VIOLANTE PIMENTEL - CENAS DO CAMINHO

O Futebol, esporte de origem popular, antigamente reunia em seus times jogadores muito pobres e sem estudo. Isso contribuía para a ocorrência de situações constrangedoras e, ao mesmo tempo, hilárias, durante alguma entrevista.

No Rio Grande do Norte, ao término de uma partida importante de Futebol, os times costumavam dar um prêmio ao melhor jogador em campo, escolhido por uma comissão especial de desportistas. Era uma forma de estimular cada vez mais, o desempenho dos jogadores.

Na década de 1960, o melhor jogador de uma partida de futebol, em Natal, era premiado com um rádio da marca MotoRádio, uma das melhores da época.

A MotoRádio foi uma empresa paulista, fundada em 1942, pelo imigrante japonês Hiroshi Urushima, em São Paulo.

Certa vez, o Palmeiras de São Paulo veio jogar em Natal, contra o ABC Futebol Clube. Após o término da partida, com um empate de 1X1, o jogador Niltão, do time do ABC, foi escolhido o melhor jogador em campo e recebeu como prêmio, doado pela loja “A Sertaneja”, um MotoRádio.

Entrevistado por um comentarista esportivo da Rádio Cabugi, ao responder se estava feliz com o prêmio recebido, Niltão falou:

– O prêmio, pra mim, foi G.G.

O comentarista esportivo retrucou:

– Não entendi. G. G.???

– Sim. JOINHA, JOINHA!!! E se eu fui escolhido o melhor jogador em campo, foi por merecimento de verdade. Também, corri feito um doido e me esforcei muito pra empatar o jogo. Mereci ganhar o prêmio e estou muito satisfeito.

Como não sei dirigir, vou vender a moto. Mas, o rádio, eu vou dar à minha Mãe. A “véia” adora escutar novela de rádio na casa da vizinha e quero dar a ela esse luxo. Ela agora vai escutar novela no rádio dela.

Deixe uma resposta