SANCHO PANZA - LAS BIENAVENTURANZAS

Recorro a Gabo (Cien años de soledad): “No se le había ocurrido pensar hasta entonces que la literatura fuera el mejor juguete que se había inventado para burlarse de la gente.

Dice un refrán muy sabio, muy fubânico y muy antiguo que cuando el diablo no tiene nada que hacer, mata moscas con el rabo. ¿Ya murió? ¿Y de qué? Anda muito perigosa a vida dentro das redações. Abro un paréntesis (Em 2019, foram registrados 208 ataques a veículos de comunicação e a seus profissionais, um aumento de 54,07% em relação a 2018, quando foram registradas 135 ocorrências, de acordo com o relatório Violência contra Jornalistas e Liberdade de Imprensa no Brasil, da Federação Nacional dos Jornalistas… Cierro paréntesis), pois no sábado passado a tragédia maior fez-se real entre nós – Qué duda cabe, una vez más, que la realidad supera con creces a la ficción… Sancho está triste pela morte da belíssima Artemísia, que foi assassinada dentro da redação do JBF – Jesus de Ritinha de Miúdo “no la resucitó de entre los muertos” (sniff!). Abro otro paréntesis (o primeiro feminicídio fubânico – trecho de “Antes que anochezca” – de Reinaldo Arenas: “La muerte ha sido siempre para mí una compañera tan fiel, que a veces lamento morirme solamente porque entonces tal vez la muerte me abandone“… Cierro paréntesis), na frente de Berto – el gran magnate del periodismo, supostamente por um tal John Doe, que está foragido – “el cornudo es el último que se entera” ou algo parecido – Sancho não entendeu muito bem a explicação do Arthur e do João Francisco; alguns dizem que foi suicídio – vida que segue… En su entierro, al que asistieron numerosas caras fubânicas conocidas, Sancho dijo: “he asistido sólo para comprobar que estaba muerta“. Sancho chorou.

Enfim, o que a pobre lagarta lamenta e chama de game over, Deus chama de butterfly…Mas (sempre há um), Sancho ficara triste com o fim da bela… renascerá, com certeza, nas mesmas páginas fubânicas com outro nome, outro sexo, outra manha, mas não voltará ser a “minha Artê” (havia rolado um sentimento)… desligou sua televisão Telefunken, onde assistira o mestre do Kung Fubânico Fu de Garanhuns (êita terra pra ter gente famosa!), – tv esta que fora herança recebida de seu velho e saudoso pai Nelson Pança-, toma um refrigerante Mirinda, entra no novíssimo Karmann-Ghia vermelho granada e vai entregar curriculum nas lojas Sears, Arapuã, G.Aronson, Mappin e Mesbla. Passa pelas ruas Direita, São João, 15 de novembro e Líbero Badaró, ou seja, “faz o Triângulo”… Consegue agendar duas entrevistas para segunda-feira. Sentia-se preparado, pois, como armas, Sancho posee la mentira, que maneja con destreza desde su más tierna infancia, la ambición y, sobre todo, la kriptoniana belleza (não riam).

En “¿Hay alguien ahí?” (Chai Editora), Peter Orner – an american writer – se propone transformar la biblioteca en un antídoto contra la soledad de Sancho. E esses estranhos “tempos” trouxeram a todos nós “tempo” para dedicação à mecânica quântica extraterrestre e à leitura, duas paixões sanchiânicas (e você, amado leitor das coisas sanchianas, se uma lâmpada aladínica fornecesse a você, como desejo, a possibilidade de passar férias em uma ilha paradisíaca e deserta e você tivesse apenas dois livros para levar com você, quais que seriam? Sancho levaria, e aposto que você, sabichão e advinho leitor, acertou: “El Ingenioso Hidalgo Don Quixote de La Mancha, no original, do Miguel de Cervantes Saavedra” e O Romance da Besta Fubana, de um tal Luiz Berto Filho (como os li já há algum tempo, será bom mergulhar novamente em tão saborosas obras da literatura mundial)… A noite chegando e o atrapalhado Sancho terminara de ler o livro El Amor de Mi Vida – Rosa Montero Gayo, p. 14 – Ed. Alfaguara, Madrid, 2011, da qual destaco o trecho: «La gran tragedia de los seres humanos es haber venido al mundo llenos de ansias de vivir y estar condenados a una existencia efímera. Las vidas son siempre mucho más pequeñas que nuestros sueños; incluso la vida del hombre o la mujer más grandes es infinitamente más estrecha que sus deseos. (…) Necesitamos vivirnos a lo ancho en otras existencias, para compensar la finitud. Y no hay vida virtual más poderosa ni más hipnotizante que la que nos ofrece la literatura.» Relembro Artemísia e uma dúvida me sacode: Será que a santista Sonia Regina também é fake? Rezo a São Fidel, padroeiro dos sem revolución, QUE NÃO.

