GUILHERME FIUZA

Alemães protestam contra medidas restritivas impostas para conter a Covid-19.

Alemães protestam contra medidas restritivas impostas para conter a Covid-19

A Alemanha anunciou lockdown para não-vacinados. Claro que iríamos chegar a isso. Estava na cara desde o início. O lockdown é um slogan tosco alçado a política de segurança sanitária – sem jamais precisar demonstrar eficácia científica, porque a coletividade estava madura para o sadomasoquismo do controle pelo controle. Sem abrir mão da violência gratuita contra inocentes, claro, senão não teria graça. A graça é poder patrulhar o próximo com soberba de virtuoso.

E era evidente, portanto, que a irmã gêmea do lockdown seria a vacinação experimental – igualmente dispensada da aferição de eficácia. Ou melhor, com a licença poética para propaganda de eficácia voadora, prometendo uma panaceia para a saída da pandemia que jamais aconteceu. Ao contrário: os primeiros seis meses de vacinação coincidiram com o agravamento da pandemia em todo o planeta – levando o ano de 2021 a ter mais óbitos por Covid do que o ano de 2020 (sem vacina).

Claro que vocês vão tentar negar a realidade, dizer que não foi bem assim, que a vacina é sempre inocente, etc. Já conhecemos os seus dogmas de fundo de quintal. “Estudos mostram” que vocês são a seita da seringa. “Especialistas garantem” que vocês agem incondicionalmente para lustrar as botas do lobby custe o que custar. Parabéns pela bravura. Fiquem à vontade.

Mas o fato é que em nenhum lugar do mundo se demonstrou que uma região mais vacinada teve melhor enfrentamento da pandemia do que uma região menos vacinada. Israel já passava de 80% de habitantes totalmente vacinados e enfrentava a pior recaída de casos de covid – inclusive com aumento explosivo de internações hospitalares, contrariando a tese “categórica” de que as vacinas ao menos garantiriam manifestações mais brandas da doença. Quem tem manifestação branda da doença não vai para o hospital.

Mas esse consórcio asqueroso que reúne a maioria da imprensa, plataformas de rede social, subcelebridades, boa parte da classe médica, autoridades de saúde, autoridades regulatórias, juízes e governantes não quis saber de nada disso. Estão todos excitadíssimos com o arrastão do lobby – e a sua montanha de doces agrados. Deu-se a lavagem cerebral mais fajuta da história – com a imposição de premissas toscas que neste exato momento “checadores” pagos ou voluntários devem estar fazendo seu serviço sujo de tentar carimbar neste texto.

Eu disse que são toscas, as premissas, mas fui suave: são ridículas. Neste momento um desses vassalos do lobby deve estar todo eriçado para gemer que as vacinas não são experimentais e que isso aqui é fake news. As vacinas SÃO EXPERIMENTAIS, porque mesmo conseguindo registro definitivo (leia acima quem integra o lobby asqueroso) ainda não cumpriram seu desenvolvimento completo (procure a data prevista para a conclusão dos estudos de cada fabricante, se quiser) – que evidentemente é impossível de se cumprir num espaço de pouco mais de um ano. Jamais aconteceu na história – e jamais acontecerá, porque o lobby pode muito, mas não pode acelerar o relógio do tempo. E em pouco tempo efeitos adversos graves já estão espalhados por aí – não numa pesquisa controlada, mas num experimento criminoso nas veias da população.

Não adianta gemer, checador trouxa. Não adianta ameaçar. Essa tragédia de inconsequência e desumanidade vai estourar na sua cara. E não é porque eu queira. É porque eu já vi que está acontecendo. Eu estou acompanhando diversos casos, como acompanhei o do jovem Bruno Graf, morto pela vacina de covid. Jamais afirmei que a causa foi a vacina antes da comprovação técnica. Mas o que teria acontecido com um jovem totalmente saudável, sem nenhum histórico de complicação clínica, para ter um mal-estar atroz após tomar a vacina e evoluir em poucos dias para um AVC hemorrágico?

Enquanto tentávamos PERGUNTAR o que teria se passado, vocês, os covardes de aluguel e covardes voluntários, saiam gritando desesperados contra qualquer pedido de investigação da causa da morte de Bruno. Não foi a vacina! Negacionistas! Terraplanistas! Etc. Até assediar uma mãe em luto vocês fizeram. Vocês são uma vergonha humana.

Só que essa mãe é forte. E num momento que a imensa maioria dos seres humanos sucumbe, capitula, se entrega, ela foi à luta. Encomendou o exame indicado para aferir a causalidade da vacina, a partir da detecção de uma síndrome trombótica associável à substância inoculada segundo os próprios estudos de desenvolvimento do “imunizante”. O exame deu positivo. Arlene Ferrari Graf foi então buscar o reconhecimento oficial de que a vacina de covid matou seu filho. E é claro que nesse percurso ainda foi hostilizada, ameaçada, ultrajada por vocês, os pimpolhos da mamãe farma.

