ADONIS OLIVEIRA - LÍNGUA FERINA

Conforme os renitentes leitores devem estar informados, já estudei de tudo neste mundo de meu Deus: Da fabricação de alfinetes à explosão de bombas atômicas, passando pela vida sexual doa Papuas da Nova Guiné no século XVII. Só duas áreas do conhecimento humano não atraíram minha curiosidade insaciável: A medicina e o direito. Medicina, por considerar que é eminentemente baseada em palpites e chutes, dada a incomensurável complexidade do organismo humano, além de que não suporto ver sangue e sofrimento. Já a advocacia, por considerar esta categoria como sendo formada pela pior escória da humanidade. Quem não serviu para coisa nenhuma, só teve duas opções na vida: Ou ser vendedor, que vive vender conversa e empulhação; ou advogado, que é praticamente a mesma coisa, só que com mais refinamento.

Sobral Pinto disse certa vez que “O advogado de defesa deve ser o primeiro juiz do réu!”. Quis dizer com isso que, ao ser convidado para defender alguém, a primeira coisa que o mesmo tinha que fazer era verificar se estava realmente convencido da inocência daquele indivíduo. Caso contrário, tornar-se-ia imediatamente cúmplice de um crime, motivado apenas e tão somente pela perspectiva de auferir ganhos financeiros. Esta parece ter sido a opção preferencial da absoluta maioria dos nossos bacharéis.

Em paralelo com a absoluta decadência moral da categoria, o Brasil está engolfado por uma multidão imensa desses rábulas. Estes perceberam que a opção de se juntar às hostes governamentais seria a melhor alternativa para darem vazão a suas patifarias impunemente, ao mesmo tempo em que se assenhoravam de vantagens inimagináveis e de forma hereditária. Hoje, a única opção que, segundo eu vejo, possibilitaria a nossa nação parar de afundar cada vez mais na merda, seria enforcar o último advogado (especialmente juízes, procuradores, defensores, corregedores, desembargadores et caterva) nas tripas do último político.

Estas são algumas das consequências deste ataque de gafanhotos sobre a nossa combalida nação:

1. PRECATÓRIOS

Considero esta patifaria o ápice da canalhice na administração pública. O governante pratica atos de esbórnia durante seu mandato. O prejudicado recorre à justiça. Esta, mesmo majoritariamente composta por canalhas, por algum motivo indevassável (ou interesse escuso) e após anos de postergação, declara o demandante merecedor de receber aquele pagamento. O patife que está no comando no momento declara à justiça que não dispõe de recursos e lança a dívida nos precatórios, quer dizer: para o dia de são nunca. Deveriam ambos, o governante atual e quem praticou a canalhice, seguirem para o patíbulo em marcha acelerada! Hoje, o governo deve quase 100% do PIB em títulos do Tesouro. Demandaria uns 05 (CINCO) anos para pagar, caso o governo ficasse só pagando os juros da dívida e não fizesse ou gastasse mais nada. Se juntarmos os precatórios pendentes, que ninguém sabe a quanto vai, significa dizer que não sairemos da merda MAIS NUNCA!!!!!

2. INSS

A previdência oficial de nosso país é um dos maiores trambiques da história da humanidade. O Governo Federal obrigou todos os trabalhadores brasileiros, ao longo de décadas, a pagar 36,5% dos seus ganhos a fim de garantir uma renda quando parassem de trabalhar. Fortunas imensas foram direcionadas ao governo por este meio. Imensas ladroagens foram montadas em cima desta fortuna. Criou-se um tal de “Fundo de Amparo ao Trabalhador” que serviu para tudo, menos para amparar trabalhador. Políticos espertos montaram cursos de “Capacitação” a fim de treinar trabalhadores desempregados. Eram cursos de nada com coisa nenhuma! O custo? Sempre aberrantemente alto, proporcionou o desvio de quantias imensas para os bolsos destes larápios. Foram financiadas obras em tudo que é país do “Campo Progressista”, sem que tivessem a decência de pagar esses empréstimos. Distribuiu-se aposentadorias a multidões de pessoas que nunca contribuíram para o fundo. Proporcionaram aposentadorias nababescas aos marajás da administração pública, sem que houvesse a mínima necessidade de cálculos atuariais. Hoje, como consequência, o otário que bancou essa esbórnia fica brigando na justiça canalha durante anos, a fim de receber algo que seria seu direito líquido e certo. Quando ganha, vai para os precatórios. Se receber antes de morrer, é um felizardo. Chamá-los de FILHOS DA PUTA é pouco!

3. JUDICIÁRIO – NABABOS QUE NÃO SERVEM PARA PORRA NENHUMA!

Esta foi outra forma absolutamente genial que as hordas de causídicos encontraram para se locupletar às custas das multidões de otários pagadores de impostos. A estratégia tem a dupla vantagem de, além de propiciar ganhos inimagináveis para os pobres mortais, serem inamovíveis e vitalícios. Isto significa dizer que ninguém mexe com eles. Se fizerem muita merda, e começarem a dar bandeira das ladroagens, o máximo que acontece é serem aposentados, já que são julgados por colegas tão ou mais canalhas que eles. O outro aspecto interessante desta falência nacional é a judicialização de toda a nossa sociedade. Hoje, tudo é motivo para “abrir um processo”, mesmo sabendo que durará anos e não vai dar em porra nenhuma. São verdadeiras hordas de promotores e procuradores, todos ávidos por mostrar serviço e justificar os gordos salários.

4. PARTIDOS POLÍTICOS e fundo eleitoral

Hoje o câncer primal de onde se originam todas as patifarias e canalhices da nossa administração pública se chama partidos políticos. Dezenas, hoje, amanhã, serão centenas. Haverá partido para tudo. Cada patife deste país quer um partido para chamar de seu. Tudo isso alavancado pelas imensas vantagens financeiras propiciadas pelo simples fato de participarem da famigerada administração pública. A sua prerrogativa de fazer as leis serve como uma imensa “espada de Dâmocles” sobre as cabeças dos governantes, reforçando sobremaneira sua capacidade de chantageá-los a fim de obter vantagens. Isso, sem falar nos BILHÕES dos fundos eleitorais. É por esta razão que os escalo para cederem as tripas para enforcar o último advogado.

5. ASSESSORES PARLAMENTARES

A prerrogativa de poder nomear multidões de baba-ovos, sem que haja a mínima necessidade de avaliação da competência, ou de justificativa para a necessidade da contratação, é uma das que mais atraem as hordas de calhordas vorazes. A nobre instituição da “Rachadinha”, sobre os salários de milhões de aspones, é fonte de grande parte da renda auferida pelos nossos nobres políticos. São mais alguns BILHÕES que vão pelo ralo.