Como escreve bem a belíssima escritora madrileña, a señora Rosa Montero Gayo… Inspirado pelo livro e alegre pela perspectiva de emprego, sai Sancho em busca “del amor de su vida”… Tudo preto no branco e vice-versa… “Beethoven bei uns”… 2020 é o ano de Beethoven (250 anos de nascimento). Mas (musical mas), o beetoviano Sancho não pensava (Die Gedanken Sind Frei – abraço grande, Rômulo Simões Angélica) em Luis de Betovêm, filho de Maria Magdalena Keverich (as magdalenas, arrependidas ou não, vivem aparecendo na vida de Sancho), pensava na bela negra, la más importante cantante popular del siglo XX (¿Ella Fitzgerald, Nina Simone, Sarah Vaughan y Aretha Franklin serían las otras integrantes del club?). Dijo Sinatra: “Lady Day es sin el menor lugar a dudas la influencia más importante del canto popular en Estados Unidos de los últimos treinta años”.

Todas negras, todas espetaculares. Tem gente que deveria ser proibida de morrer, escreve, ao pensar nas divas, o “branquelo azedo” Sancho, comumente chamado de branquelo”, “lumbriga”, “barata descascada”, “palmito”, “branco leite”. Sancho deixa os elogios endereçados a sua pessoa de lado e entra no boteco (“buteco”) ou botequim lotado, já de olho na belíssima morena, que lançava a nosso anti-herói olhares de “daqui a pouco vou te fazer gemer”. Parecia uma ótima noite, pois não!? Mas (maledetto mas), nem tudo é perfeito, pois tem sempre alguém querendo ser o dono da notícia, não é mesmo? A TV, a pedido de Sancho, estava sintonizada em um canal de música clássica, que nessa noite parecia dedicar sua programação ao velho Sancho, pois transmitia a Filarmônica de Berlim executando Beethoven (Beethoven Marathon – Berliner Philharmonikere). Mas (há sempre um), ouviu-se alto e em bom som, palavras que feriram os sensíveis tímpanos de Sancho, o pedido que estragou a noite do amigo do fubânico “trio Los Tavares” (besos fraternos para Beni, Arthur e Cícero). Ei-lo: “Ei, garçonete, muda de canal que eu quero ver o Jornal Covidal”, ecoando dolorosamento em meus ouvidos covidal, dal, dal, al, al… (A arte de ser louco é jamais cometer a loucura de ser um sujeito normal, conforme ensinou Raulzito).

Sancho gelou. Tudo, menos isso… Era hora de partir. “No te vayas Sancho, no te vayas de aquíiiii”. Não aguentaria ouvir, depois de longa temporada longe de tal emissora, as vozes de WilliGrommer e Bengata Vaicusbelous. Pagou a conta e pediu à garçonete, de nome Magdalena, que entregasse à morena ali do canto, aquela que está fumando, também Magdalena, um bilhete. Ganhou o bafo gelado da “noite zero-grálica” na cara e perdeu-se na escuridão, mas (irado mas), antes de deixar o som ambiente para trás, ouviu o brado raivoso da morena, que o chamou de, imaginem os senhores, “filho da puta”. Como os canhotos sempre o tratam dessa forma, sentiu-se elogiado e sorriu. Todo o furdunço gerado porque no bilhete, ao invés do telefone, Sancho escrevera “cigarro, cilindro de papel cheio de fumo com uma brasa em uma ponta e um imbecil na outra”. Sorri sacana e lembra-se de Audrey Repburn.”Ella decía: “Para mí la libertad tiene un olor especial: el olor de la gasolina y de los cigarrillos ingleses. Cuando corrí a dar la bienvenida a los soldados, respiré el olor de su gasolina como si fuera un perfume muy caro, y les pedí un cigarrillo, aunque me hiciera toser. ” (Audrey en casa de Luca Dotti – Planeta, 2015).

