PAULO CARVALHO – RECIFE-PE

Sobre a condução da educação do Brasil e os constantes maus resultados no exame do PISA:

Em 1988, o estudante brasileiro não sabia matemática.

Em 1998, o estudante brasileiro não sabia matemática e também ciências.

Em 2008, o estudante brasileiro não sabia matemática, ciências e também português.

Em 2018, o estudante brasileiro não sabia matemática, ciências, português e também se é menino ou menina.

14 pensou em “PAULO CARVALHO – RECIFE-PE

  1. O “não sabia” está dando de goleada. Qual a parcela de responsabilidade cabe a país, alunos e educadores em todas os níveis do processo? Sugiro que os agentes citados mirem-se nos exemplos que os países orientais esfregam na cara do resto do mundo. A turma do olhinho puxado sempre encabeça as listas dos melhores, inclusive nos bancos escolares do Brasil. Copiar modelo de sucesso é virtude, dizia minha saudosa vovó.

  2. Comecei a estudar em 1952. Faz tempo pra porra. Aos 9 anos de idade, já escutava dos meus pais que, para ser alguma coisa (e eu sempre quis ser alguma coisa e alguém) precisava estudar. Eu estudei por 5 anos no Curso Primário, incluindo o último que chamávamos Curso de Admissão. Depois fui ao Liceu do Ceará, onde cursei o Ginasial e o Científico, saindo dali direito para a Faculdade de Medicina e de Filosofia. Fui atrapalhado por pedras no caminho nos anos 60. Vida que segue. Mudei para o Rio de Janeiro, entrei para a Faculdade de Economia, que não concluí. Anos depois cursei Comunicação Social, Jornalismo. Dito isso, lembro que, desde os passados anos 50, os(as) professores queriam e gostavam de ensinar – e ensinar era a paga mais valiosa, haja vista que ensinar nunca fez ninguém ficar rico. Nos dias atuais, as escolas que preparam os professores não ensinam merda nenhuma e ninguém aprende nada para ensinar. Nos anos 50, professoras ensinavam até quatro matérias. Hoje, não conseguem saber para ensinar uma sequer. Detestam “política” mas se politizam entrando e cerrando fileira nas manifestações dos sindicatos, içando a bandeira salarial. Só pensam nisso. Graduados, Mestrados e Doutorados não sabem porra nenhuma e a prova é que “contratam sempre alguém” para escrever as monografias. Se graduam com esses cursos superiores apenas para “melhorar salários”, e não para aprender e ensinar. Vão ao “orgasmo” quando são rotulados de tios ou tias pelos imberbes estudantes que vão às escolas apenas para preencher o tempo disponível. Chega, né?!

    • Aproveitando o “gancho”, também comecei a estudar “faz tempo pra porra” e ainda ecoa em meus ouvidos a voz de minha sábia mãe que dizia ser mais interessante segurar a caneta que o cabo de uma enxada (sachola ou guatambu),ferramenta manual dotada de uma lâmina transversal, acoplada a um cabo de madeira, que serve basicamente para encher as mãos de calos.

  3. Muito bom……
    Com um imbecil e ignorante que detesta ler só podia escolher os piores, vide Dillma, Gleisy, Lulinha como os fenomenos de inteligencia e de gestao.
    Achavam que eram espertos mas sao apenas mentirosos e desonestos.
    Com 70 anos ainda tenho esperança de ver um Brasil forte com nosso povo mais dignidade e mais feliz.
    Vamos ver o q acontece em 2020 e 2022……

  4. Algumas dessas sumidades em educação (principalmente os políticos) não conseguem falar corretamente o que dirá escrever. Basta ver os mesmo fazendo discurso (as vezes não conseguem ler o que os assessores escreveram para eles falarem!

  5. e o recebimento do bolsa família está vinculada a presença do dito estudante na escola.
    na escola que minha esposa trabalha os mais problemáticos são esses, não assistem aula, não entram na classe e quando entram atrapalha quem quer aprender e uma vez ela perguntou o porque eles iam para a escola e eles responderam que só iam por causa do bolsa família, a mãe não deixava ficar em casa, porque se faltar não rebebe.
    é esse o futuro que esta sendo criado.

  6. A CANHOTA PIRA!!!!!! O risco-país chegou hoje ao menor patamar… Medido pelo Credit Default Swap, o índice estava em 98 pontos às 14h, menor valor desde novembro de 2010.

    Bolsonaro y su equipo de ministros representa a las personas trabajadoras, honradas y con principios y valores y somos mayoría en Brasil.