6. ENCARGOS SOCIAIS e SISTEMA “S”

Outra invenção satânica, desta feita da lavra do nobre Adolf Hitler, é o famigerado “Sistema S”. Quando o Führer inventou essa jogada, as montanhas de dinheiro que arrecadou deram para financiar o rearmamento alemão para a 2ª guerra mundial. Aqui, o dinheiro mal deu para saciar as hordas de vorazes parasitas. Com isso, o dinheiro que era para ser investido e pagar as aposentadorias dos trabalhadores foi todinho desviado.

7. INDENIZAÇÃO POR PERSEGUIÇÃO POLÍTICA – (Dilma já está na quarta indenização)

Bandidos, terroristas e assaltantes de bancos, cujo objetivo era implantar a “Ditadura do Proletariado” em nosso país, são abundantemente remunerados pelo governo por conta disso. Considero esta jogada absolutamente genial. Isso sim é roubar com categoria. TAMBÉM QUERO! Como é que faz para conseguir?

8. O “POLITICAMENTE CORRETO” – O novo puritanismo fundamentalista

Para as multidões de tiranetes ladravazes, não basta nos roubarem descaradamente. O poder sem arbítrio não tem graça nenhuma. Os caras têm que nos encher o saco, dizendo o tempo todo o que podemos e o que não podemos falar ou fazer. Vivemos agora a ditadura das minorias e o terrorismo governamental.

9. A INDÚSTRIA DA MULTA

Para completar todas a longa sequência de putarias, contratou-se multidões de imbecis cuja única missão é encher o saco do cidadão com minúcias irrelevantes. Se tomar uma taça de cerveja e for dirigir, é pior que Jack o estripador. Se atravessar um sinal às 3 horas da madrugada e quando não vem ninguém, é um bandido. A cada esquina, uma câmara vigia seus passos, ávida para lhe emitir uma pesada multa. Big Brother is Watching (and Fucking) You! Enquanto isso, bandidos de verdade não podem ser presos e recebem bolsa.

DEU PARA ENTENDER POR QUE ESTOU DE SACO CHEIO COM ESSA MERDA DE PAÍS?

P.S. Na próxima semana, descreverei quais serão os desdobramentos desse tsunami de patifarias no futuro.

46 pensou em “PATIFARIAS OU RÁBULAS E A NOBRE ARTE DA EMPULHAÇÃO

  1. Adônis,

    Seus petardos sobre a patifaria política no Brasil são de um alento sem paralelo para quem quer saber o óbvio nos “podreires” políticos.

    Hoje as agências reguladoras e os TCUs (que não servem para porra nenhuma) são uns galinheiros cheios de raposas.

    Tiremos como exemplo a Empresa de Turismo de Pernambuco – Empetur, a maior cabide de emprego do mundo para quem sonha em viver nababescamente.

    TODOS OS “FUNCIONÁRIOS” QUE LÁ “TRABALHAM” SÃO INDICAÇÃO POLÍTICA!

  2. Caro Adônis, na mosca, como sempre. Quase conclui o curso de Direito. Percebi que faria parte de um ambiente profissional de baixíssimo nível.

    • Mauro, protesto! Dentre advogados (e bacharéis, nas áreas de assessoramento e consultoria jurídica) convivi com grandes inteligências e gente de moral elevada, sérios e honestos.
      Se tivesses concluído o curso de Direito, poderias ter sido um advogado importante, sério e honesto, a melhorar o nível de algum grupo onde verificaste baixo nível.
      Maus profissionais existem em todos os ramos da ciência, da técnica e da prática, de modo que se fosses estudar medicina talvez tivesses de abandonar o curso, por ver falhas médicas com lesões e mortes; ou engenharia, onde viadutos e prédios caem; ou contabilidade, onde contadores acertam as contas de fraudadores; de modo que se termina por não fazer curso algum, porque não há profissão sem defeitos, há seres humanos melhores e pessoas piores.
      Recuso-me a aceitar as agressões injustas aos advogados, aos juízes, aos promotores, aos profissionais do Direito em geral. A meu ver quem faz esses ataques generaliza com base em fatos isolados – e também na baixa qualidade da formação dos cursos universitários, que derramam diplomados na sociedade, não só de minha profissão.

      • Caro, tenho advogados na família, tenho amigos advogados. Quase fui um. Acordei a tempo. Como um mal necessário, talvez, tenhamos que utilizar o serviços deles. Por tudo o que vi, já na sala de aula, foi que me decepcionei. E olha que, isso faz muito tempo e pelo que observo, só piorou. Discordo quando você diz que eu poderia, quem sabe? um advogado importante. Discordo. É difícil um advogado honesto prosperar nem um antro de raposas. A própria OAB é uma instituição que não inspira a menor confiança. Dá para aceitar que um advogado medíocre, que foi reprovado em dois concursos para juiz, ser nomeado para ministro da mais alta corte do país? Perdi uma causa ganha em segunda instância pela negligência de um advogado e hoje, o advogado da parte então vencida naquela época, do estelionatário, pediu o bloqueio de uma quantia absurda em minha conta bancária,. reivindicando honorários. Conseguiu. Agora, continuo nas mãos de advogados, pois tive que contratar outro para tentar reverter esse absurdo. Essa situação se arrasta há mais de 20 anos. Eu já tinha até dado tudo por perdido e eis que uma ave de rapina me aparece para infernizar de novo a minha vida. São aves de rapina. Não quero que você responda a essa minha postagem. Se concorda ou não, guarde para si. Esse assunto me causa engulhos. Não pretendo estendê-lo além daquilo que possa suportar. Abração!

  3. Recentemente eu falei sobre o advogado do senador Chico Rodrigues, aqui do dinheiro no rabo. Todo mundo sabe que foi desviado da covid, mas o advogado se apressou pra dizer que se tratava de dinheiro pra pagar aos funcionários. Seis policiais civis tentaram arrombar o caixa rápido de um banco. A PM chegou, levou todo mundo. O advogado disse que eles foram coibir um assalto. A câmera mostrando a ação. Trinta caras estupraram uma jovem e o advogado disse que ela se ofereceu. Escrevi esse texto perguntando se era isso que eles chamavam defesa. Alguns colegas ficaram chateados.

