A PALAVRA DO EDITOR

No início deste mês, Paraná Pesquisas, compondo cinco cenários para o primeiro turno da eleição de 2022 mostrou que Bolsonaro tinha praticamente três votos por um sobre seu principal concorrente, o ex-juiz Sérgio Moro. Identificou, também, que essa vantagem era de 32,2% a 18% quando Lula entrava no questionário. Ou seja, a oposição ao governo não tinha ninguém melhor do que o hóspede de Atibaia para apostar.

Foi então que me veio à mente uma ideia que, por pudor, rapidamente rejeite: Lula seria redimido pelo STF. Receberia da justiça dos homens (dos homens togados do STF) indulgência plenária. Retornaria ao Jardim do Éden inocente como Adão antes de Eva, puro como anjinho de Rafael Sanzio.

Mas foi uma ideia que rapidamente espantei. Os 11 não se prestariam a produzir tal acinte sobre si mesmos jogando na mesma lata de lixo todo o trabalho da Lava Jato, todo o trabalho da 13ª Vara da Justiça Federal de Curitiba, todo o trabalho do excelente e ilibado TRF-4 de Porto Alegre e do STJ. Não, não estamos em Palermo e a máfia não obterá aqui o que conseguiu na Itália.

Lembro-me do ministro Marco Aurélio proferindo a frase famosa ao soltar um líder do PCC: “Não olho capa de processo”. Não interessa a ele, segundo tal conduta, quem se beneficia ou se prejudica por suas decisões. Agora conte outra que nem essa, ministro Fachin. Diga que não lhe interessa nada do que fez como ministro de referência para os processos da Lava Jato durante todos esses anos. O senhor era conhecido nos sites de esquerda como ”o carcereiro da Lava Jato”.

Eu não creio em retorno de Lula, de seu partido, ou da esquerda ao poder. Tampouco creio que o eleitor brasileiro vá colocar numa das cadeiras do segundo turno do ano que vem, o menino da Globo. O Brasil não é um programa de auditório, embora algumas de suas instituições pareçam picadeiros. Quem duvida que ali adiante, como escreveu Guzzo, o preso seja o ex-juiz?

O que me angustia como cidadão, nesta noite de 8 de março, são os próximos passos. Entendi que eles estão planejados. E que serão dados, contando com o silêncio das ruas, com o lockdown (também ele um desses passos) e me declaro, desde já pronto para as mobilizações que, a meu modo de ver, o momento impõe. Sou mais Brasil. Não o faria por alguém. Nem contra alguém. Mas faço, sim, pelo Brasil.

4 pensou em “PELO BRASIL, SIM!

  1. Próximos passos?

    Bolsonaro e sua turma estão felizes da vida: polarizar a próxima eleição contra Lula é tudo o que eles queriam.

    Lula e sua turma também estão felizes, vão ter muita falação para deixar a militância contente.

    O que une Bolsonaristas, Petistas, Centrão e STF, além do desejo de que as coisas continuem como sempre foram, é o ódio a Sérgio Moro. Ele é o alvo a ser atacado e destruído.

    • Dom Marcelo Bertoluci:

      Já diziam os meus 4 avós – vindos diretamente da Itália, na 1ª leva de imigrantes para o RS – que “gringo” é 8 ou 80, em matéria de raciocínio e de pensamento.

      Isto é, ou é muito inteligente e sábio ou é muito “burro” e ignorante; sendo uns no todo, outros em partes.

      Tão “burro” que, se cai de 4, come o capim até a raiz.

      Tu, pelos teus comentários, te enquadras na 2ª qualificação.

      Ou seja, em alguns assuntos, vale a pena ler o que tu escreves, mas em outros …

      Basta ler o que tu escreveste:

      “O que une Bolsonaristas, Petistas, Centrão e STF, além do desejo de que as coisas continuem como sempre foram, é o ódio a Sérgio Moro.”

      Como tu podes unir (e, por dedução, igualar) “bolsonaristas” na frase acima – às demais imundícies citadas?

      Desde quando os “bolsonaristas ” têm o “desejo de que as coisas continuem como sempre foram” ?

      Se fosse assim, não aplaudiríamos o que o Bolsonaro está fazendo, tirando, pouco a pouco, o Brasil do imenso atoleiro que foi imerso, nas últimas décadas.

      Tudo – com imenso esforço!!! – apesar de toda canalha, asquerosa, nauseabunda, mesquinha, hipócrita, interesseira, imbecil, idiota, enfim “burra” oposição que está sofrendo, diuturnamente, por parte dos Petistas, da Grande Mídia, do Centrão e do STF.

      Se tu, realmente, quiseres parar de dizer, no mínimo, tal besteira, basta, pois, acessares a SECOM (Secretaria Especial de Comunicação Social) e lá – desde o primeiro dia que o Bolsonaro assumiu, dia por dia (e com toda a transparência!!!) – podes consultar e te inteirar de tudo que o governo federal (em todas as suas áreas!!!) tem feito, está fazendo e pretende fazer.

      E desde quando os “bolsonaristas ” têm “ódio a Sérgio Moro.”?

      “Ódio”? O que temos é um profundo desgosto, uma doída decepção (e até uma espécie de pena) de ver alguém – que, inegavelmente, é um “expert” no seu trabalho, tendo por isso sido, merecidamente, muito admirado – deixar-se perder por uma estúpida vaidade e uma egocêntrica pretensão de poder, a ponto de trair os que confiavam nele e, sempre, o defendiam dos sórdidos ataques que sofria.

      Portanto, pare de a nós – verdadeiros bolsonaristas, com muito orgulho!!! – intencionalmente ou não, ofender com ignorantes conclusões e infundadas maledicências.

      Tenha uma boa noite!!!

      • Nobre Adail,

        nunca que eu imaginaria ver uma definição tão cirurgicamente precisa acerca de Bertoluci (ao qual não deixo de nutrir grande admiração mesmo quando me ponho antagônico ao mesmo em questões pontuais).

        Nunca que eu seria capaz de verbalizar ou escrever tal perfil.

        De fato, o Bertoluci na maior parte do tempo se mostra um gênio da escrita, dotado de uma cultura ímpar e robusta desenvoltura para tratar de temas de grande dificuldade. Por outro lado, quando decide pecar na ignorância, faz isso de forma tão hereticamente dissonante que quase aparenta ser um deslocamento de personalidade estilo Dr. Jekyll e Mr. Hide (vide um episódio acerca de “tráfico de computadores”).

        Se não fosse o seu conjunto da obra (muito mais píncaros de genialidade do que profundos fossos de burrice), tratá-lo-ia como trato o Boiano.

  2. Prezado Marcelo e amigos,

    Preparem-se para presenciar as maiores manifestações já vistas na história deste país, todas de absoluto repúdio a esta cachorrada praticada pelo nauseabundo STF.

    O dia “D” será 04 de abril que vem.

    Quem viver, verá! Quem tiver olhos para ver, verá!

    Quanto aos militares, terão de decidir de uma vez se vão ficar conhecidos por usar calcinhas fio dental cor de rosa, ou cuecas Zorba, coturnos e gandolas.

Deixe uma resposta