  7. GO BOLSONARO, GO!!!!! A S&P, uma das principais agências de avaliação de risco do mundo, alterou de estável para positiva a perspectiva do Brasil. Segundo a agência, o governo continua a implementar medidas de consolidação voltadas para reduzir o “ainda grande déficit fiscal”. A Canhota pira!!!!!!

  8. A VERGONHA MAIOR são os resultados do PISA (2018 – Alunos de 15 anos, isto é, após 9 – repito 9 – anos de estudo(?)).

    Arredondando os resultados, fica, absolutamente, provado que 6 em cada 10 alunos são incapazes de entender ou expressar-se na língua materna; 7 em cada 10 alunos são incapazes de realizar simples cálculos matemáticos, assim como entender o mundo que os rodeia, a partir de elementares conhecimentos científicos.

    E os apelidados de “professores”, isto é, os “intelequituais-de-cabresto” – que só se importaram (e se importam, esse tempo todo!!!) em “fazerem as cabeças de seus alunos” com suas ideologias nefastas e criminosas – ainda querem aumento de salário.

    Deveriam, isso sim, devolver cada centavo que lhes foi pago – com juros e correção monetária – pois além de, CRIMINOSAMENTE, roubarem o futuro de seus alunos, roubaram do Estado por, também, CRIMINOSAMENTE, não exercerem as atividades para que foram contratados.

    Aliás deveriam todos serem condenados à prisão perpétua, com trabalhos forçados, pelo horrendo crime que, voluntariamente, cometeram com os estudantes, que – durante 9 anos – passaram por suas mãos, e – o que é trágico e irreversível!!! – roubando e/ou destruindo o seu futuro.

    Ou alguém acredita que, mais tarde, esses estudantes terão algum emprego decente, a não ser (quando houver!!!) o bruto – o de “brucutu” – e que exige só força física e nenhum cérebro, e ganhando um miserável salário mínimo?

    E esses/essas CRIMINOSOS, que se travestem de “professores”, ainda se atrevem a querer algu m aumento, se o que ganham já é o roubado!!!

    Ou alguém, em sã consciência, pagaria a um empregado seu que se negasse a cumprir as suas tarefas, e que fizesse, justamente, o contrário, causando prejuízos voluntários e – o que é o pior – CRIMINOSOS???

    O mínimo que deve fazer o empregador é usar o seu direito de demití-lo por justa causa, e ainda mais, entrar na justiça exigindo ressarcimento pelos danos causados.

    É o que as autoridades municipais, estaduais e federais deveriam fazer – sempre – com esses CRIMINOSOS (que conspurcaram e infectam o sagrado ambiente de uma sala de aula e, valendo-se de seu poder de persuasão!!!) transformaram e transformam, VOLUNTARIAMENTE, uma nobilíssima tarefa em uma ignóbil, uma imunda, uma porca, uma fedorenta, uma virulenta atuação, com resultados tão negativos que são, praticamente, irreversíveis.

    Sei que estou “gastando chumbo grosso em carancho (carcará) magro”, mas a minha indignação me impede de ficar calado.

    Falo com total conhecimento de causa, pois fui PROFESSOR durante 35 anos, e vi e vivi o auge do ensino e os primeiros passos de sua decadência – agora total, quando o maldito freirismo (no início, subrepticiamente e depois, às claras) infectou, totalmente, e assassinou o processo todo, do pré-primário à universidade.

    Tudo porque as “libélulas deslumbradas” petistas e assemelhadas (que se apelidavam e se apelidam de “professoras” e “professores”) – que eram e são a maioria), ideologicamente canhotas, esquerdopatetas, caíram facilmente na conversa fiada desse CRIMINOSO, CANALHA e FARSANTE (por decoro, não vou usar outras palavras mais duras e obscenas – que essa imundície “intelequitual”, que esse lixo pedagógico(?) merece!), chamado Paulo Freire.

    O resto, o resultado funesto, as consequências irremediáveis, descarada e ofensivamente, estão aí: GERAÇÕES PERDIDAS e SEM FUTURO!!!

    Só não as enxerga, quem não as quer ver!!!

  9. O dramático é saber que o estrago está posto e vai continuar se repetindo, pois uma boa educação se constrói em base sólida. A base que temos está fragilizada, pois foi construída sobre uma ideologia ineficaz.
    Esse estrago talvez seja atenuado, se as novas políticas educacionais surtirem efeito.

Deixe uma resposta