    • Maurício, espero que não fiques chateado por eu perguntar se chamas trabalho profissional de contabilidade o do Contador, formado em nível superior, que dá voltas no Imposto de Renda para seus clientes, ou o que faz a contabilidade de bandidos, ou o que arruma o movimento financeiro das empresas para esconder mutretas, fugir dos impostos, formar caixa dois e assim por diante.
      Além disso, quero lembrar, ou informar, que muitas vezes o advogado reporta o que o seu cliente relata, o advogado não lê mentes, não tem bola de cristal e não participou dos fatos, cabendo-lhe, caso desconheça a verdade real, elaborar a defesa com base na verdade formal que os clientes informaram.
      Me admira muito que expoentes de universidades estejam compartilhando dessa injustiça quanto aos profissionais do Direito, úteis e necessários à sociedade para a realização da Justiça. É um despautério, um despropósito, um disparate!
      Ora, sim, ganham dinheiro também, como todos os profissionais, assim como também não ganham; há advogados ricos, remediados e pobres, como acontece com médicos, engenheiros, dentistas, arquitetos, contadores, farmacêuticos, fisioterapeutas, psicólogos, psiquiatras e quaisquer outros.

      • Fico chateado não. E quanto ensinava no curso de Ciências Contábeis, contava minhas estórias como analista de crédito de longo prazo no banco. Pedia que eles fossem profissionais dignos. Agora, não acho que se defende inventando mentiras.

        • Assuero, defender inventando mentiras é contra a ética profissional. Mentir é contra a ética geral. Os advogados honrados não inventam mentiras. Mas, como eu notei, nós dependemos de como o fato nos é relatado – e procuramos extrair a verdade do cliente. Se me procuras e me apresentas um documento contendo um direito teu que deve ser resgatado e o documento tem as características de válido, devo adotar as providências para fazê-lo. Se for inválido ou falsificado, a parte contrária o alegará, e isso não significa, em princípio, nem que há falsidade praticada pelo interessado, porque muitas vezes o portador crê que o documento é válido, porque o recebeu como tal.
          Quando tiveres notícias por terceiros do caso poderás pensar que o interessado é safado e o advogado cachorro, mas podem estar enganados.
          Há milhares de exemplos de ações onde parece que o advogado está mentindo ou de conluio em safadezas, mas isso não corresponde à realidade dos fatos, sendo que há casos também de advogados fazendo cachorrada, assim como há médicos fazendo cirurgias desnecessárias, há engenheiros cobrando material de primeira e usando de terceira e, por mais que recomendes, há contadores fazendo safadezas.
          Enfim, defendo minha classe contra essa injustiça da generalização, ou peço que quem a pratique declare também que médicos, engenheiros, contadores, arquitetos, dentistas são todos canalhas.

  4. Precatórios !. Bah!. Os governos civis anteriores a revolução de 64 também tinham suas dívidas com os funcionários , porém com a revolução , meu pai mesmo sendo absolutamente do contra , recebeu tudo que lhe era devido . Com o fim da revolução , no governo do Fernando Henrique outro perrengue , ganho na justiça mas os governos civis recorriam da sentença que acabou transformada em precatório . Devido a idade (92) e doença , deveria receber primeiro. Faleceu e não recebeu. Tem lei para fazer justiça e Lei para favorecer a injustiça. A última é mais forte. Deveriam ser chamados de “prevaricatórios”, pois não passam de prevaricações de certas “autoridades ” .

  5. 1. PRECATÓRIOS

    Impreca Sancho contra timaço, segundo o texto adônico, majoritariamente composto por canalhas, por algum motivo indevassável (ou interesse escuso).

    2. INSS

    Concorda Sancho em gênero, número e grau.

    3. JUDICIÁRIO

    Gosto deles. Amor não se discute.

    4. PARTIDOS POLÍTICOS e fundo eleitoral

    Aplaude Sancho: Hoje o câncer primal de onde se originam todas as patifarias e canalhices da nossa administração pública.

    5. ASSESSORES PARLAMENTARES

    Multidões de baba-ovos? Nomeaste-os bem, caro Adônis.

    6. ENCARGOS SOCIAIS e SISTEMA “S”

    Outra invenção que cai, segundo Adônis, na conta do demo (sempre usam LoisCiffer para justificar tudo).

    7. INDENIZAÇÃO POR PERSEGUIÇÃO POLÍTICA

    Pelo andar da carruagem, a turma do jbf um dia (não muito distante) será beneficiado por ela.

    8. O “POLITICAMENTE CORRETO”

    Desta onda só o jbf se salva(de joelhos imploro: muda não, Berto. Assim você criou esse seu monstrinho chamado Jornal da Besta Fubana. Assim o amamos). Os demais veículos de comunicação mergulharam de cabeça nesta onda e estão surfando que é uma maravilha.

    9. A INDÚSTRIA DA MULTA

    Minha esposa é colecionadora de multas. Não pode ver um radar que faz pose para a selfie. Tô phoddido!!!!

    10. Uffa!!!! Ainda bem que demais itens ficaram para a semana que vem.

  6. Caros José Paulo Cavalcanti, Marcos Mairton, Goiano e demais colegas (quê pretenção a minha chamá-los de colega..) segundo o Adonis somos os grandes responsáveis pela desgraça do Brasil.

    De minha parte sou duplamente culpado pois além de advogado também fui vendedor.

    Não sei quanto a vocês, mas depois dessa acho que vou queimar minha carteira da OAB e começar a melhorar o país…

    • Muita pretensão sua? Porra, Pablo, aqui é uma irmandade. Chama logo a gente de irmão, que aqui a turma “curte” por demais seus comentários. És um dos nossos. Quanto a seres um dos jurisconsultos desta nossa gazeta, saibas que os que são fubânicos formam exceção à regra adônica.

