PERCIVAL PUGGINA

Quando era criança e troteava na praça montado num cavalo de pau, agitando reluzente espada de papelão, eu enfrentava inimigos imaginários em defesa de minha família e a serviço da justiça. Quando adolescente, a política estudantil era minha praça e, também ali, me percebia contendo adversários reais na já então acirrada disputa ideológica estudantil. Os “vermelhos” corriam os corredores do Colégio Júlio de Castilhos entoando cantos de guerra aos “reacionários”. E nós – hip, hip, hurra! – vencíamos as eleições.

De um ministro do STF espera-se mais do que de um dirigente de grêmio estudantil. No lombo de que cavalo de pau, ou em que corredor de colégio, terá saído a ideia que fez alguns membros do Supremo se verem como musculosos salva-vidas judiciais de uma democracia sob gravíssimo risco de afogamento?

Não fossem suas consequências, a pergunta acima pareceria uma curiosidade retórica. No entanto, é pelo desvario na torre da guarita de salvamento que voltamos a ter presos políticos e brasileiros refugiados. Foi ela que colocou bandeira preta no sereno balneário da liberdade. Foi ela que impôs silêncios, censuras e autocensuras.

Como determinam os protocolos dos Laboratórios de Linguística Aplicada ao Caso Brasileiro de 2018 (vocês sabem de que estou falando), criou-se um inteiro vocabulário para essas idiossincrasias: milícias digitais, atos antidemocráticos, discursos de ódio, desabono das instituições e, claro, fake news para toda divergência. A cada uma foi atribuído caráter pré-criminal e protopenal a justificar, segundo a gabolice de seus autores, as “corajosas” medidas que se seguiram, entre eles os inquéritos sem fim neste mundo e nesta vida.

Não estou em torre alguma, ando com os pés no piso dos fatos e meus guarda-costas são os cães da vizinhança. Meu prisma, portanto é o do populacho, da plebe, da ralé, à qual nenhuma razão da Razão precisa ser servida e da qual o silêncio é sempre bem-vindo. A esse povo, outrora aplicavam-se as palavras cidadãos, sociedade, e até – vejam só! – “nação brasileira”, com o poder, direitos e garantias assegurados pela doutrina da “soberania popular” e pela Constituição.

Mas o Brasil foi mudado pela guarita. Se o aparelho de Estado protege a criminalidade; se a corrupção é recompensada, os corruptos exaltados e a impunidade é o objetivo final; se os poderes confundem conluio com harmonia, se uma dúzia de lideres submete o Congresso inteiro e o povo não importa; se as competências são invadidas e o Executivo não consegue governar porque fantasmas alheios se agigantam contra ele; pergunto: que pode o povo, ex-titular da soberania popular, ignorado por seus representantes, cujos canais de comunicação foram silenciados, porque mal vistos desde a guarita?

A democracia agoniza, as instituições já não conseguem esconder suas enfermidades e nelas foram adiadas para 2022 as esperanças nacionais. Deus ilumine e conduza a nação no caminho até as urnas de outubro.

3 pensou em “OS EX-TITULARES DA SOBERANIA POPULAR

  1. Tudo bem! Esperemos até as eleições. Agora…

    Se fraudarem desavergonhadamente essa porra dessa eleição, como estão se preparando há anos, podem se preparar porque, aí então, vai ser guerra civil.

    Não temos armas? Então a briga vai ser de pau, de pedra, o que tiver à mão.

    • COMO SEMPRE – GRAN MESTRE ADÔNIS!!! – A SUA ANÁLISE E AS SUAS CONCLUSÕES ESTÃO PERFEITAS.

      É O QUE VAI – SEM NENHUMA SOMBRA DE DÚVIDA, INDISCUTIVELMENTE!!! – ACONTECER.

      ISSO ME LEMBRA A FRASE DO GRANDE CHEFE SIOUX “CRAZY HORSE” (“CAVALO DOIDO”) – AO GRITAR ESTIMULANDO OS SEUS COMANDADOS – ANTES DA BATALHA DE LITTLE BIGHORN (25/06/1876):

      “HOKAHEY!!!”,

      OU SEJA,

      “HOJE É UM BOM DIA PARA MORRER!!!”

      É QUE OS ÍNDIOS JÁ NÃO SUPORTAVAM MAIS OS ATOS TIRÂNICOS A QUE ERAM SUBMETIDOS, AS PERDAS SUCESSIVAS DE SUAS TERRAS E O MORTICÍNIO GENERALIZADO DE SUA GENTE.

      E, LITERALMENTE, DE PEITO ABERTO, COM NADA MAIS DO QUE ARCOS E FLECHAS (E ALGUMAS ESPINGARDAS OBSOLETAS) LANÇARAM-SE (SEM MEDO NENHUM DE MORRER) SOBRE A PODEROSA 7ª CAVALARIA DO VAIDOSO TEN.CEL. CUSTER – O QUAL ERA MOVIDO UNICAMENTE PELO DESEJO INSANO DE VÃS GLÓRIAS E, CONSEQUENTE, PUBLICIDADES (PARA, ASSIM, VIR A SER CANDIDATO PREFERENCIAL E FUTURO PRESIDENTE DOS EEUU).

