DEU NO JORNAL

Bastou uma visita de inspeção de deputados estaduais de São Paulo para descobrir que é praticamente cenográfico o “hospital de campanha” instalado pelo governo estadual no Anhembi.

Só a montagem custou R$ 12 milhões, além dos R$ 10 milhões mensais para sua “manutenção”.

Pareciam esconder alguma coisa: tentaram impedir o acesso dos deputados à força.

Márcio Nakashima (PDT), chegou a ser empurrado.

Uma das observações mais graves, feita pelo deputado Coronel Telhada, é que nesse festejado “hospital de campanha” não há um só respirador.

O hospital de campanha do Anhembi foi montado para receber 1.800 pacientes, mas os deputados conferiram: só havia 10% disso.

Os deputados quase não viram camas e, quando as encontraram, estavam sem colchões.

Viram também geladeiras ainda embaladas.

* * *

Eu acho que esta notícia só foi publicada por conta da perseguição da mídia contra o bravo tucano João Doria, governador de São Paulo, que está gastando milhões e milhões, sem dó, nem piedade.

Sem dó nem piedade do coronavírus.

Doria vem cumprindo com muita eficiência e galhardia suas duas guerras simultâneas.

Ele combate, ao mesmo tempo, a pandemia e o governo federal.

A propósito, o impoluto jornal Globo Vid-19 publicou ontem uma manchete que resume tudo e escancara que foi o bando do capitão pornofônico que provocou tumulto e tentou avacalhar com o utilíssimo hospital.

Vejam:

7 pensou em “PERSEGUIÇÃO INJUSTA E MESQUINHA

  1. Meu Deus! Se não tem cama, respiradores, pacientes, se está vazio, não é hospital de campanha.

    O meu maior peso de consciência que carregarei até o final da vida foi ter votado no Dória (1º e 2º turnos em 2018).

    Já perdi muito dinheiro em negócios que não deram certo, faz parte da vida; porém nunca fui tão enganado como por este Cara.

    Só espero que tenha retorno.

      • João, meu bom João,

        Infelizmente estamos condenados a ir às urnas para votar no menos ruim. Igualmente votei no menos ruim, só que no RJ. Votei no witzel nos dois turnos. E em Sampa o dória também era a opção menos ruim.

        Nós eleitores, infelizmente, estamos presos a essa certeza: vamos às urnas para votar no menos ruim (infelizmente, infelizmente, infelizmente, infelizmente).

        Eu prigunto procê: Tem jeito?

        • Caro Sancho, eu me pergunto, Será que Romário ou França. mesmo pleo PSB, seriam tão ruins?

          Mas realmente agora é bola pra frente. Não gosto de ficar olhando o passado.

          Fica só a experiência.

  2. Isso mesmo Senhores. Continuamos a errar. Mas votar no menos ruim já foi uma melhora significativa na nossa capacidade de avaliar “positivamente” determinados candidatos. Somos sempre enganados porque queremos que nossas Cidades, Estados e o País prosperem. Que cada um de nós tem a certeza de que os impostos devidamente pagos serão revertidos à nosso favor merecidamente, condignamente. Com Serviços básicos obrigatórios como: Saúde, Segurança, Educação, Habitação e Transporte. Fornecidos com qualidade minimamente decente. A cultura política que nos impuseram ao longo de décadas foi altamente danosa e excludente. Pois, indiretamente, convenceram-nos, transferirmos as responsabilidades para esses nossos representantes. Para não nos preocuparmos com nada. Eles resolveriam tudo. Com isso fomos esquecendo nossa formação Conservadora. Religião, Pátria e Família, foram perdendo seus valores e importância. Sendo substituídos pela prática vil, rasteira, subliminar em todos setores da Sociedade. Através da imprensa escrita, falada e televisiva, considerada grande mídia tradicional, que hoje apodrece no lixo moral dos seus escarnecidos proprietários. Além da Educação e da Cultura onde perméia a imoralidade, a indecência, o fisiologismo ideológico, o aparelhamento físico e mental dos alunos, professores e até dos pais de alunos que são obrigados a aceitar tamanhos despropósitos. Que na sua grande maioria, por “enes” razões acredita e concorda que seus filhos devem, também, serem educados pelas escolas e seus heróicos professores. Acrescente -se, à isso, o adestramento deliberadamente sugestionado aos eleitores para admirarem e cultivarem as figuras políticas exóticas, caricatas, com apelidos engraçados, bravateiros. Esses são os nossos digníssimos representantes. Tornando sem importância nenhuma os Ideais, as Políticas Públicas, os Compromissos assumidos para a plena Governança. O cumprimento daqueles cinco itens básicos que eles tanto falam nas suas promessas de campanha. Não deveriam nem falar nisso, pois já é sua obrigação quando eleito. Imaginemos como estaria a população hoje, desde que essas promessas foram feitas desde a primeira eleição, após o “Diretas Já”. Outra diretriz impactante na vida dos cidadãos: “Campanha do desarmamento”. A população sem arma e os bandidos facilmente e convenientemente armados. Essa hipocrisia que grassa nesse País é única e característica da indolência peculiar dessa Nação. Deus, Pátria e Família.

  3. Desculpem-me senhores. Fiquei absorto no tema. Acabei não os cumprimentando devidamente. Acompanho nossa Gazeta Escrota com muita devoção e carinho, como também aos senhores que fazem seus comentários. Que escrevem para o JBF. Colaboradores e colunistas. Fiquem sempre na Paz do Senhor. Obrigado.

Deixe uma resposta