  7. Pablo, aqui estou para também falar a respeito desse besteirol a nosso respeito, os advogados:
    É revoltante ver pessoas que não entendem lhufas de Direto deitarem a falar bobagens, como essas que Adônis diz a respeito da advocacia, sabendo-se, primeiro, que sem advogado o Direito não se realiza.
    É o mesmo que pretender que os políticos são por definição desonestos e por isso acabar com eles, sendo que sem políticos não se realiza a política, e a sociedade não pode prescindir dos que conduzem o poder executivo e os legisladores, políticos por excelência.
    Quanto à advocacia, os mal-informados a respeito da Ciência do Direito, do alto de sua ignorância, pretendem usar uma fala do famoso Sobral Pinto para tentar justificar que o advogado deva se recusar a defender um criminoso, de qualquer espécie, desde que exerça o papel de “primeiro juiz” da causa e verifique que o réu é culpado.
    Há várias objeções:
    A primeira é que Sobral Pinto possivelmente não estava se referindo a criminosos, pois que o ilustre causídico sabia, melhor do que ninguém, que todos têm direito à defesa e a defesa não visa invariavelmente a inocentar o réu em casos de crimes, mas a cuidar para que a justiça seja aplicada nas medidas da lei, vistos os agravantes e os atenuantes, inclusive a legítima defesa.
    Na verdade, quando Sobral Pinto assim se manifestou, referia-se a uma causa trabalhista, quando, é claro, o advogado deve verificar se o autor tem razão no que pede ou se está querendo servir-se das leis, dos tribunais e dos advogados para levar adiante interesse desonesto.
    Um advogado ético e honesto jamais aceita patrocinar uma causa na qual verifique ou suspeite com sérios indícios disso, que estaria patrocinando a execução de um crime.
    Quem se dispuser a ler a lição de Sobral Pinto verá que por vezes se interpreta e se usa equivocadamente o que ele quis dizer.
    A segunda é, tratando-se de um réu em ação criminal, em que o advogado, salvo confissão do patrocinado, não dispõe dos elementos para exercer o papel de juiz sem tribunal, faltam-lhe os elementos do processo, provas e testemunhas, o contraditório e tudo o mais que leva à conclusão e à sentença.
    Ainda assim, como já disse, o réu terá de ter, obrigatoriamente, advogado, e mesmo que as tentativas de contratar advogado pelo réu falhem, por dever de consciência a que os contatados julguem atender, o juiz determinará defensor, o qual terá de fazer o possível para que o réu seja julgado com tudo o que lhe favoreça, para que a justa justiça se faça.
    Desse modo, a hipótese de que o advogado que defende o criminoso, sabendo ser ele culpado, se torna cúmplice, reflete uma completa ausência de conhecimento do Direito; e mais, a falta de compreensão de quem a emite dos mais básicos princípios norteadores da realização da Justiça.
    Há advogados, ruins, há advogados, ruins, há engenheiros ruins, há profissionais corruptos, desonestos, sem ética em todas as profissões, até nos sacerdócios, o que não justifica Adônis ou qualquer outra pessoa estender tais defeitos à própria profissão.
    Vamos exagerar: Por tal tipo de critério, outros profissionais também deveriam pautar-se – e ao ser procurado para a construção de uma casa o engenheiro e o arquiteto deveriam exigir a folha-corrida do interessado; ao saber que o paciente foi ferido em uma tentativa de assalto que fazia, o médico ao atender o bandido, deveria virar-lhe as costas e deixá-lo morrer.
    E assim por diante, pego-me precisando gastar o precioso verbo para explicar o que as pessoas deveriam saber por si próprias.
    Enfim, pela falta de noção das pessoas acerca de todos os que trabalham com o direito, vemos esse tipo de ataque aos advogados, mas não só; também aos juízes, cada vez que praticam atos aos quais estão submetidos pela lei e são considerados incompetentes, vendidos, isso e aquilo, quando na verdade estão, salvo alguma exceção, cumprindo estritamente o que manda a lei.
    Sou advogado e não posso ouvir calado tanto equívoco, incompreensão, injustiça e ignorância decorrentes do absoluto despreparo na matéria.

    • Goiano.

      Dessa vez, o acumulado de idiotices que tu está proferindo ultrapassou todos os limites!

      1- “sem advogado o Direito não se realiza”
      QUEM DISSE???
      A praga começou quando inventaram que todos são retardados mentais e necessitam de um larápio desses para lhes defender os interesses.

      2- “Um advogado ético e honesto jamais aceita patrocinar uma causa na qual verifique ou suspeite com sérios indícios”.
      O DIFÍCIL É ACGHAR UM QUE SEJA ÉTICO E HONESTO! AHAHAHAH

      3- “o que não justifica Adônis ou qualquer outra pessoa estender tais defeitos à própria profissão”.
      A PROFISSÃO É UMA MERDA POR SI SÓ! NÃO PRECISA DE MIM PARA ESTENDER NADA.

      4-“Não posso ouvir calado tanto equívoco, incompreensão, injustiça e ignorância decorrentes do absoluto despreparo na matéria”.
      QUALQUER PESSOA MEDIANAMENTE DE BOM SENSO SABE O QUE É CERTO E O QUE É ERRADO! NÃO PRECISAMOS DESTA MULTIDÃO DE PAERASITAS PARA DECIDIR SOBRE ISSO. Até meu cachorro, quando caga na sala, sabe que fez errado. Agora vem essa turma de vigaristas dizer que somos todos retardados mentais, e que só eles sabem o que é certo.

      VÃO TUDINHO TOMAR NO CU!

      • Adônis, sobre o teu acumulado de idiotices apenas estou abordando o monte de besteiras a respeito da advocacia e dos advogados.

        1- SEM ADVOCACIA O DIREITO NÃO SE REALIZA: Quem disse? Eu e qualquer pessoa de bom senso. Se tiveres um problema de várias ordens, nos diversos campos do direito, civil, trabalhista, previdenciário, tributário, penal, comercial, sucessões etc. esqueça advogado e vá se fuder, vão te levar até as calças.
        No caso penal, irias ver nascer o Sol quadrado mesmo se fosses inocente, mas, felizmente, é impossível ser julgado sem defensor.
        Se nos séculos passados já era difícil, nestes vinte e vinte e um em que viveste e vives, imagina teres uma pendência e resolveres por si, talvez chamando um não-advogado para arbitrar, o que dá no mesmo, pois dependerias de alguém para decidir.
        Ou seja, estás dizendo bobagens, se expondo a críticas gerais, até dos direitistas, conservadores, apoiadores de Jair Messias Bolsonaro ou adeptos de McDonald Trump, porque não existe uma única pessoa em sã consciência e juízo perfeito que vá apoiar-te nesse besteirol figadal. Hora de baixar a bola.

        2 – NÃO É DIFÍCIL ACHAR UM ADVOGADO QUE SEJA HONESTO. Se dizes isso porque caíste já nas mãos de algum safado, saiba que tua tese é fajuta, semelhante àquela que garantia que nas favelas só existe bandido e vagabundo. Muito fácil de falar, mas sem base na realidade. Todos conhecemos advogados honrados.

        3 – A PROFISSÃO DE ADVOGADO É EXTREMAMENTE NECESSÁRIA, sem ela seria necessário criar uma profissão semelhante com outro nome para fazer exatamente a mesma coisa. Duvido que jamais tenhas necessitado da assistência de um advogado – e se isso for possível, o que não creio que seja, certamente ainda vais precisar de um.

