DEU NO JORNAL

Guilherme Fiuza

Tradicionais veículos de comunicação noticiaram que o presidente Bolsonaro tinha coronavírus. Algum tempo depois o próprio presidente divulgou boletim atestando resultado negativo para o seu exame. Isso é muito grave.

Os veículos que deram a notícia foram diretos: o presidente da República tinha testado positivo para coronavírus. Essa foi a manchete que circulou para milhões de pessoas. Algumas matérias atribuíam a informação a um filho do presidente. Outras atribuíam a informação aos outros veículos que deram a notícia. O nome disso é vexame.

Responda com calma: se você pretende que a sua marca de mídia tenha credibilidade – ou seja, que as informações que ela divulga sejam consideradas verdadeiras por quem as recebe – você vai noticiar que o presidente de um país está infectado pelo vírus de uma pandemia que está paralisando o mundo a partir do que alguém te falou?

Ah, mas esse alguém é filho do presidente… E daí? Meia hora depois o filho do presidente estava negando que tivesse declarado que o pai testou positivo. Ele se enganou? Foi mal interpretado? Foi caluniado? É claro que nada disso interessa a quem queira fazer jornalismo minimamente sério. É assim que vocês apuram fatos? De acordo com a moderna técnica do disse me disse?

Nem se fossem todos os filhos do presidente. Nem se fosse o médico do presidente. Nem se fosse o Papa. Qual o problema de dar a notícia com o atestado do exame nas mãos?

Para imprensa séria, nenhum. O problema é para quem não quer oferecer informação, mas estardalhaço. Aí não dá mesmo para esperar. Pega qualquer porcaria que te contarem no salão de cabeleireiro e joga no ventilador – embalada na sua marca de compromisso com a verdade, que assim vai virando aos poucos sinônimo de fake news de grife.

E se Bolsonaro tiver coronavírus? Aí a notícia muda, mas o vexame fica intacto. Se você se propõe a informar e não checa devidamente a informação que distribui, você está especulando. E se você vende especulação fantasiada de notícia, você é um delinquente.

Existe um estado de beligerância entre governo e imprensa, nos Estados Unidos e no Brasil? Existe. E como os supostos arautos da liberdade de expressão pretendem, em sua missão de bem informar, pregar o respeito à imprensa? Inventando notícia? Publicando chute? Mentindo?

Assim fica difícil, companheiros. O público já identificou a manobra patética de vários veículos de comunicação, outrora respeitáveis, tentando melar o resultado das eleições no grito – tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos. Agora, no meio de um pandemônio que é a reação desesperada da humanidade a uma epidemia de gripe, onde tudo que se precisa é serenidade e bom senso, aparecem vocês tentando vender espetáculo mórbido – e falso.

A democracia esperava mais, muito mais de vocês.

5 pensou em “OS SÓCIOS DA EPIDEMIA

  1. E como sempre , tudo que envolve o sobre nome Bolsonaro , a Globo depois do vexame , falou com a Fox , com assessoria do filho do Bolsonaro ,com quem cuida das relações publicas do governo federal e sempre se esquivando de assumir o Erramos . E no caso da Susy eles simplesmente dizem – uma frase patenteada pelo Lularapio , eu não sabia .

  2. Imprensa uma merda !. São uns canalhas cretinos travestidos de jornalistas . Merdas que foram favorecidos pelos regimes que ajudaram a implantar . Acabaram com a mamata deles aí , sem ter como regredir as coisas para o estado de ladroagem , fazem as sujeiras protegidos pelas leis que seus colegas de banditismo criaram. Esquerdista é na maioria bicho imundo , trapaceiro , traidor , lixo , papel higiênico usado pelos seus chefetes. São a escória da humanidade. Já o Goiano faz parte desta corja , mas nós o perdoamos , devido ao fato de ter graves problemas de ordem psíquicas . cabe aqui a frase : Perdoa-lhe senhor , este cachorro safado ( palavras dele ) não sabe o que escreve .

  3. De fato, os esquerdopatetas não são mais do que o papel higiênico que é usado para espalhar a merda – que, invariavelmente, produzem os seus donos.

  4. Nós, da esquerda, jamais desvalorizamos a direita dizendo que os direitistas são piriri, bosta de urubu, cu cagado, peido de elefante, merda pura, nem nada disso que os direitistas (tipo Joaquimfrancisco e Adail, para citar apenas dois exemplares neste momento próximos), nem dividimos o País em dois, como eles fazem, porque nós estamos prontos ao debate de ideias, porra, a que a direita não se dispõe, sabe apenas usar impropérios e quanto a isso não são capazes da mais rasteira autocrítica. O mais grave é que a direita é a fina nata da flor da sociedade, constituem, o que Berto costuma dizer, na pessoa do Editor em Chefe, dono, proprietário, gerente e ditador da Rede Jornal da Besta Fubana, a parte decente da sociedade.

Deixe uma resposta para Airton Cancelar resposta