Al princípio fue el verbo”, decía el Evangelio de San Juan. La puerta se abre y, como si se tratara de un viaje en el tiempo, aparecemos en Washington. Hoje é dia de San Juan e estamos no ano de 1947, o piloto norte-americano Kenneth Arnold voava próximo ao Monte Rainier (Washington). Arregalou os olhos quando viu não um, mas nove objetos voadores não identificados deslocando-se em alta velocidade pelo ar. Típica conversa de pescador fubânico? Saiba você que mister Arnold nunca pegou em uma vara… de pescar. Um desses objetos, um disco voador, fora pedido por Sancho, pelo serviço de aplicativo, para deslocar-se rapidamente até a sede do JBF, pois aproveitara a música de Beethoven para escrever sua coluna de sexta e queria entregar, em mãos, ao chefe (fraterno abraço, grande plutoniano Berto), pois estava com saudade da Chupicleide, por quem nutria amor platônico, havia comprado de presente para Xolinha um vestidinho canino e, ainda, um pote gigante de vaselina para Polodoro usar do jeito que bem entendesse, desde que não olhasse para Sancho com segundas ou terceiras intenções. No rápido percurso, Sancho assoviou música da centenária Lady Day (Southern trees bears a strange fruit / Blood on the leaves and blood on the root/ Black bodies swinging in the soutehrn breezes/ Strange fruit hanging from the poplar trees – que voz, senhores, que voz). Aos 18 anos, a fenomenal Eleanora Fagan Gough (a dama maior do jazz), já se apresentava com orquestras históricas (big bands) como as de Benny Goodman, Count Basie, Maynard Ferguson, Dizzy Gillespie, e Duke Ellington, mas (“felomenal” mas – abração José Wilker Almeida), isso é outra história…

Notas Sanchianas – Cancelados, adiados ou adaptados para o online: as atrações que costumam movimentar a cena cultural. No mundo do livro, um dos efeitos da escalada coronavírica foi o adiamento ou suspensão de eventos literários em 2020. Eventos viraram bolhas de sabão, sumindo no ar: primeiro a Feira de Bolonha (La Bologna Children’s Book Fair o Fiera del Libro per Ragazzi), depois o Salão do Livro de Paris (Livre Paris -appelé Salon du livre de Paris avant 2016), até a Feira do Livro de Londres (London Book Fair), talvez a mais importante do primeiro semestre. Desde a confirmação do primeiro caso da covid-19 organizadores de feiras e festas literárias viram sumir na paisagem seus projetos para 2020. Como fica o segundo semestre? VEJAMOS:

FLIP adiada – A Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) foi adiada para novembro, sem data definida.

Frankfurt Book Fair 2020 will be staged between the 14th to 18th of October at Messe Frankfurt.

Festival Literário de Araxá – 28 de outubro a 1 de novembro.

Festival Literário Internacional de Poços de Caldas (Flipoços) e a Feira do Livro vão acontecer entre os dias 7 e 15 de novembro.

Feira do Livro de Porto Alegre – a edição número 66 será apenas digital este ano. Ela irá de 30 de outubro a 15 de novembro.

Feria Internacional del Libro de Guadalajara (FIL): Es considerada la mayor reunión del mundo editorial de habla hispana y la feria literaria más importante del mundo junto con la de Fráncfort (Alemania) y el Hay Festival of Literature & Arts. La Feria Internacional del Libro tendrá lugar en 9 días de sábado, 28. noviembre a domingo, 06. diciembre 2020 en Guadalajara.

Feira do Livro da Unesp – Os organizadores da III Feira do Livro da Unesp informaram que o evento adiado está condicionado ao controle da pandemia.

Festival Literário de Macau – A Rota das Letras — 9ª edição do Festival Literário de Macau, na China 2020 – Rota das Letras explica que, para já, não existe uma data pensada para a realização do festival. “Iremos acompanhar de perto o desenvolvimento da epidemia e trabalhar de forma próxima com o Governo e com os nossos patrocinadores, a fim de definir uma data. Mais de 200 editoras confirmaram presença no evento, que oferece ao público livros com no mínimo 50% de desconto sobre o preço de capa. A Organização da Feira irá acompanhar as orientações oficiais e, tão logo seja possível, nova data será agendada e divulgada.