        4 – QUALQUER UM SABE O QUE É CERTO OU É ERRADO, dizes, e embora isso seja um reducionismo do que cabe à Justiça e aos advogados, mostras estar completamente alucinado para dizer tanta bobagem, inclusive essa. Como empresário, não deves ter caído ainda nas malhas, melindres, meandros e labirintos tributários, muitos dos quais contadores não serão capazes de elucidar. Muitos fazem isso, “deixa que eu mesmo resolvo”, e simplesmente se fodem de amarelo, o governo leva tudo e mais alguma coisa.

        5 – Está na hora de parar de argumentar com gritos e vtnc, não é isso que convence; mas, felizmente, não se pode convencer nem com gritos, nem com vtnc, de que aberrações são sorvete de limão.

        6 – DAQUI A POUCO VAIS FALAR MAL DOS ECONOMISTAS. E mais tarde, talvez, dos engenheiros civis, dos engenheiros mecânicos e dos engenheiros eletricistas… Tu és doido de pedra!

        • 1- SEM ADVOCACIA O DIREITO NÃO SE REALIZA:
          Com advogado, tomamos na bunda duas vezes. A primeira, do governo sempre querendo nos fuder. A segunda, com o advogado querendo nos esfolar.

          2 – NÃO É DIFÍCIL ACHAR UM ADVOGADO QUE SEJA HONESTO
          Eu não falei que não existem. Falei que são raros.

          3 – A PROFISSÃO DE ADVOGADO É EXTREMAMENTE NECESSÁRIA,
          Para a família deles. São os urubus da sociedade. Alimentam-se das mazelas e carniças sociais.

          4 – QUALQUER UM SABE O QUE É CERTO OU É ERRADO,
          Deus, em sua infinita sabedoria, colocou em todos nós uma coisa chamada de consciência. Quem não tem, feito Lula, é um sociopata. É caso para psiquiatra, não advogados.
          Quanto a se fuder neste país. Estou fazendo isso desde que nasci aqui nesta merda.

          5- TU ÉS DOIDO!
          Primeira coisa certa neste palavrório todo.

    • Profissional ruim existe em qualquer profissão. Agora, a postura dia advogados é criar uma situação pra desviar o foco da questão e fazer os outros de idiotas. Retirar uma prova colhida de forma ilegal, vá lá. Faz parte da defesa. Agora, o cara dizer que Ricardo Coutinho não desviou R$ 134 milhões porque é muito dinheiro, perai. Seis policiais filmados tentando arrombar um caixa rápido e o cara dizer que eles foram investigar um assalto, perai….nesse meio não há mais Sobral Pinto.

  8. Para entender melhor:

    O caso relatado pelo Dr. Adônis sobre Sobral Pinto foi, em linhas gerais, mais ou menos assim:

    Um amigo do Dr. Sobral Pinto o procurou com uma causa trabalhista. Ele verificou que precisaria de tempo para estudar a matéria e ver se a causa era defensável.

    Verificando que, dada a data marcada para a audiência, não lhe seria possível verificar as razões do pedido, se o interesse erda defensável, Sobral recusou a causa.

    O amigo, perplexo, alegou que a causa era boa e que de todo modo o advogado só precisa cuidar de fazer a defesa, não é juiz para verificar se o pedido procede ou não.

    Sobral Pinto: ”O primeiro e mais fundamental dever do advogado é ser o juiz inicial da casa que lhe levam para patrocinar. Incumbe-lhe, antes de tudo, examinar minuciosamente a hipótese para ver se ela é realmente defensável em face dos preceitos da justiça. Só depois de que eu me convenço de que a justiça está com a parte que me procura é que me ponho à sua disposição.”

    Sobral Pinto também disse: ”A advocacia não se destina à defesa de quaisquer interesses. Não basta a amizade ou honorários de vulto para que um advogado se sinta justificado diante de sua consciência pelo patrocínio de uma causa. (…) O advogado não é, assim, um técnico às ordens desta ou daquela pessoa que se dispõe a comparecer à Justiça. (…) O advogado é, necessariamente, uma consciência escrupulosa ao serviço tão só dos interesses da justiça, incumbindo-lhe, por isto, aconselhar àquelas partes que o procuram a que não discutam aqueles casos nos quais não lhes assiste nenhuma razão.”

    E…

    … ”É indispensável que os clientes procurem o advogado de suas preferências como um homem de bem a quem se vai pedir conselho. (…) Orientada neste sentido, a advocacia é, nos países moralizados, um elemento de ordem e um dos mais eficientes instrumentos de realização do bem comum da sociedade.”

    Eu mesmo, como (também) advogado, muitas vezes desaconselhei pessoas que me procuravam, amigos ou não, a não ingressar na justiça com pedidos absurdos, inconsequentes, despropositados.

    É bom parar de falar mal de advogado, um dia certamente vais precisar de um, nem que seja para lhe dar um conselho, uma orientação, analisar um contrato…

    • Caro Goiano, obrigado por também se manifestar a respeito de nossa profissão.

      Sinceramente, não me ofendo mais com opiniões como as do Adonis. O direito é, antes de tudo, o exercício das liberdades, e Adonis tem o direito de externar sua opinião, ainda que eu não concorde e, por vezes, me incomode com elas.

      Me conforta saber que tal liberdade é garantida por leis elaboradas por juristas e, quando violadas, defendidas por advogados.

      Somos necessários; sabemos disso e seguimos nesse desiderato.

      • Prezado Pablo,

        Não me consta que Tomas Jefferson, o pai da constituição americana e o cara que mais batalhou pela segunda emenda, a da liberdade de opinião, tenha sido jurista.

        Quanto às nossas leis, são elaboradas por uma chusma de gatunos, sempre defendendo os interesses próprio.

  9. Caro Adonis,

    Não me consta que vivemos, eu e você, sob a segunda emenda da CF americana. Vivemos sob o artigo 5º de nossa constituição.

    Ao longo do governo Sarney foi criada a consultoria geral da república, cuja função era remover o chamado “lixo autoritário”; conjunto de leis que reprimia as liberdades, inclusive a de expressão.

    Dos trabalhos dessa consultoria surgiram diversas leis voltadas à restauração das liberdade, com reflexos na CF de 88.

    Quem era o consultor geral da república?

    Saulo Ramos, o grande jurista, a quem tive a honra de conhecer quando ambos morávamos em Ribeirão Preto.

    Entenda, não quero com isso legar aos juristas o mérito por nossa liberdade, mas demonstrar que operadores do direito não são a escória da humanidade, mas estão, e sempre estiveram na linha de frente dos avanços de nossa sociedade, não obstante o que alguns maus profissionais tenham feito.