      ALIÁS, CUSTER ERA UM LOUCO HOMICIDA, QUE FAZIA DE TUDO PARA SE MANTER NA IMPRENSA.

      ERA COMUNÍSSIMO – QUANDO ELE DESCOBRIA QUE UMA ALDEIA ESTAVA DESPROTEGIDA, POIS SEUS GUERREIROS TINHA SAÍDO PARA CAÇAR -, ENTÃO ELE CHAMAR A IMPRENSA PARA ACOMPANHÁ-LO E À SUA 7ª CAVALARIA.

      ENTÃO, EM LÁ CHEGANDO, MANTINHA A IMPRENSA DISTANTE – MAS PODENDO OBSERVAR – E ATACAVA A ALDEIA, MATANDO TODOS (VELHOS, MULHERES E CRIANÇAS) E VOLTAVA INVENTANDO UMA “ESTÓRIA” DE MAIS UMA GRANDE VITÓRIA CONTRA INÚMEROS E BEM ARMADOS GUERREIROS.

      RESULTADO:

      MESMO SENDO EM MUITO MAIOR NÚMERO (MAIS DE 700 SOLDADOS ARMADOS COM O QUE HAVIA DE MELHOR) E MUITO BEM POSICIONADOS ESTRATEGICAMENTE, FORAM TODOS MASSACRADOS PELOS ÍNDIOS.

      E SEUS CORPOS, TOTALMENTE MUTILADOS, FICARAM DURANTE MUITO TEMPO – COM O QUE SOBROU DELES – ABANDONADOS.

      É O QUE ACONTECE – MAIS CEDO OU MAIS TARDE, E A HISTÓRIA TEM INÚMEROS CASOS SEMELHANTES – COM OS TIRANOS DE QUALQUER ESPÉCIE.

      E O POVO BRASILEIRO, APESAR DE ÍNDOLE PACÍFICA, TAMBÉM TEM SEUS LIMITES.

      POR ISSO QUE – AQUI PELOS MEUS LADOS – TEM-SE UMA MÁXIMA (FORJADA POR INÚMERAS REVOLUÇÕES CONTRA TIRANOS LOCAIS E GUERRAS CONTRA EXTERNOS) QUE DIZ QUE:

      “A VOLTA VEM, ISSO VEM.
      E, MUITAS VEZES, A GALOPE!!!”,

      OU TRADUZIDO NO LINGUAJAR CAMPEIRO:

      “JÁ TÃU INTICANDU DEMAZ CUÁ GENTCHI.
      BÁMU TRAVÁ UZ GARRÃU (= CALCANHARES) NU CHÃU!!!
      I SI REVOLTÁ PRA BOTÁ ESSIZ FIÁ-DAS-PUTA A CORRÊ!!!
      POIZ, SI NÃU, BÁMO DEGOLÁ – DE OREIA A OREIA – A TODUS!!!”.

      E QUE DEUS
      (QUE É PAI, FILHO (NOSSO SENHOR JESUS CRISTO) E ESPÍRITO SANTO) POR SEU INFINITO PODER, BONDADE E MISERICÓRDIA,
      E MARIA SANTÍSSIMA (NOSSA SANTA MÃE E MEDIANEIRA DE TODAS AS GRAÇAS)
      CUBRAM
      – DIÁRIA E PERMANENTEMENTE!!! –
      COM TODAS SUAS PROTEÇÕES E GRAÇAS, (ORIENTANDO E ABRINDO TODOS OS CAMINHOS)
      A TI (E PARA TI) E AOS TEUS (E PARA OS TEUS),
      NESTE NOVO ANO QUE DAQUI A UM POUCO SE INICIARÁ!!!

      UM BAITA ABRAÇO,

      DESDE O ALEGRETE,

      NO “GARRÃO” DO NOSSO AMADO BRASIL ( RS),

      ADAIL.

  2. Prezado Adail,

    Muito obrigado pela brilhante análise. É exatamente assim que eu vejo a nossa situação atual!

    HOJE É UM BOM DIA PARA MORRER!

    Estou com 65 anos muito bem vividos; realizei muito mais do que imaginava quando era jovem; meus filhos estão criados (muito bem criados) e os netos vão no mesmo caminho.

    A esta altura, só o que tenho a perder é a minha honra e meu sentimento de decência. Esses crápulas que se cuidem. Já ultrapassaram o limite da canalhice razoável há muito tempo.

    Tentem agora o grande golpe: FRAUDAR AS PRÓXIMAS ELEIÇÕES, e verão com quantos ´paus se faz uma jangada.

    Um grande abraço. Espero “ombrear” de novo com você em 2022.

Deixe uma resposta para adonisoliveira Cancelar resposta