Atenção Maratonistas – El Movistar Medio Maratón de Madrid 2020, previsto para el 29 de marzo pasado y aplazado al 4 de octubre por la pandemia de COVID-19, ha sido cancelado definitivamente como carrera presencial aunque se llevará a cabo una de carácter virtual, anunciaron los organizadores.

El Balón de Oro no se otorgará en 2020 – Dijo el Grupo L’Équipe (revista France Football), organizador del Balón de Oro desde 1956: “Le Ballon d’Or, trophée individuel le plus prestigieux au monde, créé en 1956 par le magazine France Football, n’aura pas de lauréat cette année en raison de la crise sanitaire”.

Feira Literária Zoeira da Besta Fubana – Os organizadores da I Feira Literária Zoeira da Besta Fubana (FELIZBESTA), prevista para acontecer no período de 1º a 5 de novembro de 2020, informaram, através da assessora de imprensa, a Srta Chupicleide que, em função do aconselhamento de autoridades de saúde pública, referente à pandemia do novo coronavírus, se obrigaram os organizadores adiar o evento, que será realizado em 2021, em data a ser definida. Quando houver alguma definição informaremos nesta gazeta fubânica. enquanto isso os fubânicos, de todos os planetas, podem adquirir os livros de Luiz Berto Filho pela internet, com tranquilidade e segurança, pois é só entrar na página da Editora Bagaço, onde está publicada toda a sua imortal e preciosa obra (O Romance da Besta Fubana, A Serenata, A Prisão de São Benedito, A Guerrilha de Palmares e Memorial do Mundo).

A 22ª Edição da Correntes d’Escritas (Póvoa de Varzim, Portugal)se realizará de 23 a 27 de fevereiro de 2021.

A Câmara Brasileira do Livro e a Reed Exhibitions, responsáveis pela realização e organização da 26ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, comunicam o adiamento do evento para 2022 diante da pandemia de COVID-19 e dos seus impactos.

PS1: Apesar das datas divulgadas, nossos leitores devem ficar atentos aos órgãos divulgadores dos eventos, pois a pandemia pode, a qualquer momento, alterar datas e até cancelar eventos.

PS2: Sancho deixa aqui, um beijo grande para a extraordinária cubana Yoani María Sánchez Cordero, de quem é muito fã (editar o JBF no Brasil do sanguinário e cloroquínico ditador Jair é apenas trabalhoso; phodda é fazer algo semelhante na “democrática” Cuba) e outro, de igual tamanho, para o fubânico gigantesco, o excelente jornalista Alexandre Garcia, que fará estréia na CNN Brasil, segunda-feira (27), o “CNN – Liberdade de Expressão”.

PS3: Sancho beija as mãos da señora Lindalva (bela no nome e nas palavras), de Feira de Santana, que, fubânicamente desmascarou o facínora Bolsonaro, nosso PIOR presidente, escrevendo: “Coisa horrorosa!!! Esse Bolsonaro é mesmo o fim da picada, viu! Tá fazendo de tudo para acabar com as tradições nordestinas: A FOME, A SECA, E A MISÉRIA. Horrível, horrível, horrível. Reajam, nordestinos!!!”

PS4: Raízes lusitanas e azuis…O vascaíno Sancho, filho de Nelson (apaixonado por Amália Rodrigues – 1º deste mês de julho de 2020 foi o centenário da considerada POR TODOS a maior intérprete do Fado – No dia 21 de junho de 1951 Amália eternizou sua assinatura no Livro de Honra do Futebol Clube do Porto) e também vascaíno, mas (portuga mas), adepto fanático do Futebol Clube do Porto, parabeniza a equipa do Dragão, que sagrou-se quarta-feira, dia 16 de julho, campeão nacional, após vencer os verdes do Sporting Clube de Portugal por duas bolas a uma, num jogo disputado no Estádio do Dragão.