    Usufrua, meu caro, de seus direitos; inclusive o de deixar este país. Mas não se esqueça de que onde estiver, sempre poderá chegar contar com um membro da escória para defendê-lo

  10. Adônis, com tua verborragia figadal giratória muitas vezes perdes a razão pelos excessos. Tudo pode e deve ser exposto com clareza, convincentemente, de modo que os xingamentos fazem parecer que a pessoa não está em seu juízo perfeito e de boa razão, dominado pela ira e pela revolta.
    Por exemplo, dizer que “enquanto isso, bandidos de verdade não podem ser presos e recebem bolsa”.
    A população de encarcerados no Brasil, hoje, é de quase 800.000 pessoas.
    Aproxima-se da população de João Pessoa, na Paraíba!
    Quanto a os presos receberem bolsa, não creio que estejas te referindo ao Bolsa-Família. Certamente falas do Auxílio-Reclusão, que é uma espécie de seguro pago no Brasil a presidiários em determinadas circunstâncias e que consta ser coisa nossa, isto é, não se sabe de outro país que tenha semelhante benefício.
    Mas… não é gratuito, tipo assim todos recebem independente de qualquer condições.
    Não.
    O auxílio-reclusão é um benefício previdenciário concedido aos dependentes do segurado privado de liberdade. Instituído pela Lei nº 8.213/1991 e pelo Decreto nº 3.048/1999, o principal objetivo do auxílio é garantir a proteção e sobrevivência da família do preso, já que estando o segurado recluso, seus dependentes podem acabar sofrendo dificuldades econômicas durante o período de encarceramento.
    Por ser um benefício previdenciário, o auxílio-reclusão é concedido apenas aos dependentes do segurado do INSS, ou seja, do preso que durante o período de liberdade anterior ao cárcere tenha contribuído regularmente com a Previdência Social.
    O diálogo está aberto para as críticas cabíveis e para que o teu deputado seja convencido de que esse benefício previdenciário deixe de existir, mas convém que as pessoas que o queiram fazer conheçam o assunto.
    E, sim, não tenhamos dúvidas, esse tal Auxílio-Reclusão só pode ser coisa de comunista: foi instituído pelo presidente Fernando Collor pela Lei 8.213, de 1991, no
    “Art. 80. O auxílio-reclusão será devido, nas mesmas condições da pensão por morte, aos dependentes do segurado recolhido à prisão, que não receber remuneração da empresa nem estiver em gozo de auxílio-doença, de aposentadoria ou de abono de permanência em serviço.”

    • Assim goiano. O auxílio reclusão e o incentivo que permite o bandido continuar a ter as visitas íntimas pra procriar filhos e continuar a receber o auxílio pro resto da vida. De quebra ainda recebe drogas e celular pela vagina da companheira cúmplice.
      Não tivesse isto a quenga teria que procurar um cidadão decente para sobreviver
      Collor não é comunista….mas é bandido.tb.

      • Gonzaga, como todo bom bolsonarista direitista conservador ainda não compreendeste, como Adônis não entendeu e como só esquerdistas têm o dom de compreender, que essa medida do auxílio-reclusão não favorece a bandidos, mas a trabalhadores de baixa renda que cometeram crimes, porque só trabalhadores recolhem para instituto de previdência (INSS). Criminosos nem sempre são bandidos, muitas vezes são trabalhadores que se envolveram em brigas de vizinhos, discussões de trânsito, quebra-pau em bares e milhares de outras situações possíveis que podem ocorrer a qualquer um, e esse trabalhador de baixa renda infeliz e infelicitado, contribuinte do INSS, vai preso e a família da qual ele é arrimo ficaria na penúria, como ficaria na penúria a família do trabalhador contribuinte do INSS que sofre um acidente ou uma doença incapacitante caso não tivesse a garantia desse tipo de “seguro”. Crimes são cometidos por gente comum no calor das paixões e das necessidades e mesmo bolsonaristas conservadores direitistas deveriam ser aptos a compreender isso.
        FINALMENTE, VAMOS FAZERR JUSTIÇA Á AUTORIA DA INCLUSÃO NA LEI DO AUXÍLIO-RECLUSÃO:
        O dispositivo foi incluído na Lei 8.231, de 1991, por iniciativa do Deputado ENIO BACCI, no Projeto de Lei nº 1.126, de 1999.
        Quanto ao final do teu comentário, continua na linha da ignorância de que o prisioneiro que recebe o auxílio-reclusão é um bandido e não um trabalhador de baixa renda contribuinte do INSS que caiu em desgraça de cometer um crime e deixou sua família passando fome.

          • Gonzaga, estás fazendo uma leitura incompleta ou estás de pura sacanagem: não se tratou de “trabalhador de baixa renda sendo defendido por advogado”, o assunto aí é auxílio-reclusão.
            Entretanto, há trabalhadores de baixa renda sendo defendidos por advogados todos os dias. Muitos, por defensores públicos. E muitos pagando honorários, com base no valor da causa. Trabalhadores de baixa renda muitas vezes têm interesses financeiros que dependem de liberação por advogados e muitos dos defensores fazem contratos de risco, de modo que o cliente só pagará a porcentagem combinada como honorários, que em geral vão de 10 a no máximo 30% do valor a ser recebido pelo cliente. Em geral são causas pequenas, para ti, mas que representam muito para o pobre.
            Nesse caso, são numerosas as ações trabalhistas.
            Pouco a pouco vou me convencendo que muitos não sabem nada do que estão falando, falam por falar, bebem seus conhecimentos da grita das redes sociais e as repercutem.

            • Goiano,

              O custo dos processos trabalhistas é maior que o valor das causas julgadas.

              Se mandasse aquele bando de nababos irem plantar batatas e indenizassem todos de imediato, sairia mais barato para a nação.

              É mais uma sacada que os verdadeiros fascistas nos legaram.

                • Adônis, os juízes condenam os vencidos a pagarem os honorários no máximo em vinte por cento nos termos que a lei estabelece:
                  “Código de Processo Civil:
                  Art. 85. A sentença condenará o vencido a pagar honorários ao advogado do vencedor.
                  § 1º São devidos honorários advocatícios na reconvenção, no cumprimento de sentença, provisório ou definitivo, na execução, resistida ou não, e nos recursos interpostos, cumulativamente.
                  § 2º Os honorários serão fixados entre o mínimo de dez e o máximo de vinte por cento sobre o valor da condenação, do proveito econômico obtido ou, não sendo possível mensurá-lo, sobre o valor atualizado da causa, atendidos:
                  I – o grau de zelo do profissional;
                  II – o lugar de prestação do serviço;
                  III – a natureza e a importância da causa;
                  IV – o trabalho realizado pelo advogado e o tempo exigido para o seu serviço.”
                  Desse modo, não deve ser feito sem critério, mas nos termos da lei.
                  Além dos honorários da sucumbência, que só favorecerão ao advogado vencedor, os advogados fazem contrato prévio com o cliente, quando estabelecem o montante dos honorários, segundo as circunstâncias, variando elas em causas cíveis, criminais, trabalhistas etc.
                  Como sabes, a remuneração dos profissionais dependem de inúmeras variáveis, e se vais ao médico poderás encontrar um que te cobre, hoje, sessenta reais por uma consulta, e outro que pela mesma consulta lhe cobrará trezentos reais. Vais ao dentista e um te orçará os implantes por dois mil e outro por vinte mil, segundo a categoria do profissional e também a qualidade do material.
                  Devo dizer que estou mesmo de saco cheio de ter de explicar tanta coisa básica para quem devia estar apto a compreender por si essas coisas, pois tenho certeza de que nas profissões de todos que estão aqui debatendo as inúmeras circunstâncias e variáveis também ocorrem.

