MAURÍCIO ASSUERO - PARE, OLHE E ESCUTE

A Inferência Estatística permite que, a partir de uma amostra selecionada aleatoriamente, você possa fazer conjecturas sobre os parâmetros de uma população. Por parâmetros entenda como sendo a média de uma variável. Imagine que queremos estudar a renda média dos trabalhadores formais de uma cidade. Fica impossível pesquisar TODOS os trabalhadores, daí seleciona-se uma amostra e com base nessa amostra a gente pode construir um intervalo de confiança para a verdadeira média salarial, considerando uma margem de erro. O matemático Osvald de Souza ficou famoso nos anos 1980 porque dizia, no Fantástico, uma estimativa para o número de acertadores dos 13 pontos da loteria esportiva. Toda quarta-feira de manhã eu trato de inferência na minha turma de pós graduação (mestrado e doutorado).

Do mesmo modo que a gente estima a média de uma população, a gente pode estimar diferença de médias entre duas populações ou uma proporção, uma fração, como no caso das pesquisas eleitorais. Agora, a questão não é apenas pesquisar, mas analisar as coisas de uma forma coerente, sem tendências ideológicas. Eu vejo, desde março/2020, as pessoas defendendo o respeito à ciência e agora eu vejo que esse respeito é apenas quando a ciência diz algo que me agrada.

Primeiro, uma coisa fundamental na pesquisa é a aleatoriedade dos dados. Se você encontra um cara vestido com a camisa do Flamengo parece razoável aceitar que a chance dele torcer pelo Flamengo é muito alta. Se você chegar nas sócias da Ilha do Retiro e perguntar aos torcedores qual o time que eles torcem, eu diria que 100% vai dizer que torce pelo Sport. O tamanho da amostra é baseado na margem de erro que se quer cometer, então não vamos dizer que uma amostra de 2.201 pessoas é ridícula para representar o total de eleitores. Nada disso. Qualquer número maior do que esse manteria a margem de erro. Mas, a análise dos dados pode ser tendenciosa, sim.

Em 2018 Bolsonaro recebeu 57.797.847 votos, equivalente a 55,13% dos votos válidos, ou seja, tivemos 104.839.143 votos válidos e 42.463.164 anularam seus votos. Vamos considerar apenas votos válidos. A pesquisa do IPEC diz que Bolsonaro teria 23% dos votos, ou seja, 13.293.505 votos, perdendo 44.504.342 votos. Em suma, 57 milhões de eleitores disseram não a esquerda e agora, a pesquisa diz que Lula teria 51.371.204 votos. Historicamente, 30% dos eleitores votam em Lula, ou seja, 31.451.758 e para chegar aos 51 milhões, estes teria que vir dos 44 milhões de votos perdidos por Bolsonaro. Eu já disse algumas vezes e vou dizer novo: 57 milhões de eleitores no Brasil disseram não aos candidatos de esquerda. Se somar todos os votos recebidos por eles, chega a 50 milhões. No segundo turno Haddad teve 47.038.963 votos, então, eu não consigo entender de onde vão conseguir 51 milhões de votos.

O cenário brasileiro é simplesmente aterrorizante. O STF decidiu que Moro é suspeito e Lula precisa ser julgado por um tribunal idôneo. O processo volta para a estaca zero e como Lula tem mais de 70 anos, vai ser uma piada esse julgamento. Pintaram o Brasil com cara de palhaço. Mas, as coisas não ficam por aí. A incoerência campeia diariamente nesse país, senão vejamos:

1) Benjamin Nethanyahu perdeu a eleição para Naftali Bennett e muita gente aqui vibrou com isso porque um direitista tinha perdido o poder. Nethanyahu é conversador de direita e Bennett é ultraconservador de direita. Então, se alguém entendeu por os esquerdistas daqui aplaudiram, por favor, me tirem da ignorância;

2) Tem gente falando por ai que a denúncia da vacina foi possível porque o cara que denunciou era concursado e destaca a importância da estabilidade do servidor. Bom, Moro era um juiz concursado e o trabalho dele foi anulado, só falta agora devolver o dinheiro recuperado, na Lava Jato.