PS5: ¿hay alguien ahí? Y si lo hay, ¿quién es? Sim, sapientíssimo leitor. Nos importa (falo pela maioria dos colunistas), e muito, saber sua opinião, ler seus comentários, saber se você amou como nós, o filho recém-nato que ofertamos a seus olhos, a seu escrutínio e até à crítica (dolorosa ferramenta que usas contra nós), pois entendemos que você é a razão maior de fazermos as palavras “treparem” doidamente em suruba ininterrupta para parirmos nossa obra, que chega a você através do maior e melhor veículo de comunicação (parido por Berto) que existe neste planetinha chamado Terra. Sem você não há JBF. Este jogo de palavras escritas entre colunistas/leitores/comentaristas é, narcisisticamente falando, o espelho onde contemplamos nossa real face e substitui, em parte, os antigos saraus literários.

55 pensou em “OFICINA MECÂNICA CLANDESTINA ESPECIALIZADA EM DISCO VOADOR, DO PLUTONIANO BERTO

  1. TEXTO PARA A ETERNIDADE: “Foi só um presidente dizer ‘Deus acima de todos’ que o inferno inteiro se levantou contra ele. E é cada satanás mais feio e assustador que o outro. Vamos em frente. Deus acima de todos!” Maria Aparecida Neves, uma garota das Gerais

    • Ladies sing the Blues – the women who made up the essence of the blues: Bessie Smith, Dinah Washington, Billie Holiday, Nina Simone, Aretha Franklin, Denise Perrier, Kim Nalley and Tiffany Austin, ladies from three different generations who have made a substantial contribution to the legacy of jazz-blues.

      • Señora, que belíssimo nome
        Agradeço as gentis palavras…

        Nosso tradutor, o Maurino, nos colocará a par do que nos escreve no idioma de Shakespeare, caríssima.

        Beijo

        • As mulheres cantam o Blues – as mulheres que compunham a essência do blues: Bessie Smith, Dinah Washington, Billie Holiday, Nina Simone, Aretha Franklin, Denise Perrier, Denise Perrier, Kim Nalley e Tiffany Austin, mulheres de três gerações diferentes que fizeram uma substancial contribuição para o legado do jazz-blues.

      • Eu sou fanático por jazz e blues!!! Tenho várias e imensas coleções de discos de jazz e blues!!! Vinis, por acaso e sempre faço audiências de jazz e blues, degustando um Glenfiddich Solera Vat!!! Muito bacana!!!

        • Sancho, agradecido, por belíssima tradução, deixa abraço gigantesto e beijo fraterno ao meu cardeal Maurino, coisa muito nossa. Enquanto alguns “medíocres”, de microfone na mão, acumulam fortunas incalculáveis, ela, a diva maior, morreu pobre, com apenas 70 centavos de dólares em sua conta bancária; enquanto alguns “jornalecos”dão a seus donos riqueza e poder, o JBF, a maior gazeta mundial, junta moedas para continuar “na nuvem internética” Êita mundo injusto!!!!

        • Carlos, essas negras fantásticas são show de bola. A maioria delas vieram do gospel da igrejas americanas…Bessie Smith, Dinah Washington, Billie Holiday, Nina Simone, Aretha Franklin, Denise Perrier, Kim Nalley and Tiffany Austin. E fungindo do jazz, eis que Sancho recorda outros “monstros” da música, uma tal Whitney Houston.
          If I should stay, I would only be in your way
          So I’ll go, but I know
          I’ll think of you every step of the way
          And I will always love you
          I will always love you
          You, my darling you, hm
          Bittersweet memories
          That is all I’m taking with me
          So, goodbye
          Please, don’t cry
          We both know I’m not what you, you need
          And I will always love you
          I will always love you, you
          I hope life treats you kind
          And I hope you have all you’ve dreamed of
          And I wish to you joy and happiness
          But above all this, I wish you…

  2. Não entendo de jazz, mas gosto do tal beethoven. Quem é essa Artemísia? e deixo um abraço para a mineira de Uberada do “Deus acima de todos”. Valeu, Sancho

    • Señor Brazuquino,
      Bem vindo ao JBF. Em nome do dono dou-lhe as boas vindas. Sente-se, ponha-se à vontade e visite todas as colunas (muito melhores que a de Sancho), pois a excelência fubânica é serventia da casa. Ah, e não se esqueça de comentar a obra dos outros colunistas.
      Abraço forte e volte sempre. Reclamações? Escreva para a gerência.
      Tenha um ótimo final de semana..