  11. Em tempo, sobre o AUXÍLIO-RECLUSÃO: Como ele é pago à família do prisioneiro de baixa-renda que contribuía regularmente para o INSS, deve-se entender que os bandidos estão recolhendo contribuições sociais, assinando carteira de trabalho etc? Ou costuma tratar-se de trabalhadores que tiveram a infelicidade de praticar um crime e foram presos?

    • Meu caro Adonis.

      Há muitas verdades mas, também, muitas meias verdades, na exposição de suas colocações.

      Concordo com a sua revolta, causada pela descrença num melhor ajuste social político do país. É de uma clareza solar. As castas criadas pelos três poderes e suas inúmeras ramificações são uma total podridão. Daí, advem sua ácida critica contra tudo e contra todos. Não sobrou pra ninguém.

      Como advogado, pensei em não comentar dado a alguns conteúdos, exemplificações e fundamentações rudimentares e toscas:
      1) medicina é “baseada em palpites e chutes”!!!???
      2) quem não serviu para coisa nenhuma, só teve duas opções na vida, advogado ou vendedor…

      Coisas difíceis de crer vindo de uma criatura tão sábia. Ora! Não se quer aqui discutir sobre sistema de ciência positiva do direito, tampouco cálculos estruturais.

      Para onde foi toda bagagem empírica do engenheiro? Física Geral e Experimental, Química, Ciência dos Materiais, Algoritmos e Lógica de Programação, gestão de obras… Quando formado, o engenheiro torna-se um VENDEDOR, meu caro. Ele vai vender seu conhecimento, seu estudo, seu nome. Vai correr mundo afora vendendo sua capacidade.

      Saiba que advocacia é uma das mais antigas profissões existentes. Uns acham que surgiu na Suméria, três milênios antes de Cristo, os primeiros indícios da advocacia.
      Entretanto, os primeiros advogados existentes em registros históricos são Moisés e Jesus Cristo. Moisés, quando assumiu a liderança da defesa de seu povo no Êxodo, atuou como advogado deles. Da mesma forma, Jesus Cristo impediu que Maria Madalena fosse apedrejada, utilizando-se da Lei Mosaica.
      Mas temos que, o grande berço da advocacia é Atenas, na Grécia, onde surgiram memoráveis oradores (Demóstenes, Péricles, Isócrates, Aristides, Temístocles, etc.) considerados grandes advogados por sua persuasão e retórica.

      Confúcio já ensinava que “saber o que sabe e o que não sabe, essa é a verdadeira sabedoria”

      A liberdade de expressão é uma garantia constitucional tão legítima quanto o direito de resposta resultante daquela. É basilar nas sociedades democráticas. Porém, tal critério estabelece um certo nível de consciência ao interlocutor, levando ao crítico a honestidade de não se pronunciar além do que ele julga saber; ora, para isso, a primeira condição é não falar do que não conhece.

      Afinal, “posso não concordar com o que dizes, mas defenderei até à morte o teu direito a dizê-lo.” A frase é um poderoso argumento clássico (JURÍDICO) a favor da liberdade de expressão, do filósofo Voltaire.

  12. Voltei ao terminar o otário eleitoral gratuito fubanico desta gazeta escrota. So não volto a assistir a Globo.
    E que bom voltar bem no artigo do Adonis que fala das duas pragas que corroem este pais: políticos e advogados não é a toa que a maioria dos políticos são advogados. Quem não sabe fazer nada entra na política ou na faculdade de direito.
    E acrescento a fala do Adonis: político e advogados bom são politico e advogados mortos

      • Gonzaga, saiba que ignoras que o curso de Direito e a profissão de advogado são árduos e difíceis, não é molezinha não, e as pessoas acham que é coisinha boba porque não tem matemática e demais chamadas ciências positivas. Ora, pegue um livro de Introdução à Ciência do Direito para começar a compreender a complexidade, vá ler Chiovenda, Liebmann, Carnelutti… ora, deixa pra lá, fique com tuas convicções malucas.

        • Convicção maluca e quem considera o direito como ciência. O pressuposto científico de que fazendo as mesmas hipótese (corretas claro ) se obtém resultados iguais em qualquer situação não é o que ocorre no direito. Aliás de um tribunal pra outro o que sai da cabeça de um juiz e o mesmo sai de bunda de criança

          • Gonzaga, estás por fora. Antes, só se considerava ciência as chamadas exatas, como a matemática, a física, a química, de tal modo que 2 mais 2 sempre serão 4, a água ferverá a tantos graus segundo as condições de temperatura e pressão, um agá de hidrogênio mais dois ó é água, ponto final. Hoje, com a física quântica, até as exatas andam balançando.
            Mas não é exatamente disso que se trata.
            Atualmente, consideram-se ciências também as “inexatas”, classificadas como ciências humanas, como a sociologia, o direito, a economia, tendo-se por ciência os estudos sistematizados.
            Quanto ao ditado de que da cabeça de juiz e da bunda de neném ninguém sabe o que vem, é bem humorado e, também, generalizador, mas não corresponde rigorosamente à realidade dos julgamentos.
            Quando acompanhas ou participas de um processo, dados os seus elementos e as provas, é possível antever os resultados e juízes diferentes provavelmente chegariam a semelhantes resultados. Como a apreciação humana varia, segundo inúmeros fatores, pode haver interpretações diversas não só de fatos e provas, como também da própria lei, e por isso a ciência do direito criou normas de controle para minimizar o erro, que são os recursos, por vezes considerados até exagerados, e as instâncias (existe uma máxima de que “em direito há sempre um recurso”, o que é tão verdadeiro que nem o trânsito em julgado garante que nada mais há a fazer, novas ações sobre o mesmo objeto podem ser instauradas em determinadas condições, como a ação rescisória (cível) e a revisão criminal, destinadas a corrigir erros judiciários.

