo, que sua vida permaneça esplendorosa.

    Beijo vosso coração com o carinho do amigo distante que, com sua coluna, sente os domingos mais grandiosos e belos desde que sua luz brilhou pela vez primeva na gazeta de todos nós.

  4. Uma prece belíssima é a prece de Cáritas. Na PRA-8, Rádio Clube de Pernambuco, às 18h, a voz possante de Abílio de Castro invadia os lares sintonizados na Hora do Angelus (hora doce e emocionante entre o dia que morre e a noite que surge. As criaturas perdidas na inquietação que enchem a Terra olham o firmamento ansiosos pelas luz das estrelas que começam a inundar a imensadão). A prece é tem um poder fora do comum. Luz física não ilumina nenhum espírito (alma), mas em geral quem acende uma vela faz uma prece e é a prece que ilumina, não a chama da vela. Parabéns Constância… aliás, montando um processo esta semana encontrei um certificado de uma universidade espanhola que dizia: Constancia a Maurício Assuero ….. era um artigo publicado num evento…..

Deixe uma resposta