Ninguém reconheceu espontaneamente a causa da morte de Bruno. Mas Arlene não parou. E fez uma petição à Secretaria de Saúde de Santa Catarina com uma série de questionamentos sobre os efeitos adversos da vacina. Foi em resposta a essa petição que a Superintendência de Vigilância em Saúde do Estado de Santa Catarina reconheceu que a morte de Bruno Graf foi causada pela vacina. Vocês, que tentaram intimidar os que PERGUNTAVAM sobre essa hipótese – ou seja, que agiam para IMPEDIR A INFORMAÇÃO à população sobre os graves riscos das vacinas EXPERIMENTAIS de Covid – deveriam estar presos.

Mas é claro que vocês ainda estão confiantes, numa conjuntura em que a Alemanha esquece o seu passado tenebroso e institui a segregação populacional como forma de controle totalitário. Sem um pingo de ciência, como sempre. Contando apenas com gente como vocês, o rebanho covarde que está gostando do jogo de perseguir, patrulhar e brincar de supremacia higienista. Vocês são tão cínicos que fingem não ver ultra vacinados adoecendo e morrendo. Vocês não querem saúde, nem imunidade. Vocês querem coleira.

E para isso são capazes de afirmar que as vacinas de Covid são seguras. Que casos como o de Bruno Graf são “isolados” – claro, porque da mesma maneira que vocês guerrearam para escondê-lo, há uma multidão de outros submersos pela hedionda propaganda vacinal. Na Alemanha dos anos 1930 também era assim. A ética emanava da propaganda.

Vamos ver se o mundo dessa vez vai cair de fato no pesadelo que os democratas conseguiram evitar, à custa de muito sangue, na Segunda Guerra Mundial. Se não cair, vocês, os ratos, vão pagar.

16 pensou em “O OVO DA SERPENTE ESTÁ DE VOLTA

  1. Brilhante.
    Difícil é acordar quem “finge” estar dormindo. Infelizmente vamos ter que aguardar de 6 meses a três anos para as consequências (muitas delas acontecendo agora a olhos vistos). E virão. Vão tentar “disfarçar” as mortes ou sequelas com outras variantes.
    Como diz o velho ditado:
    O pior cego é aquele que não quer ver”.

  2. Putz!. É difícil dormir com um barulho destes.
    Se alguém morrer morrer assassinado , atropelado ou por qualquer infortúnio em até 3 anos a partir de agora , já temos um culpado.
    O pior cego é realmente o que não enxerga , e imagina chifre em cabeça de cavalo.
    Num planeta com mais ou menos sete bilhões de pessoas , pode-se dizer que bilhões já foram vacinados , e são todos idiotas .
    Espero que o velho deitado esteja errado quanto a cegueira dos outros .
    Não quero por cegueira , no próximo ano digitar errado o numero do Bolsonaro . Para desespero destes petistas enrustidos.
    Feiura deve ter feito exame de toque e está revoltado. O dr foi muito rápido.
    Se besta sô!.
    Eu digo que ainda é cedo , cedo, cedo …………, mas vou tentar dormir , apesar do barulho.

    • Joaquim,

      Basta a ter acesso a incontáveis matérias de cientistas, médicos, virologistas, do próprio criador do sistema utilizado na “injeção”, estudar muito sobre a proteína spike, sobre dois sistemas imunológicos, sobre células (e as paredes das células), ter contato direto com entidades na Europa que provam documentalmente o que dizem, assistir vídeos de pessoas que foram mortas logo após declararem o que sabem. Resumindo, estudar, estudar, estudar, pesquisar, pesquisar, pesquisar.
      Entre os principais sintomas JÁ detectados estão a miocardite e as tromboses. Sugiro que você, por precaução, faça o exame Dimero D.
      Atropelamento é atropelamento.
      Se você leu a coluna deve ter entendido que existem exames que podem provar se uma trombose, um derrame, uma embolia pulmonar, uma miocardite, etc, foram ou não provocados pela “injeção”.
      Cegueira não é, por enquanto, uma sequela então não se preocupe com seu voto.
      Bolsonaro não tomou a vacina e não vai tomar e tem todo direito de assim decidir.
      Não deixe de dormir. Apenas aguarde e confie. A verdade sempre aparece.
      E é óbvio que cavalos não têm chifres.
      Nenhum dos bilhões que já foram vacinados são idiotas. Foram enganados, ou melhor, não foram informados como deveriam para poder optar com segurança. Infelizmente.
      O que você acha do Fiuza não importa. Basta ver onde ele está. Te garanto que ele tem muito mais informações do que nós. Não só ele. Milhares e milhares de pessoas que estão promovendo mega manisfestações em toda Europa contra a obrigatoriedade da vacina. Procure saber o que a Austrália está fazendo com seus cidadãos. A Alemanha também.
      Repito, aguarde e confie. Simples assim.

