JESUS DE RITINHA DE MIÚDO

Há muito não faço falta
No jardim da tua vida
Nos canteiros do amor
Abriu-se uma ferida
Da qual brotaram as flores
Nascidas dos dissabores
Da esperança perdida.

Nossa paixão ressentida,
Morreu, já foi sepultada
No dia do nosso adeus
Minha alma enlutada
Plantou num certo canteiro
O meu choro derradeiro
Da relação acabada.

Tu fostes rosa plantada
Com as raízes em mim
Sustentada com meus beijos
Mas, tudo chegou ao fim
Agora resta a verdade:
Não sinto a menor saudade
De quando fui teu jardim.

3 pensou em “PAIXÃO DESPETALADA

  1. Parabéns pelo belíssimo poema, prezado poeta Jesus de Ritinha de Miúdo! Adorei!!!

    Bom domingo! Muita saúde e Paz!

  2. Maravilha de poema, JRM.

    Um certo poetinha apregoava que ninguém é poeta por saber rimar.

    No seu caso, és um poeta de rimas cheias de poesia.
    Cheias de histórias de conteúdos profundos…lá da alma.

    Parabéns!

    Esse pessoal de Acarí não se faz poeta… já nasce.

Deixe uma resposta para violante pimentel Cancelar resposta