  13. Prezados amigos advogados,

    Muito obrigado pela imensa compreensão e capacidade de digerir agressões, sem refutar de forma grosseira ou baixar o nível.

    A todos vocês, minha imensa admiração e amizade mas…

    Não dava para escolher um meio de ganhar a vida que não fosse tão sujeito a conflitos de interesse com a moralidade? Tinha que ser logo uma que vive SÓ E APENAS de vender conversas e de arrancar um naco das posses de todo miserável que pretensamente ajudam?.
    De uma profissão que se baseia na premissa que todos são idiotas e não sabem e não podem defender a si próprio e aos seus direitos inalienáveis, cuja origem não vem de nenhum falso profeta autodenominado de “Jurista”, mas sim de Deus?

    • Adônis, acabas de entrar no terreno das obscuridades, como quem lança uma cortina de fumaça ou um polvo que jorra tinta e torna a visão impenetrável.
      Vais ter de explicar o que queres dizer com “todo advogado que defende o nosso status quo”. Sem clareza nas afirmações e argumentos, não há como replicar ou debater, ou até explicar-se.

      • Goiano,

        Você está ficando curto do raciocínio. Vou desenhar para você entender.

        Agora mesmo, bem aí em cima, o senhor defendeu a Justiça do Trabalho como sendo o clímax do orgasmo anal bipolar trifásico, quando todo nós sabemos que aquela merda lá é uma “jabuticaba”. SÓ EXISTE NO BRASIL!;

        Outrossim, o seu custo aberrante é maior que o valor de todas as causas julgadas. Aquilo ali só serve para ser um grande MONTEPIO DOS JUÍZES FELIZES, todos recebendo régios salários para aguentarem 06 horas de conversa mole por dia, além de outros imensos benefícios muito além do que pode sonhar um mero pagador de impostos.

        Como dizia um coronel de infantaria que foi meu comandante: É PAU NO CU E CU NO PAU! Não tem esse negócio de “opção sexual não!”

        É TUDINHO FILHO DA PUTA!!!!

        O senhor defende toda essa estrutura escrota porque é um beneficiário dela. E ponto final! Não vou ficar me masturbando em cima dessa conversa mole mais não.

        • Adônis, porra, não sabes nada do assunto e ficas acreditando no que Jair Messias Bolsonaro, O Ignaro, diz, e aí é foda. Deves tger lido que ele disse que Justiça do Trabnalho só existe no Brasil e que quer aboli-la.
          Pois, bem, isso é possível, assim como é possível abolir outros casos, codmo, por exemplo, uma justiça de pequenas causas, do consumidor etc.
          SÓ QUE:
          Ou tu tens uma Justiça do Trabalho, específica, ou as causas terão de ser julgadas em outros juízos, porque as causas trabalhistyas continuarão a existir.
          É trocar seis por meia dúzia.
          Achas que as despesas vão diminuir, pode ser, mas vai precisar de mais juízes, mais espaço, mais material, mais serventuários e o caralho a quatro.
          Mas… como dizes que a despesa com a justiça é maior do que os recursos dos direitos dos trabalhadores nas condenações, podes propor que a Justiça do Trabalho seja liquidada e do governo passe a pagar os direitos reclamados pelos trabalhadores, independente de julgamento.
          Bem, vejamos sobre só existir justiça do trabalho aqui:
          “França: No Brasil, até 1999, a Justiça do Trabalho era composta por juntas, formadas por um juiz escolhido por concurso público e dois magistrados classistas, um indicado pelo sindicado dos empregados e outro pelo sindicado dos patrões. As decisões eram dadas por votação, de forma que o juiz eleito por concurso público poderia até mesmo perder. Na França, ainda hoje a Justiça do Trabalho funciona exatamente dessa forma – são os chamados conseil de prud’hommes, criados em 1806.”
          “Alemanha: Se a França tem a estrutura semelhante à do Brasil no século 20, a dos alemães é idêntica à brasileira do século 21: são três instâncias especializadas, uma distrital, uma regional e uma federal, que compõem a Justiça Trabalhista, ou Bundesarbeitsgericht. O país julga 600 mil ações trabalhistas por ano.”
          “Inglaterra: Os Employments Tribunals são formados por varas de primeira e segunda instâncias. Foram criados em 1964 e, em 2013, passaram a cobrar as custas dos trabalhadores derrotados nas ações – uma ação que o Brasil adotou com a Reforma Trabalhista. O número de processos caiu, mas a cobrança de custas foi derrubada pela Suprema Corte britânica.”
          “Suécia: Assim como na Finlândia e na Noruega, há décadas existem cortes especializadas para desentendimentos entre trabalhadores e empregados. Na Suécia, a Justiça do Trabalho, a Arbetsdomstolen, surgiu em 1929.”
          BEM, POSSO FALAR AINDA DE
          Nova Zelândia
          África do Sul
          Índia
          Israel
          E observar que na América do Sul “vários países têm a Justiça do Trabalho como um órgão autônomo. É o caso de Argentina, México, Bolívia, Chile, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Guatemala, Nicarágua, Uruguai, Peru e Venezuela”,
          mas o meu saco estourou.

          • Na Inglaterra –
            How many cases go to employment tribunal?
            Statistics suggest that in April 2018 to March 2019 just over 120,000 Employment Tribunal claims were raised in the UK. However, statistics also suggest that the Employment Tribunal only made awards for compensation in 660 unfair dismissal cases, and in 114 discrimination cases, in the same period.
            An application costs $51 Pounds

            Como podes ver, não é bem a mamata que temos aqui.

            Na Alemanha –

            O custo do processo varia entre 400 e 700 Euros e o empregado tem que pagar.

            Na França –
            O Conselho dos Homens Prudentes começou com as corporações medievais. A primeira notícia é da época de São Luiz, sendo consolidadas em lei por seu filho, Felipe, o belo. Cada corporação escolhia seus homens mais sábios e prudentes para resolver as disputas internamente. Pescadores, tecelões, metalúrgicos, comerciantes, artesãos, etc.
            A Revolução Francesa acabou com as corporações e, consequentemente, com seus conselhos de homens prudentes.
            Napoleão ressuscitou os conselhos, sempre por categoria de trabalho.
            Só no final século XX, com a ascensão dos socialistas e do seu pensamento “Caridoso”, de que o estado deve pagar tudo, foi que eles embarcaram nessa canoa furada.
            Macrom já colocou lei para que todos os processos sejam pagos também.

Deixe uma resposta