OS BRASILEIROS: Faustino Esposel

Faustino Monteiro Esposel nasceu em 24/10/1888, no Rio de Janeiro. Médico sanitarista, neurologista, psiquiatra, professor e esportista na condição de presidente do Flamengo em 3 mandatos e 5 vezes campeão do futebol carioca. Foi um dos pioneiros na pesquisa e estudos da neurologia, além de esportista e conseguir um lugar privilegiado para estabelecer a atual sede e uniforme do Flamengo. É surpreendente tal disposição e maior ainda ao vermos sua reaparição em Espírito 10 anos após na “pele” de André Luiz, conforme certificado por meio do médium –vale a redundância- Chico Xavier.

Filho de João Paiva dos Anjos Esposel e de Maria Joaquina Monteiro Esposel, realizou os primeiros estudos na Escola Alemã; no externato do Mosteiro de São Bento e diplomou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, em 1910, defendendo a tese “Arteriosclerose Cerebral”, obtendo a nota máxima. Pouco depois foi contemplado com uma viagem à Europa, onde foi aluno de Joseph Babinski e Jules Déjerine, dois “papas” da neurologia. Por essa época, candidatou-se a médico do Hospital Nacional de Alienados, dirigido por Juliano Moreira e foi classificado em 1º lugar.

Participou ativamente da Sociedade Brasileira de Neurologia e Psiquiatria em seus primórdios e integrou a “Missão Médica” brasileira, composta por 86 médicos, que foi à Europa em 1918 para auxiliar os feridos na I Guerra Mundial. Representou o Brasil em diversos congressos e reuniões de médicos na Europa e América do Sul e foi secretário-geral da 2ª Conferência Latino-Americana de Neurologia, Psiquiatria e Medicina Legal, realizada em 1931, no Rio de Janeiro.

Era um estudioso da mente e, ao mesmo tempo, adepto da educação física e aficionado pelo esporte. Assim, encontrou tempo para, além da dedicação à medicina e ao magistério, dedicar-se também aos esportes como dirigente de associações atléticas. Na época em que o futebol ainda não era uma “paixão nacional”, foi presidente do Flamengo em 3 mandatos (1920-1922; 1924-27 e 1928) e venceu 5 campeonatos cariocas. Como dirigente e com algum trânsito político, conseguiu dos prefeitos Antônio Prado Jr. e Alaor Prata, uma área de 34 mil m² às margens da Lagoa Rodrigo de Freitas para instalar a nova sede do clube. O uniforme que o Flamengo veste hoje foi criado em sua gestão.

De vez em quando licenciava-se do cargo para outros afazeres, como em setembro de 1926, numa viajem à Europa para uma série de conferências. No ano seguinte, entrou para a Academia Nacional de Medicina, apresentando memória intitulada “Em torno do sinal de Babinsky”. Como professor, destacou-se nos cargos de livre-docente e assistente de Clínica de Doenças Nervosas na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro; professor substituto da Seção de Neurologia e Psiquiatria da mesma; professor de Neurologia na Faculdade Fluminense de Medicina; professor substituto de Medicina Pública na Faculdade de Direito Teixeira de Freitas e docente de Higiene da Escola Normal do Rio de Janeiro.

Como médico esteve à frente de cargos como chefe de Serviço na Policlínica e Sanatório de Botafogo; adjunto do Hospital da Misericórdia; médico da Associação dos Empregados do Comércio. Um velhinho, zelador de um prédio do Rio, que o conheceu, disse agora há pouco que ele era um médico prestativo que atendia gratuitamente pessoas carentes. Na condição de católico, militou na União Católica Brasileira e foi congregado mariano.

Após o falecimento, em 16/9/1931, passou por uns perrengues no plano espiritual e reapareceu como o Espírito de André Luiz. Amargou a “vida” no “umbral” por uns 8 anos; aprendeu um bocado de coisas; trabalhou outro bocado e foi promovido a “Cidadão do Nosso Lar”. Nesta condição foi-lhe concedida a missão de esclarecer os viventes como a vida continua no plano espiritual, como se organiza e como se dão as relações sociais no “outro mundo”, digamos assim.