  3. A Caixa Econômica Federal anunciou que pessoas que optaram pelo saque-aniversário do FGTS poderão antecipar até três parcelas dos valores anuais – ou seja, correspondentes a três anos de retiradas. A contratação será 100% digital, podendo ser feita pela internet por meio do site da Caixa, do FGTS, ou ainda pelo aplicativo do FGTS. A adesão já está liberada, segundo a Caixa, mas os recursos só estarão disponíveis a partir de segunda-feira.

  4. GOSTO DELE – O ex-ministro da Saúde, Luís Mandetta (DEM) anunciou que será candidato a presidente da República no pleito de 2022. Antenado fubânico, você o presentearia com seu importantíssimo e valorosíssimo voto?

  5. ISSO MATA – Uma pesquisa realizada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro mostrou que os casos de depressão aumentaram em 50% durante a quarentena por conta do vírus chinês, e a ansiedade e o estresse, em 80%.

    • Meu irmãozinho Jorge, que acredita na existência do covid, mas nao dá muita bola prá ele, quando alguem lhe interpela por não se proteger adequadamente, já que morreram tantos, ele responde: “é gente que gosta de morrer. Eu não gosto”.

      • Sancho é daqueles que não gostam de morrer… Mas(benedicto mas), as filhotas marcam cerrado, como zagueiro de antigamente.
        Abraço forte, amigo Beni. Vida longa aos Tavares

  6. TÁ FEIA A COISA – Quatro de cada dez domicílios recebem auxílio emergencial do governo Bolsonaro, diz Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística… vivemos em um páis paupérrimo, pois os números não mentem jamais…

  7. Não vivemos num país paupérrimo. Vivemos num país de inúmeras riquezas naturais. As Minas são Gerais; o Mato, mesmo no sul, não é só Grosso, há dois grandes Rio, um no norte outro no sul, afluentes do Amazonas. Na Bahia chegaram todos os santos, incluindo Santa Catarina que mostrou com um Sergipe numa terra Acre. Em cada deles as riquezas naturais. Temos 95% do nióbio do mundo e até agora não temos ideias do que fazer com ele. Vamos exportar porque outros países usaram e a gente importa o produto acabado. Vendemos laranjas aos americanos e compramos suco de laranja enlatado.
    Entonces, caro Sancho, o que é paupérrimo, aqui, é o comportamento de gestores, de governantes, e dessa gente que vende voto.

    • Entonces, caro Assuero, FIQUE CLARO que paupérrimo é o comportamento de gestores, de governantes, e dessa gente que vende voto (nós, os brasileiros), fazendo a colocação de Sancho precisar do acréscimo de que vivemos em um país que possui um povo paupérrimo (quatro de cada dez domicílios recebem auxílio emergencial), pois os números não mentem jamais.
      Forte abraço

    • Concordo, mas ,bah,chê, perguntaram a um coitado morador de rua se ele não ficava contente com um Brasil de tantas riquezas naturais. Ele respondeu “prefiro uma marmkta com feijão, arroz e macarrâo, todos os dias. Esse tal de nióbio se come?”

      Caminha já escreveu em 1500, “em se plantando tudo dá”, mas acho que plantamos junto com milho e soja, uma multidão de ladrões e patifes de toros os tamanhos e partidos.

      Diógenes de Sínope, fundador da Escola Cínica, veio para o Brasil com sua lanterna e está procurando políticos não corruptos e empresários não corruptores. Em vão.

      Ah Bezerra da Silva “Se gritar pega ladrão, não fica um meu irmão”

      • Concordo plenamente, caríssimo Francisco.
        Principlamente no Nordeste (se ´gua houver), com seu solo de massapé (é um tipo de solo de cor bem escura, quase preta, encontrado na região litorânea do nordeste brasileiro). O massapé é um solo muito fértil e, portanto, excelente para a prática da agricultura,Caminha, um escriba muito mais esporte que Sancho, já escreveu em 1500, “em se plantando tudo dá”, mas acho que plantamos junto com milho e soja, uma multidão de ladrões e patifes de toros os tamanhos e partidos.

        • Sancho, quando eu era niño, só existia melão espanhol, importado e eu, niño pobrecito, não podia comer por falta de la plata. De repente (anos 80) irrigaram as margens do São Chico e, surpresa, temos DUAS safras de melão por ano, mais mangas, uvas e tudo mais que o solo generoso produz desde que tenha a água da vida.

