ADONIS OLIVEIRA - LÍNGUA FERINA

Eis alguns exemplos de comportamento que eu gostaria de compartilhar com meus amigos, bem como fazer uma pequena comparação com os padrões de comportamento das nossas lideranças atuais. Vamos a eles:

1. Gustave Eiffel

Muito debate precedeu a decisão sobre o local onde a torre comemorativa dos 100 anos da revolução ficaria. Em 8 de janeiro de 1887, um contrato foi assinado entre a pessoa física de Eiffel e a municipalidade de Paris. Foi-lhe garantido 1,5 Milhão de Francos para a construção, menos de ¼ do total estimado em 6,5 Milhões. Pela diferença, Eiffel teve assegurado o direito de Exploração Comercial da torre durante a Feira Internacional de 1889, comemorando o centenário da Revolução, e por mais 20 anos. Uma empresa foi criada só para isso.

A quantidade de projetos icônicos realizados por Eiffel é imensa. Se fôssemos listá-las, necessitaríamos de muitas páginas. Os dois projetos que são reconhecidos internacionalmente como marcas registradas dos seus respectivos países são a Torre que leva seu nome, em Paris, e a Estátua da Liberdade, em Nova York.

A importância de Eiffel como engenheiro é dupla. Primeiro, sua capacidade de adotar técnicas inovadoras desenvolvidas por outros, tal como os caixões de ar comprimido em pilares profundos de concreto. Depois, sua insistência em basear todas as decisões de engenharia em cálculos detalhados das forças envolvidas, junto com altíssimo nível de detalhamento nos desenhos e na manufatura das partes. Sem esquecer o potencial estético das estruturas cuja aparência é, em muito, ditada por questões práticas. Ao final da vida, suas contribuições à aerodinâmica foram tão importantes quanto suas imensas contrições à engenharia.

No mesmo ano em que iniciou a torre, 1888, Eiffel se envolveu com construção de um canal atravessando o istmo do Panamá. A Panamá Canal Company, companhia francesa liderada por Ferdinand de Lesseps, tentava construir um canal ao nível do mar. Ao se deparar com grandes desníveis, viu que seria impossível. O projeto passou então a incorporar grandes comportas. Foi aí que Eiffel entrou como contratado, para desenhá-las e construí-las. Eram comportas gigantescas, algumas delas com um desnível de 11 metros.

Fazia pouco mais de um ano que Eiffel se dedicava ao projeto quando, em14 de dezembro de 1888, a empresa suspendeu o pagamento dos juros e entrou em liquidação. A reputação de Eiffel foi bem atingida, quando ele foi implicado no escândalo. Mesmo sendo apenas contratado, e com uma longa carreira de grandes sucessos, ele foi acusado, junto com os diretores do projeto, de levantar fundos com falsas propostas e apropriação desses fundos. Em 9 de fevereiro de 1993, foi considerado culpado por mal-uso dos fundos, multado em 20.000 Francos e condenado a dois anos de prisão. Foi absolvido na apelação. Sua reação foi ressarcir todos que haviam sido prejudicados pelo projeto, usando para isso recursos de sua fortuna pessoal. Dizia ele que sua reputação valia bem mais que qualquer quantia em dinheiro.

O exemplo de honradez e dignidade em mais alto grau que deixou, deve ter sido a maior obra de sua vida.

2. Sir. Alexander Fleming

Reza a lenda que um dia, o filho gordinho de um Lorde inglês, ao nadar em um lago da Escócia nas férias de verão, teria quase se afogado. Foi salvo pelo filho de um pobre camponês que morava próximo. Emocionado com o resgate de seu filho querido, o Lorde quis dar ao camponês uma bela quantia em dinheiro, mas este se recusou a aceitar. Afirmou que, o que seu filho havia feito, era a obrigação de qualquer humano decente. Lord Spencer, este era seu nome, não se deu por vencido. Perguntou o que o rapaz gostaria de estudar. Seu sonho era ser médico. Imediatamente se prontificou a pagar seus estudos até se formar. E assim foi feito.