Seu reaparecimento se deu em 1941, “recebido” (incorporado) pelo médium Chico Xavier. Pouco depois foi publicado o “romance” contando como se dão as coisas no “Nosso Lar” O fato gerou enorme celeuma no meio espírita. Cogitava-se que André Luiz, em vida, seria Oswaldo Cruz; depois cogitou-se que seria Carlos Chagas entre outros. Porém, após exaustiva pesquisa conduzida pelo jornalista e ex-dirigente de um centro espírita no Rio de Janeiro, Luciano dos Anjos, o espírito denominado André Luiz, médico carioca em vida, foi o Dr. Faustino Monteiro Esposel. Tal informação foi confirmada pelo médium Chico Xavier, que tornou-se um dos maiores “receptores” do espírito André Luiz.

Saiba mais sobre a pesquisa do jornalista clicando aqui

8 pensou em “OS BRASILEIROS: Faustino Esposel

  1. Como é bom ter fé. Qual? A sua, a minha, a nossa. Qualquer uma que nos aproxima do Criador.

    O católico e vascaíno Sancho não é espírita e muito menos flamenguista. Considera, ainda, que há mais coisa entre o céu e a Terra do que sonha nossa vã filosofia, conforme dizem os sábios. Respeita a todos os religiosos e suas religiões e os textos do amigo Brito (nome de zagueirão vascaíno dos bons, da velha guarda do Expresso da Vitória) são uma aula de história sem igual para aprendizado da mídia dita como tradicional. Grande cronista e historiador no universo fubânico.

    Abraço forte, grande amigo,

    • Meu Caro “Fiel Escudeiro”

      Você não é espírita nem flamenguista, mas confessa ser espiritualista. Mas estes adjetivos são menores diante do “Fiel Escudeiro”, que vem carregando diante da verdade, do bem, do bom viver em sociedade.
      Grato por me incluir na “midia tradicional”. Não ando me bem com a “midia moderna’.

      . .

  2. Parabéns, Brito!
    Descobriu esse personagem pouco conhecido e de grande valor. A missão daqueles que divulgam o conhecimento de uma nação, é essa mesmo: divulgar os valores nacionais.

    • Grato Mestre Plínio

      Seu comentário sobre “a missão daqueles que divulgam o conhecimento de uma nação” me estimula a continuar descobrindo, relevando e revelando os valores e valorosos personagens da nossa História.

  3. Muito bom! É a primeira biografia de que tomo conhecimento que se refere aos perrengues e realizações póstumas do biografado.A não ser o Brás Cubas, é claro!

  4. Recebi do amigo D. Matt, de Camboriu. SC, o seguinte cometário:

    FIQUEI MUITO FELIZ EM LER O SEU ÓTIMO ARTIGO DE HOJE SOBRE O GRANDE espirito de ANDRE LUIZ

    Foi muito importante, pois esclareceu uma dúvida sobre a identidade real de
    tão ilustre espirito de luz. Realmente eu nunca imaginei qual seria a verdadeira identidade do grande escritor espirita e cheguei mesmo a crer que seria o grande cientista Carlos Chagas.

    Mas o importante é saber que o seu legado espiritual é de proporções gigantescas e sua obra literária por intermédio dos grandes Chico Xavier e Waldo Vieira está aí para ser lida e apreciada por todos espiritas, principalmente os Kardekianos como eu.

    Eu li todos os livros em que o Andre Luiz nos traz mensagens de paz e doutrina e sua obra é sempre recomendada por mim para todas as pessoas (não necessariamente espiritas) mas que estão precisando de paz, confiança e fé em Deus.

    PS. Você viu o filme NOSSO LAR ? não perca é ótimo.

    Um grande abraço ao Amigo e mais uma vez parabéns pelo ótimo artigo de hoje.
    Seu aluno d.matt

Deixe uma resposta