          • O solo nordestino sempre foi fantástico. Sou prova viva disso, pois minhas andanças de caminhoneiro pelo Nordeste brasileiro testemunharam grandes plantações onde a chuva trazia a seiva da vida.

  8. Recorro à Bárbara: BOM OU NÃO!? Revista Veja diz que Jair Messias Bolsonaro derrotaria qualquer candidato em 2022. Os números são do Paraná Pesquisas.Nas simulações de segundo turno, Bolsonaro teria 46,6% contra 32% de Haddad. Contra Lula, teria 45,6% a 36,4%. Numa disputa hipotética com Moro, venceria por 44,7% a 35%.

    • Será que o Altamir vai gostar dos números?
      Viu aí Goiano? Nosso Lula está bem na fita, o que prova que o povo não caiu na esparrela de que ele é ladrão. o povo sabe que ele é inocente e que vai provar. Tanto é inocente que está solto. Um recado aos antis: Chora na caminha que é lugar quente…

      Beijão lulístico em todos…

    • Num dos cenários de primeiro turno Bolsonaro tem 29%, seguido por Moro (17%), Haddad (13%), Ciro (10%), Huck (6%), Doria (4%), Amôedo (3%), Boulos e Witzel (1%). Sancho e os demais fubânciso que não serão candidatos estão tecnicamente empatado com Witzel e Boulos (dentro da margem de erro) e muito próximo de Huck, Dória e Amoedo. Não tá fácil pra ninguém.
      Isso indica que a candidatura do Adônis possui grande chance de chegar ao segundo turno, pois a massa fubânica, com as exceções de Goiano e Altamir, votaria nele.
      Firme e forte navega Adônis rumo a 2022 (Não tá morto quem peleia).

  9. E não esqueçam de votar na ENQUETE do Berto:QUAL DESTES PRESIDENTES DE PODERES DA REPÚBLICA MERECE NOTA ZERO? A lista está no início do JBF, à direita de quem está sentado diante do teclado.

    Bolsonaro possui, até agora 5 votos (possivelmente dos fubânicos Goiano, JoseHinacio, Altamir, SoniaRegina e Famigerado)…

    Como diria o Malta, não o nosso general, mas o Sinhozinho, TÔ CERTO ou tô errado?

  10. Ouco a vizinha escandalosa gritando para o marido, que estava se atualizando na interner sobre a política brasileira nesta sexta-feira:
    – O Chuchu também era “pastel, pudim, escravo e bolero”?

    Sancho não entendeu nada e olha para a mata e assiste uma criança brincando com um belíssimo tucano… Que bela ave… É uma beleza a fauna e a flora, não é mesmo!?

    • Caro Sancho Pança, o virtuose dos sete instrumentos,. Puxa vida, quase não acho espaço para dar minha modesta opinião. Cara, bastar ler os 52 abalizados comentários para atestar que você o máximo. Chegou pra ficar, enobrecendo o JBF. Meus aplausos..

  11. Loucura fantástica, Sancho.

    Só o nobre colunista para costurar essa salada de frutas tropicais tão belas que vem acompanhada de comentários idem!

    • Que Raulzito nos proteja e Cícero não nos desfraseie jamais é uma das máximas de Sancho. Sempre um przer imenso “trocar ideia’ com pessoa tão especial como você, grandíssimo amigo.
      Reservo sempre um beijo para vosso coração. Até sempre.

      • E o Maurino está impossível, postando cada musicão que a coluna de Sancho vai acabar virado salão de baile nesta sexta-feira. Culpa do Francisco, que veio falar das gigantes do jazz. “Deu corda, Sancho estica.”

    • Aí caprichou que foi uma beleza, Cardeal… Assim ocê mata o véio Sancho. Beijão em vosso coração!!!

      Essa cara “comeu” quase todas as famosas de sua época… E como cantava nosso blue eyes… Tenho uma tia, que ao ficar viúva, foi para a América com a finalidade de convencer Sinatra a passar uma note com ela. Gastou uma grana considerável e ficou só na vontade. Hoje conta história lá pelas bandas de Desengano, Valença-RJ. (Beijão, Tia – omito o nome porque Desengano é um ovinho perdido e não ficaria bem para ela perder a reputação de ilibada viuvinha).