Muitos anos depois, Winston Spencer Churchill, o mesmo gorducho que escapara de se afogar na Escócia, era o Primeiro Ministro do Reino Unido. Estavam em meio a uma das piores crises por eles já enfrentadas: A 2ª Guerra Mundial. Para completar, o grande líder da resistência inglesa foi acometido de uma fortíssima pneumonia que, segundo os padrões da medicina na época, poderia leva-lo a óbito. Eis que lhe foi sugerida a utilização de uma nova droga milagrosa, descoberta por um médico escocês de nome Fleming. Ao conhecer o descobridor do remédio, afirmou que este teria lhe salvo a vida. Ao que este respostou: Uma vez só, não! Salvei duas vezes. A primeira foi no lago lá na Escócia. A boa ação do seu pai foi quem lhe salvou agora.

Quando Fleming soube que Robert D. Coghill e Andrew J. Moyer haviam patenteado nos Estados Unidos, em 1944, o método de produzir Penicilina, ficou furioso e comentou: “Eu descobri a Penicilina e a dei de graça a toda a humanidade. Por que alguém deve ter o monopólio dos lucros de sua manufatura em outros países? ”

Tivesse Fleming patenteado a Penicilina, teria certamente se tornado um dos homens mais ricos do mundo.

3. Albert Sabin

Abram Saperstejn nasceu em 1918, de pais judeus, em Bialystock, no Império Russo. Em 1921, emigrou para os Estados Unidos. Em 1930, tornou-se um cidadão naturalizado e mudou seu nome para Albert Sabin. Começou seus estudos universitários visando se formar em dentista. Só depois foi que se interessou pela área de virologia, passando praticamente toda a década de 30 pesquisando em diversas instituições. Durante a 2ª Guerra, foi oficial médico das forças armadas americanas, ocasião na qual desenvolveu uma vacina contra a “Encefalite Japonesa”. Ao fim da guerra, continuou suas pesquisas na ala infantil da Universidade de Cincinnatti, desta feita como chefe de pesquisas pediátricas. Por esta época, o grande mal que afligia as crianças era poliomielite. Inúmeras pesquisas estavam em desenvolvimento ao mesmo tempo. A principal, conduzida por Dr. Jonas Salk, em Pittsburgh, previa a inoculação de vírus desativados por injeções. Foi liberada para uso em 1955, mas apresentava alguns problemas: Primeiro, foi constatado que haviam diferentes cepas do mesmo vírus. Depois, que a vacina não prevenia a infecção intestinal que antecedia a proliferação da paralisia provocada pelo vírus. Atuava apenas na fase em que a doença já estava disseminada pelo organismo.

A primeira grande descoberta de Sabin foi constatar que o vírus se instalava primeiro nos intestinos. Só depois, partia para a fase seguinte e aguda da doença. Foi esta descoberta que lhe possibilitou desenvolver uma vacina de aplicação oral, muito mais simples de aplicar e com eficiência total contra todas as cepas do vírus.

A vacina oral de Sabin foi desenvolvida a partir de cepas mutantes do vírus, que estimulavam a produção de anticorpos, mas sem causar a paralisia. As primeiras cobaias foram ele mesmo, seus colegas de pesquisa e suas famílias. A primeira aplicação foi num reformatório de Ohio, no final de 1954. De 1956 a 1960, Sabin trabalhou com colegas russos a fim de aperfeiçoar a sua vacina e comprovar a sua extraordinária eficácia, ao bloquear o vírus ainda nos intestinos e evitando a sua entrada na corrente sanguínea. Neste período, a vacina foi aplicada em mais de 100 milhões de pessoas, primeiro na Rússia e, depois, em diversos países, tornando-se o método predominante e praticamente exterminando esta doença no nosso planeta.

Sabin se recusou a patentear a sua vacina, para que o baixo preço de produção pudesse garantir que o tratamento fosse aplicado da forma mais extensa possível. Nunca ganhou um centavo com a sua vacina. Continuou a viver com seu salário de professor até morrer.