3) Lula prometeu sair da cadeia para podos acordode fez a denúncia era servidor concursado. Moro era um juiz concursado e o trabalho dele foi jogado na lata do lixo. daqui desse total 44 milhões votarão em Lula. um total de e MasMas, é bom lembrar O PT e o PSB, como se sabe, entraram com uma ação junto ao STFpara impedir a realização da Copa América aqui no Brasil. Na última sexta a demanda chegou ao plenário da corte e isso é o que muito me espanta. Caramba! Os caras estão ali para dirimir as dúvidas constitucionais, não para julgar “briga comadres”. Carmem Lúcia deveria ter recusado isso imediatamente, no entanto, como aquele bando de calhordas não observa as prioridades constitucionais, o plenário decidiu que vai ter Copa América e que a demanda deveria ter sido encaminhada para a CBF. Concomitantemente, o Flamengo ajuizou, no STF, um pedido de suspensão do Campeonato Brasileiro, em todas as séries, durante a realização da Copa América. Quer dizer: uma competição é permitida outra é proibida. O que liga as duas? Apenas o fato de Bolsonaro defender a segunda.

A seleção de Tite é tão escrota quanto a seleção do STF. Basta pegar as experiências desses pernas-de-pau e ver o resultado do jogo. Como ninguém joga na direita, então o escrete escroto joga no esquema 3-4-3 (três zagueiros, três atacantes e quatro no meio campo). O time entra assim:

Goleiro – Lewandowski – engoliu maior frango da História do Brasil quando violou a CF ao não cassar os direitos políticos de Dilma. Diz a constituição que presidente impedido deve ficar inelegível por 8 anos.

Zagueiro 1 – Alexandre de Morais – foi um grande defensor de um time altamente organizado em São Paulo, com um poderio financeiro internacional. Defendeu uma tese de doutorado na qual discordava de pessoas do governo indicadas para o STF. Ele saiu do ministério da justiça e deveria ter seu título de doutor cassado. Desrespeito a academia, desrespeitou a banca examinadora da tese, desrespeitou os demais alunos e pesquisadores que citam a tese como referência.

Zagueiro 2 – Gilmar Mendes, pouco confiável porque ao invés de arrepiar a bola quase arrepia a lei. Foi influenciado por um cartola chamado Botafogo (Apelidado nas planilhas da Odebrecht como Rodrigo Maia, ou era ao contrário, mas tanto faz) a mudar as regras do jogo. O cartola queria continuar mamando nas tetas e procurou apoio em dois jogadores desse escrete escroto. Apesar da constituição dizer que é VETADO a recondução dos presidentes das mesas numa mesma legislação, o zagueirão aqui num voto de 64 (64? lembra o quê?) páginas disse que “mesmo ao arrepio” da lei VETADO poderia ser permitido. Um golpe fabuloso seria.

Zagueiro 3 – Carmem Lúcia – parecia bem intencionada quando foi capitã da equipe, mas fez um gol contra ao mudar o voto sem que houvesse recurso pertinente, nitidamente beneficiando interesses do ex-proprietário do time;

Médio Volante – Marco Aurélio – joga na cabeça da área ora defendendo ora atacando. Já pediu substituição e deve deixar a selecinha agora no começo de julho. Infelizmente, com esse sistema de escolha nós vamos trocar seis por meia dúzia. Marco Aurélio pisou na bola algumas vezes, mas foi capaz de tirar Renan Calheiros da linha de sucessão quando Temer assumiu a presidência e de dizer que o time estava pautando assuntos de acordo com o interesse político. Soltou um assassino confesso da irmã Dorothy Stang por conta do trânsito em julgado (apenas por recursos protelatórios), mas seu gol de placa foi soltar André do Rap, membro do PCC. O bichinho alegou risco de contrair Covid e saiu da cadeia. Uma BMW esperava por ele na porta do presídio. Quem souber do paradeiro, por favor, avise.

Meia armador 1 – Edson Fachin – esse cara sabe armar bem e lança no momento certo. Principalmente se for para beneficiar um pretenso candidato a presidente do time. Passou cinco anos pra descobrir que o jogo estava no campo errado, que o correto era jogar em Brasília para valorizar o Mané Garrincha que foi orçado em R$ 623 milhões e custou R$ 1,3 bilhão. Apagou as luzes do Couto Pereira em Curitiba. A decisão foi simples: não se julga um crime na comarca onde ele aconteceu, mas onde houve o beneficiamento do produto do crime. Atenção todos os bandidos: roubem dinheiro do SUS, da educação, da merenda, do combate à covid (esconda até na bunda se preciso for), etc. e apliquem num paraíso fiscal. Quando, e se, for preso peça para ser julgado onde o dinheiro está. Use essa lógica de Fachin.

