OITO FUNERAIS NO RASTRO VERMÊIO-ISTRELADO

Comentário sobre a postagem NOVAS CALÚNIAS CONTRA O HOMEM MAIS HONESTO DO BRASIL

João Francisco:

Esta é a verdade que todo mundo sabe, mas é inconveniente, pois explode toda na narrativa esquerdista do país.

Não envolve só o PT. Meses antes também o prefeito Toninho do PT de campinas também foi morto de forma semelhante

O Assassinato ocorreu no começo de 2002. Sequestro em Santo André e corpo apareceu em Juquiá/SP, a mais de 100 km do local.

A polícia de SP sempre foi a mais eficiente do país e na época o Governador de SP era Geraldo Alckmin, que designou a delegada Elisabete Sato, que pediu o arquivamento do inquérito, dizendo que foi sequestro relâmpago.

Os dois irmãos do Celso, Bruno e João Francisco jamais aceitaram esta conclusão; sendo que o Bruno hoje vive exilado na França e o segundo vive recluso em SP.

Se o caso fosse ligado ao PT, a eleição do Lula estaria fatalmente comprometida e teoricamente o PSDB se beneficiaria e é aí que a coisa pega, o PSDB nunca levou a coisa adiante. O PT também não fez 1% do estardalhaço feito no caso Marielle.

Segundo o Médico legista havia sinais inequívocos de tortura no corpo do Prefeito.

Oito pessoas ligadas diretamente a este assassinato morreram em 3 anos e meio:

1) Celso Daniel : prefeito. Assassinado em janeiro de 2002.

2) Antônio Palácio de Oliveira: garçom. Assassinado em fevereiro de 2003.

3) Paulo Henrique Brito: testemunha da morte do garçom. Assassinado em março de 2003.

4) Iran Moraes Rédua: reconheceu o corpo de Daniel. Assassinado – dezembro de 2003.

5) Dionízio Severo: suposto elo entre quadrilha e Sombra. Assassinado – abril de 2002.

6) Sérgio Orelha: amigo de Severo. Assassinado em 2002.

7) Otávio Mercier: investigador que ligou para Severo. Morto em julho de 2003.

8) Carlos Delmonte Printes: legista encontrado morto em 12 de outubro de 2005.

Em nenhum outro lugar no mundo poderia ocorrer tanta “coincidência”.

Agora as coisas começam a ficar mais claras, porém veremos se há interesse em esclarecer as coisas.

2 pensou em “OITO FUNERAIS NO RASTRO VERMÊIO-ISTRELADO

  1. No livro Assassinato de Reputações, Romeu Tuma Jr., autor do livro, conta em detalhes o assassinato de Celso Daniel. Foi ele, como delegado à época, o responsável pela identificação do corpo ainda no local onde foi deixado. Foi o primeiro a chegar ao local. Ele sabia de tudo, conforme investigações preliminares. Ele tinha as melhores pistas, os indícios mais fortes da autoria do crime. Imediatamente o transferiram para outra delegacia, como punição. Certamente o que garantiu a impunidade, até hoje, dos cabeças que articularam e/ou se omitiram diante dos crimes que culminaram na morte de Celso Daniel. Isto é PT.

Deixe uma resposta