A PALAVRA DO EDITOR

Nunes Marques avisa que pode ser pior do que se imaginava

“É por isso que admito a inovação interpretativa adotada pelo relator, como parte de um romance em cadeia, segundo o qual é possível nova eleição subsequente para o mesmo cargo na Mesa Diretora, independentemente se na mesma ou em outra legislatura. Contudo, desacolho a possibilidade de reeleição para quem já está na situação de reeleito consecutivamente, sob pena de ser quebrada a coerência que dá integridade ao Direito e ser aceita, na verdade, reeleição ilimitada, que não tem paralelo na Constituição Federal”.

Kassio Nunes Marques, ministro do STF, explicando em juridiquês malandro que a Constituição deveria ser respeitada num caso, mas poderia ser estuprada em outro, e justamente por isso, votava contra possibilidade de reeleição de Rodrigo Maia para a presidência da Câmara, mas a favor da continuação de Alcolumbre na presidência do Senado.

5 pensou em “PODE, MAS NÃO PODE

  1. Essa “inovação interpretativa” é tão rebuscada quanto simplória.

    Está mais para o velho e conhecido chavão: dar volta em alguém. Nesse caso, o alguém “semos nóis” os trouxas de sempre.

  2. A bosta falada por esse tonto fedeu tanto que a mulher atrás dele na foto botou o dedo no nariz, e olha que ela estava de mascara.

Deixe uma resposta