ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

Batizado de Fernando Bulhões, Santo Antônio era um frade franciscano, nascido em 1195, em Portugal, mas viveu a maior parte de sua vida em Pádua, na Itália. Apesar de não ter em seus sermões nada específico sobre casamento, Santo Antônio ficou conhecido como o santo casamenteiro por conta da ajuda que dava a moças humildes a fim de conseguirem um dote e um enxoval para o casamento. Ele é uma figura histórica que superou várias adversidades para encontrar sua vocação. Dedicou a vida na busca incessante pela paz e pelo amor entre os seres humanos, inspirando assim milhões de devotos em todo o planeta.

No Brasil, Santo Antônio, o milagreiro, protetor dos pobres e das causas perdidas é geralmente invocado para auxiliar moças com a finalidade de encontrar maridos. É necessário um ritual a fim de agilizar o pedido que consiste em colocar sua imagem de cabeça para baixo ou tirar do seu braço o menino Jesus. Quando o pedido é atendido, o santo volta à posição normal, ou recebe de volta a imagem do menino que lhe foi tirada.

Luís da Câmara Cascudo, um dos mais respeitados pesquisadores do folclore e da etnografia no Brasil, no seu Dicionário do Folclore Brasileiro, ajuda às mulheres que desejem chegar mais rápido ao matrimônio com a descrição da reza do dia 13 de junho, dia de Santo Antônio:

“Meu Santo Antônio querido
Eu vos peço, por quem sois:
Dai-me o primeiro marido,
Que o outro eu arranjo depois.”

Deixe uma resposta