Meia armador 2 – Luiz Fux – agora é o capitão do time e armou bem para os ex-donos do time. Chegou para um deles prometendo “matar no peito a Lava Jato” sinalizado que votaria a favor dos acusados, mas não foi bem assim. Traiu os donos e hoje trai a nação. Matou a Lava Jato no peito e deu um bicudo na coitada que a pelota saiu do estádio. Acabou o jogo antes dos quarenta e cinco do segundo tempo. O nome dele deveria ser Fox (raposa), mas parece que o tabelião errou.

Meia armador 3 – Dias Toffoli, já chegou com patrocínio de uma grande construtora. O amigo do amigo do meu pai jogou pesado, segundo um tal de Cabral, e levou R$ 4 milhões para fazer gol para um prefeito de Nova Iguaçu. O amigo do amigo do meu pai votou contra a homologação da delação de Cabral que o acusava!!!!. A lei proíbe que juiz julgue casos nos quais ele é parte interessada, mas esse jogador não deve saber disso, visto que foi reprovado duas vezes num concurso de juiz.

Atacante 1 – Nunes Marques chegou cheio de pose, prometendo ser artilheiro, mas até agora não conseguiu se firmar. Levou um esporro de Gilmar Mendes e agora não sabe nem o que esta fazendo ali.

Atacante 2 – Rosa Weber, a cada ataque ela se coloca além da linha de zagueiros. Aí sobe a bandeira vermelha.

Atacante 3 – Luís Barroso deu um grito no zagueirão Gilmar Mendes e chamou o cara de pessoa degradante e a partida foi suspensa por alguns minutos. Parece o leão da Metro Goldwyn Mayer: dá aquele urro e o resto é só fita. Agora, como o time está em defesa do ex-dono, o entrosamento que faltava no começo está indo a mil maravilhas. Esse perna-de-pau foi para as redes sociais criticar um protesto que eleitores de Trump fizeram no Capitólio. A suprema corte dos Estados Unidos não deu um pio sobre o assunto, mas Barrosão achou que os americanos precisavam da opinião dele. Nada anormal para essa cabeça de camarão. Na dúvida chama Filipe Neto para esclarecer.

Esse time joga sob a batuta de um juiz, mas não se pode mais chamar o juiz de ladrão. A coisa é tão séria que foi criado um número de zap para fosse enviado denúncias contra pessoas físicas ou não que chamassem o juiz de ladrão. Ladrão era o outro que mandou prender o ladrão.

Esse escrete escroto não precisa de um técnico. Defendem uma constituição que nunca leram. Mas, se precisar de um bota Tite que está acostumado a comandar incompetentes. Futebol é assim: quando o time perde, principalmente um campeonato, o técnico sai. Faz-se um recomeço. Tite perdeu a Copa do Mundo e foi mantido. Continua convocando os mesmos jogadores. Eu me lembro de Ismael Mascena que tinha um time juvenil na minha querida Tabira. O time reserva era formado por quem fosse chegando ao campo. A gente treinava nas terças e quintas e sol do sertão, por volta das 14h, parecia fungar no cangote da gente. Aluísio nunca faltava. Arregaçava as pernas da calça e lá ia jogar. Nas vezes que ele tentava driblar, perdia a bola e Ismael gritava: “ô Aluísio, chuta essa bola pr´o lado que tu tiver virado!”. É isso aí Tite: manda a turma chutar para o lado que tiver virado e está tubo bem.

2 pensou em “PINTARAM O BRASIL COM CARA DE PALHAÇO

  1. Mestre Assuero, o Brasil, não é pra amadores. Nossa democracia é entabulada ao contrário. O poder emana de uma minoria que sequer recebeu um votinho ao menos para nos representar. Tudo que o povo quer, anceia ou suplica é suprimido pelos 11 vagabundos (bandidos nomeados por iguais).

    Quanto as estatísticas, sabemos que é a ciência que diz que se eu comi um frango e tu não comeste nenhum, teremos comido, em média, meio frango cada um. “

    Me parece que o técnico desse time de vagabundos é o “Daniel”, e o patrocinador… fala mandarim.

Deixe uma resposta