Por sua realização, em 1986, foi condecorado pelo Presidente do Soviete Supremo da URSS com a Ordem da Amizade entre os Povos, a maior condecoração concedida por este país.

4. Ignaz Philipp Semmelweis

Nasceu a 1 de julho de 1818, nas proximidades de cidade de Buda, na Hungria. Era o 5º entre os 10 filhos de József Semmelweis e Teréz Müller, ambos de ancestralidade germânica. Iniciou seus estudos na Universidade de Viena, em 1837, voltado para a área do direito. Depois, por motivos desconhecidos, mudou para medicina. Obteve o grau de Doutor em Medicina em 1844, decidindo se especializar em obstetrícia. Foi contratado como assistente do Professor Johann Klein, na 1ª Clínica Obstétrica do Hospital Geral de Viena, em 1 de julho de 1846, posição equivalente a “Residente Chefe”. O trabalho previa examinar os pacientes pela manhã e prepara-los para a visita do Professor, supervisionar atendimentos, ensinar os estudantes e manter os registros.

Maternidades foram criadas por toda a Europa para resolver o problema do infanticídio de crianças ilegítimas. Eram gratuitas e se ofereciam para cuidar das crianças, o que as tornava atrativas para mulheres pobres, aí incluídas as prostitutas. A contrapartida era estas se submeterem ao treinamento de estudantes e parteiras.

Haviam duas maternidades no Hospital de Viena. A 1ª, tinha uma taxa de mortalidade materna de 10%, especialmente devido a febre puerperal. A 2ª, apresentava uma taxa de mortalidade inferior a 4%. Este fato era bem conhecido fora do hospital. As clínicas admitiam em dias alternados, mas as mulheres imploravam para serem atendidas na 2ª clínica. Semmelweis descreve mulheres desesperadas, implorando de joelhos para não serem atendidas na 1ª clínica. Algumas delas preferiam parir nas ruas, dizendo que haviam dado à luz a caminho do hospital, a fim de garantir os benefícios para a criança sem ingressar na clínica. Ele ficava admirado que a Febre Puerperal não atacasse estas mulheres que pariam nas ruas, quando o lógico seria que tivessem uma taxa pelo menos semelhante à da clínica. O que que protegia essas mulheres? Ele ficou tão deprimido, ao constatar a grande diferença de incidência de Febre Puerperal entre as duas clínicas, que chegou a considerar sua vida como sendo sem valor.
As clínicas usavam as mesmas técnicas e ele passou a eliminar as possíveis diferenças, inclusive as práticas religiosas. A 1ª clínica era voltada ao ensino dos estudantes. A 2ª, apenas ao ensino das parteiras. Ele eliminou a “superpopulação” como causa, já que a 2ª clinica estava sempre mais cheia que a 1ª. O clima também, já que era o mesmo para as duas. A grande sacada surgiu em 1847, quando da morte do seu amigo Jakob Kolletschka, que se cortou acidentalmente com um bisturi ao realizar necropsia. A necropsia dele revelou uma patologia exatamente similar à apresentada pelas mulheres que morriam de Febre Puerperal. Semmelweis imediatamente intuiu a conexão entre contaminação cadavérica e Febre Puerperal. Propôs que os estudantes, e ele mesmo, levariam nas mãos “partículas cadavéricas” das necropsias que realizavam antes de examinar as pacientes na 1ª clínica. Coisa que não ocorria na 2ª clínica, já que parteiras não faziam necropsias.

A Teoria Microbiana das Doenças ainda não havia sido aceita em Viena. Assim, Semmelweis concluiu que algum material cadavérico misterioso seria o provocador da doença. Instituiu então a prática de lavar as mãos com Hipoclorito de Cálcio entre as necropsias e o exame das pacientes. Decidiu por este produto pois ele era eficiente em eliminar das mãos o cheiro pútrido decorrente das necropsias, o que deveria eliminar também as causas da contaminação. Como resultado, a taxa de mortalidade da 1ª clínica caiu 90%, e se manteve igual à taxa da 2ª clínica. Depois que a lavagem das mãos foi instituída em maio, a taxa de junho foi 2,2%, julho foi 1,2%, agosto foi 1,9% e depois, pela primeira vez foi obtida uma taxa de 0% em dois meses do ano seguinte.

