LAUDEIR ÂNGELO - A CACETADA DO DIA

De longe avistei um índio
Que vinha em sua canoa
Mas não estava sozinho
E não navegava à toa
Não vinha da pescaria
Mas o semblante dizia
Que a companhia era boa

Clique aqui para ver a postagem de Dalinha

17 pensou em “O PASSEIO DE DALINHA

  1. Laudeir não deixa nem um colunista sem participar de suas publicações ! Kkkkk os bastidores do JBF está em polvorosa!

      • *
        Não só subi na piroga,
        mas peguei no jacumã.
        O dia estava bonito,
        Aproveitei a manhã.
        E do jeito que almejei,
        Bem feliz escancarei,
        Meu sorriso de cunhã.

    • *
      Não só subi na piroga,
      mas peguei no jacumã.
      O dia estava bonito,
      Aproveitei a manhã.
      E do jeito que almejei,
      Bem feliz escancarei,
      Meu sorriso de cunhã.

    • *
      E se ele não tinha pressa
      A pressa eu também não tinha.
      Pra curtir a natureza,
      A minha calma eu mantinha.
      Era ele o timoneiro,
      Nesse dia alvissareiro,
      Do passeio de Dalinha

  2. Acho que essa piroga vai fazer muito banzeiro.
    🎼🎵Hamm… hamm… ham…
    Revira os olhos
    No momento mais gostoso
    E o balanço do caboco
    Vai ficando remançoso
    É o momento do banzeiro
    No prazer se derramar.🎵🎶🎼
    (Banzeiro – Raízes Caboclas)

    • *
      No balanço da canoa
      Só chacoalho com meu bem
      Não é canoa furada
      Eu conheço muito bem
      Quando chacoalho com ele
      Os anjos dizem amém.

  3. No Balanço da Canoa
    Que é no balanço da canoa que to peneirando
    É no balanço da canoa que eu vou peneirar
    É no balanço da canoa que to peneirando
    É no balanço da canoa que eu vou peneirar

    Que eu quero ver quem vem, eu quero ver chegar
    Quero ver quem brinca no meu arraiá
    Que eu quero ver quem vem, eu quero ver chegar
    Quem vai levantar poeira no meu arraiá

    Maria vai atravessar o rio
    Pega na mão de Zé, pra não escorregar
    Maria vai atravessar o rio
    Pega na mão de Zé, pra não escorregar
    ……
    Rosângela Macedo e Marcelo Yuka
    Maga Bo

  4. *
    Poeta vou lhe dizer
    A cena ficou bonita.
    Estava numa filmagem,
    E para minha desdita,
    Uma cobra apareceu
    Mas o índio intercedeu
    E salvou-me da maldita.
    *
    Parabéns, Laudeir, setilha bem estruturada,
    Com um ritmo gostoso. A montagem da foto ficou muito bonita.
    Me senti homenageada pelo poeta.
    Meu abraço e obrigada.

    • Na verdade, eu é que fui agraciado, no dia em que o Papa Berto me puxou pra essa Comunidade de artistas e eu continuo aqui, enganando todo mundo. Nunca vi tanto talento e simpatia juntos. E eu no meio, bronco como um lenhador, catando umas flores pra fazer jus à oportunidade.
      Obrigado gente boa.
      Obrigado, Dalinha!

  5. Os comentários vão surgindo
    E a colunista vai esgrimindo todos eles
    Em palavras e versos que escorrendo
    Fazem movimentar por hora a bela piroga

    Kkkkkk tentei

  6. Esse pessoal é doido. No bom sentido.
    Eles pensam tudo rimando
    Uma métrica perfeita que sai naturalmente e transformam o discurso em poesia, causo, resenha, música, cordel.
    Já que é pra viver, que seja com arte e prazer. Tá certo.
    E para os iniciantes. Tentar é importante.

  7. Pingback: JBF: TALENTO E SIMPATIA | JORNAL DA BESTA FUBANA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *