DEU NO JORNAL

A área técnica do Tribunal de Contas da União aprofunda a apuração de irregularidades do dinheiro do Fundo Amazônia distribuído pelo “gestor” BNDES a organizações não-governamentais (ONGs).

Estão sendo investigados contratos como o que rendeu R$ 19 milhões a uma ONG CTI, dedicada ao “trabalho indigenista”.

Auditoria do Ministério do Meio Ambiente entregue ao TCU, revela que não foi possível encontrar qualquer “consultoria”, tampouco beneficiários de tanto dinheiro.

A CTI diz ter gasto parte dos R$ 19 milhões em eventos, mas a auditoria não comprovou a presença da ONG em qualquer deles.

* * *

19 milhões em eventos.

Só uma parte…

Não há Óleo de Peroba suficiente no mundo pra passar na cara-de-pau dos zisquerdinhas picaretas deste nosso país.

Puta que pariu!!!

Deixe uma resposta