A sua hipótese, de que haveria uma única causa – a limpeza – e que isto era tudo o que importava, era radical para o seu tempo e foi amplamente ignorada, rejeitada e ridicularizada. Ele foi demitido do hospital por razões políticas e sofreu ameaças físicas da comunidade médica de Viena, sendo forçado a se mudar para Budapeste.

Revoltado pela indiferença dos profissionais médicos, começou a escrever cartas abertas cada vez mais violentas e raivosas para os maiores obstetras de seu tempo, acusando-os de serem assassinos irresponsáveis. Seus contemporâneos, inclusive sua esposa, acharam que ele estava ficando louco e, em 1885, aproximadamente 20 anos após a sua descoberta, foi internado no Hospício Provincial. Morreu de Septicemia apenas 14 dias após ser internado, provavelmente como resultado de violento espancamento que sofreu dos guardas.

A prática que propôs só foi ter aceitação alguns anos após a sua morte, quando Louis Pasteur desenvolveu a teoria das doenças microbianas, dando assim uma explicação teórica ao achado de Sammelweis. Hoje, ele é considerado o pioneiro das práticas de assepsia.

Taxas Mensais de Febre Puerperal na maternidade da 1ª Clínica de Viena – 1841 a 1849. A taxa caiu de forma acentuada após a implantação da lavagem de mãos com Cloreto de Cálcio, em maio de 1847.

Comparem os exemplos acima com nossas lideranças atuais. Para este monte de bandidos:

• Os fins justificam os meios, quaisquer meios, mesmo os mais abjetos. O que interessa é o poder.

• São mentirosos cínicos, sem qualquer limite moral, ético ou religioso. Não tem honra e a palavra nada vale.

• Demagogos e populistas, sempre manipulando as esperanças e os sonhos da população humilde.

• Sempre numa busca desesperada para se apropriarem rápido de vultosas somas de dinheiro público.

• Totalmente despreocupados com o bem comum, sempre cinicamente fantasiados de razões humanitárias.

• Utilizam o terror como meio de dominação da população, sabe-se lá com que objetivo final.

• A pusilanimidade e tibieza domina as decisões dos responsáveis por irem contra esse bando de patifes.

• O objetivo maior de todos eles é derrubar Bolsonaro, único empecilho entre eles e a roubalheira desbragada.

Vamos deixar impune essa multidão de excrescências, que se dizem humanos e que estão afundando cinicamente o nosso país?????

VOCÊ DECIDE!

2 pensou em “PELA MINHA HONRA!

  1. Um texto magnífico (que merece pelo menos 1.000.000.000 de comentários) como o lido acima, inspirado por Mozart QUANDO a FORÇA, A MAGNITUDE tão melhor caberia se inspirado na fúria beethoviana…The inspiration you get of a genius of beauty like Mozart feels so good and marvellous in little and big things in life.

    O objetivo maior de todos eles é derrubar Bolsonaro, único empecilho entre eles e a roubalheira desbragada? Mas (científico e penicilínico mas), não é TUDO apenas pela CIÊNCIA.

    Esquenta não, caro amigo. Ano que vem os vermelhos (PT e seus puxadinhos), com o apoio incondicional (???) da extrema-imprensa ensinarão ao POVÃO de novo, novamente e outra vez como é maravilhoso MORAR na PROPAGANDA do PT.

    • O conservador Guillermo Lasso ganhou a presidência do Equador com 4,72% de vantagem (52,36%,cerca de 4,7 milhões de votos, contra 47,64%,cerca de 4,2 milhões) sobre o economista de extrema-esquerda Andrés Arauz, depois que a apuração preliminar da votação do último domingo foi concluída no sábado (17), informou o Conselho Nacional Eleitoral.

Deixe uma resposta para San Cho Coco Loco Cancelar resposta