    • Puta, que timaço!!!!! Parece reunião de fubânicos. Esses caras, se brasileiros fossem, estariam no JBF (é que Berto não aceita gringos na redação).

    • A segunda melhor coisa do JBF é o humor; a primeira, são seus comentaristas.
      Ehoje, como diria minha saudosa vovozinha, o Maurino “está com a macaca”.

      Aproveitemos então e arrastem as cadeiras, aumentem o tamanho do espaço, subam o volume e radiola que o DJ Maurino está na pista,no bailão do Sancho desta sexta-feira fubânica de música da melhor qualidade. Aproveitem que, por ordem de Berto, a entrada é gratuita..

      Maurino disse que quem quiser pedir música é só entrar nos comentários, que tem para todos os gostos.

  12. Enígma do Sancho – Daqui a pouco, para recordar um passado que já vai distante, um certo Luiz, tocador de tamborim da escola de samba Acadêmicos da Asa Norte, uma filial da G.R.E.S Estação Primeira de Mangueira também entra na roda… Ou não!? Será que ele dará o ar da graça? Alguém sabe a quem me refiro?

  13. E o João resolveu sacanear mais um pouco o Sancho – O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta sexta uma nova quarentena de duas semanas para todas os municípios do estado. De acordo com o novo decreto, será estabelecido o isolamento entre os dias 27 de julho e 10 de agosto.
    Sancho está cheio de planos de fuga, mas (maledetto mas), nenhum deles entusiasmou nem meus cães… Creio que terei que renovar os estoque de cerveja e pedir alguns livros pelo correio:
    Sancho e los libros – una lista de libros seleccionados. Vale muitíssimo “ganhar tempo” lendo:

    Tema – Amor: Orgullo y prejuicio, de Jane Austen;

    Tema – Compasión: La impaciencia del corazón, de Stefan Zweig;

    Tema: Realismo magico: O Romance da Besta Fubana, de Luiz Berto Filho;

    Tema – Confusión: El guardian entre el centeno, de J.D Salinger;

    Tema – Curiosidad: El principito, de Antoine de Saint Exúpery;

    Tema – Desasosiego: El libro del desasosiego, de Fernando Pessoa;

    Tema – Covid e sua quarentena: El amor en los tiempos del cólera, de Gabriel García Márquez;

    Tema – Sentido de la vida: La muerte, de Ivan Illych de León Tolstoi;

    Tema – Familia: Mi planta de naranja lima, de José Mauro de Vasconcelos.

    Alguma outra dica?

    • Tente fugir não, Sancho! Aproveite para ler Преступление и наказание de Fiódor Mikhailovitch Dostoiévski.

  14. Sancho, quando anteriormente comentei que você é O colunista “maluco beleza”, desta gazeta encapetada, eu não estava muito longe da verdade. Admita?

    Como bem dizia nosso ídolo Raulzito, “O sonho do careta é a realidade do maluco”.(e vice-versa)

    Se a singular e magnífica matalotagem dos seus contos é de fazer qualquer um perder o fôlego e o tino, rapaz! (e vice-versa), e, se pra ler seus textos já é bom ouvindo música clássica, imagine um com bom jazz?
    Tem pra todo (bom) gosto.

    Toca, Raulzito!
    Toca, Mozart e Chopin!
    Toca, Aretha Franklin!

    Toca, Sancho…!!!

    • Recoro a Raulzito: “Quero a certeza dos loucos que brilham. Pois se o louco persistir na sua loucura, acabará sábio.”

      A busca do tolo, até na loucura, Sancho é exatamente essa: acabar sábio.Mas (irremediável mas), meu psiquiatra a isso desaconselha, pois diz que sábio, deixarei de ser Sancho. E perda de identidade é phodda, não é mesmo!?

      Enfim e por fim, señor Cavalcanti es un placer encontrarte, leerte y aspirar cada una de tus letras a Sancho dirigidas.
      Beijo fratero em vosso coração..

  15. Queridíssima,
    É só ler com o olhar dirigido ao coração que a tradução vem facinha, facinha. E gente se sua estirpe manda bem até em javanês.
    Beijo carinhoso e até sempre…

Deixe uma resposta