PARA UMA QUARENTENA PROVEITOSA

Diante das declarações debilóides de um filho de presidente, que ansiava ser indicado Embostador do Brasil nos Estados Unidos, muito debilitando as atuais relações diplomáticas com a China, dos espalhafatos divulgados ultimamente pela mídia brasileira, sempre ansiosa por informes sensacionalistas, e da nota explicitamente babaovista do atual ministrinho das Relações Exteriores, deslustrando toda a diplomacia brasileira, a leitura de bons livros pode ser uma maneira recomendável de vivenciar quarentenas sem demonstrar afobações diante das mil e uma atuais dificuldades planetárias.

Sugeriria alguns textos para uma leitura sem precipitações conclusivas, nem ansiedades histéricas, tampouco as patetices recentes de um jovem já decrépito parlamentar:

1. JESUS DE NAZARÉ: UMA NARRATIVA DA VIDA E DAS PARÁBOLAS
Frederico Guilherme da Costa Kremer
Brasília DF, FEB, 2016, 371 p.

Uma abordagem espírita que relata os principais acontecimentos da trajetória do Nazareno relatados pelos evangelistas, ensejando uma melhor vivência das suas mensagens. Reflexões que poderão aquilatar com nitidez nossas atuais fragilidades espirituais, possibilitando encarar a verdade sem adornos nem sarambeladas fundamentalistas.

O autor é graduado em engenharia, trabalhando na Petrobras, tendo integrado o Núcleo da Cruzada dos Militares Espíritas, fundada por Carlos Torres Pastorino.

Uma leitura que atualiza a famosa questão contida em Lc 9,18: “Quem as multidões dizem que eu sou?” Que revela a existência de uma dimensão oculta nas parábolas do Homão da Galileia, nosso Irmão Libertador.

2. A EVOLUÇÃO CRIADORA
Henri Bergson
São Paulo, Martins Fontes, 2019, 398 p.

Leitura filosoficamente densa, a principal obra de Henri Bergson, Prêmio Nobel de Literatura de 1927. O livro, editado em 1907, representou a ruptura do autor com as principais correntes do fim do século XIX. Diante da apologia do saber científico, rigoroso, das rígidas leis do determinismo, Bergson afirmação que a totalidade tem a mesma natureza do indivíduo, de um movimento incessante, um impulso de liberdade criadora que transforma de forma irrefreável a matéria. O filósofo francês também discorre sobre o problema da existência humana e assevera que a mente – energia pura, impulso vital – é responsável por toda evolução orgânica.

SUMÁRIO:

Introdução; 1. Da evolução da vida, mecanismo e finalidade; 2. As direções divergentes da evolução da vida, torpor, inteligência, instinto; 3. Da significação da vida. A ordem da natureza e a forma da inteligência; 4. O mecanismo cinematográfico do pensamento e a ilusão mecanicista. Lance de olhos na história dos sistemas. O devir real e o falso evolucionismo.

Segundo Bergson, “a filosofia é a volta do espírito a si mesmo, a coincidência da consciência humana com o princípio vivo de onde emana, uma tomada de contato com o esforço criador.” Um livro que analisa o prolongamento da ciência, considerada um conjunto de verdades constatadas e demonstradas.

3. ALÉM DAS 95 TESES: A VIDA, O PENSAMENTO E O LEGADO DE MARTINHO LUTERO
Stephen J. Nichols
São José dos Campos SP, Fiel, 2017, 299 p.

O autor é PhD em História da Igreja pela Westminster Theological Seminary, presidente da Reformation Bible College.

SUMÁRIO

Introdução: O legado de Martinho Lutero; Parte 1: Lutero, uma Vida; Parte 2 – Lutero, o Reformador; Parte 3 – Lutero, o Pastor; Parte 4 – As 95 Teses de Lutero.

Um testemunho significativo: “Maravilhoso e interessante combinação de biografia, história e teologia. Se você não sentir o pulsar da Reforma nestas páginas, por favor verifique sua pressão arterial!” (Sinclair Ferguson, escritor)

Uma turnê sedutora da vida de Martinho Lutero (1483-1546), seus escritos e pensamentos, comemorando os 500 anos da afixação das 95 Teses na Porta do Castelo de Westminster.

4. O ESPIRITISMO PERANTE A CIÊNCIA
Gabriel Delanne
Limeira SP, Editora do Conhecimento, 2009, 364 p.

François-Marie Gabriel Delanne, um nascido na França, em 1857, conviveu sempre num ambiente familiar onde se estudava e praticava o espiritismo. Seus pais integravam um grupo de médiuns que periodicamente se reunia no lar para manter contatos com o plano espiritual.

Desenvolvido precocemente, já aos oito anos substituía seu pai em algumas reuniões, onde participava como adulto.

O escrito de Delanne possui uma profundidade científica isenta de pieguismos e dramatizações estéreis dos menos cultos, desenvolvido numa lógica perfeita, com ampla riqueza de exemplos e detalhes. Um trabalho que reconstitui com nitidez a história daquele período histórico despertador da humanidade.

SUMÁRIO:

Primeira parte – 1. Temos uma alma?; 2. O materialismo positivista.

Segunda parte – 1. O magnetismo, sua história; 2. O sonambulismo natural; 3. O sonambulismo magnético; 4. O hipnotismo; 5. Ensaio de teoria geral.

Terceira parte – 1. Provas da imortalidade da alma pela experiência; 2. As teorias dos incrédulos e o testemunho dos fatos; 3. As objeções.

Quarta parte – 1. Que é espiritismo; 2. Provas da existência do períspirito, sua utilidade, seu papel; 3. O períspirito durante a desencarnação, sua composição; 4. Hipótese.

Quinta parte – 1. Algumas observações preliminares; 2. Os médiuns escreventes; 3. Mediunidades sensoriais, médiuns videntes e médiuns auditivos; Apêndice.

Um livro fascinante, de leitura sedutora e enxergante, radicalmente necessário para os que almejam ampliar seus conhecimentos sobre as relações do aqui com o além.

5. ESPIRITISMO – RAZÃO COMO MÉTODO, MEDIUNIDADE COMO LABORATÓRIO, MORAL COMO OBJETIVO
Isvênia L. S. Prada
São Paulo, FE Editora Jornalística, 2019, 320 p.

Segundo a orelha primeira do livro lida por ele, “a inquietude psíquica do ser humano sempre foi combustível poderoso para impulsioná-lo, ao longo de toda sua trajetória evolutiva, em busca de respostas quanto à sua essência, sua origem e ao seu destino.”

SUMÁRIO:

Prefácio; Apresentação; 1. Espiritualismo e Espiritismo; 2. Estrutura e características da Doutrina Espírita; 3. Os livros da Codificação Espírita; 4. A mediunidade com laboratório; 5. Mediunidade e cérebro triúno; 6. A mediunidade através dos tempos; 7. Moral – Jesus é a referência; 8. É necessário viver de novo – a reencarnação. 9. Homenagem a um pioneiro, Caetano de Santis, avô da autora.

Segundo meu querido amigo Zequinha, o livro em muito consolidou seus conhecimentos científicos, filosóficos e morais, ampliando mais sua fé racionada.

Deixe uma resposta