GUILHERME FIUZA

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, disse que é um “iluminista”. Ele estava querendo dizer que é a favor da ciência e da razão – e, mais especificamente, da vacina. A questão em avaliação no STF é se a vacinação contra Covid-19 deve ser compulsória para toda a população – mediante obrigatoriedade ou restrições aos não vacinados. O que a ciência e a razão dizem sobre a necessidade de vacinar a todos contra Covid?

Nada. Nem a ciência, nem a razão, nem a medicina, nem a epidemiologia, nem a infectologia, nem a estatística, nem a técnica, nem a OMS, nem o Imperial College, nem o bom senso, nem literatura alguma contém uma única linha demonstrando a necessidade de se vacinar toda a população contra o coronavírus. Nem a taxa de letalidade – que abaixo dos 70 anos é em média inferior à da gripe sazonal – nem a abrangência dos grupos de risco indicam essa necessidade.

Então quem indica? O Dória. Mas não é só o Dória. O Aécio também. A ciência universal estava esperando ansiosamente a reaparição de Aécio Neves, egresso dos porões da política brasileira, com seu projeto de cassação da cidadania de quem não se vacinar contra Covid – através de restrições brutais para a vida em sociedade. A ciência sabe que de cassação Aécio entende, porque vem driblando há anos a sua própria.

O Iluminismo de Luís Roberto Barroso é, portanto, uma equação derivada de terceiro grau com delta de Aécio Neves, integral de João Dória e produto de laboratório chinês ávido por vender vacina. Como diria Thomas Hobbes, coisa de louco.

Mas o bom observador já notou que há coerência nisso tudo. Enquanto Dória e Aécio querem empurrar vacina que ainda não existe, Barroso fala pelos cotovelos de matéria que ainda vai ser julgada. Viu? O timing está perfeito. Aliás, a ciência adora juiz assim. Todo mundo sabe que a base do Iluminismo é manter os telejornais bem abastecidos de fofoca, porque é dali que vem a luz. Duvida? Então apaga tudo na sala e deixa só a TV ligada. Você vai entender na hora o Iluminismo do Barroso.

Thomas Hobbes foi um dos maiores youtubers do século XVII e, devido à sua notória curiosidade, talvez perguntasse delicadamente: Barroso, querido, você não acha um pouco arriscado deliberar sobre vacina que não teve sua eficácia e sua segurança comprovadas? Hobbes era um inglês muito educado, mas do jeitinho dele não deixava questões esdrúxulas no ar. Talvez até fizesse um vídeo com o Rap da Vacina Insana. Iluminismo é legal por isso, você pode cair de boca no obscurantismo que nunca falta luz.

A nação brasileira está tranquila e absolutamente segura com a notícia de que existe ciência sob a toga. É um momento de muitas incertezas, mas quando você olha para cima e vê Barroso, Dória e Aécio cuidando da sua saúde, você imediatamente se enche de confiança no futuro. O triângulo da seringa não há de deixar faltar picada para ninguém.

Mas se os brasileiros pararem de achar graça nesse tipo de ciência e o tempo fechar na terra do sol, os iluministas de toga vão ter que se explicar à luz de velas.

Deixe uma resposta