      • Só queria entender onde no texto do Fiuza ele trata de política brasileira , para alguém misturar os assuntos .
        Se ele quiser procurar leria sobre o aumento de casos fatais de mal súbito , leria também sobre o nº de jovens , que por estranha coincidência , morreram após vacinação .
        Ele como não vê em nenhuma mídia brasileira e internacional , e pelo visto o Fiuza também viu , não acredita que existe uma ditadura na Austrália , onde desempregados por não se vacinarem , depositaram seus uniformes na escadaria do parlamento .
        Fiuza fala da Alemanha , só que isso já acontece na Áustria , na Austrália , no Canadá , e culpam os não vacinados pelo aumento de casos e mortes .
        No Brasil , o consórcio funerário já não noticia com o mesmo destaque o número de mortes , porque isso comprovaria a ineficiência daquilo que a velha imprensa chama de ” imunizante “.

      • Passei o dia cuidando de um paciente muito querido, pois o Quixote Véi di Guerra, que não se vacinou, ficou “dodoi” e estava no mecânico após Sancho ser socorrido por um ressacado Zé da Zana lá pelas bandas de Campos do Jordão. Chego em casa e ao JBF e dou de cara com texto contundente por demais do Fiúza.

        Por não possuir qualquer qualificação na área médica e depois da confusão causada pela politização da vacinação, confesso que estou mais perdido do que avelã em boca banguela, macumbeira sem encruzilhada ou cupim em serralheria.

        Fui à vacinação bem atrasado, pois aos 58 só lá compareci quando os de 20 estavam sendo vacinados. E só fui por ter sido ameaçado de ser arrastado ao local por minha irmã, a comunista Marya Yelena e minha sogra bolsonarista. Se tivesse dependido de mim lá não teria comparecido.

        Vida que segue…

        • Já estava te procurando pra saber sobre o Quixote Véi di Guerra. Bom que deu tudo certo.
          Quanto a “injeção” realmente não existe um consenso. Existem mais evidências dos malefícios do que de benefícios. Também não sou especialista no assunto mas (ei-lo) como meu filho mora na Dinamarca e por aquelas bandas as informações circulam mais do que aqui estou acompanhando de perto as publicações. Muitos relatos, muitos vídeos, documentos e por aí vai. Aqui pouco divulgam as mega manisfestações na Europa tanto contra a obrigatoriedade da “picada” quanto a cobrança de investigações sobre mortes inexplicáveis (e súbitas) que vêm ocorrendo. O aumento de óbitos entre atletas é assustador.
          Não podemos é segregar. Quem quiser toma a “injeção” (porque vacina nunca foi). Quem não quiser não pode ser obrigado e/ou discriminado. O que estão tentando (e conseguindo) incutir na cabeça das pessoas é que os não vacinados são responsáveis por novas variantes, por contaminar os vacinados (minha filha tomou a picadinha e contraiu covid de forma grave. Não foi para o hospital e foi tratada com os “preventivos” que foram tão condenados.) E por aí vai …
          Isso dá pano pra muitas mangas …

          Curiosidade: nessa de pitacos estou incluída ?

          Depois do dia de hoje você merece um bom descanso.

          Sempre, até sempre, com vacina ou não.

          • Como sugestão deixo , pra quem tem Telegram , os grupos Médicos pela Vida , Canal Alessandro Loiola ,Canal da Dra. Roberta Lacerda . Pra saber um pouco do que aconteceu na Austrália o canal Police Exposed – Australia
            Ou o site rumble.com .

      • Sempre muito sensata, como sempre, a Schirley. Como gosto de “palpitar”sobre qualquer assunto, confesso que sobre vacinação não arrisco ir muito longe, pois tenho médico na família e em meu círculo de amizade e conversando com eles, vejo que não há consenso no que me explicam, pois quase nada se sabe do dia depois de amanhã dos que tomaram a tal picadinha…

  3. Até pouco tempo atrás, “Alemanha” e “segregação” na mesma frase causaria calafrios. Agora produz aplausos e gritos entusiasmados de “tem que segregar mesmo !”.

    O povo quer desesperadamente ser gado. Quer entregar sua vida nas mãos das “autoridades” e dos “especialistas”. Quer eximir-se da responsabilidade de viver a própria vida e tomar as próprias decisões. E quer, na verdade exige, que os outros façam o mesmo.

    • Marcelo,
      Bravo !!! Bravíssimo !!!
      Acabei de “tentar” esclarecer o Joaquim Francisco. Já me arrependi.
      Você conseguiu explicar com poucas palavras o que vem acontecendo.
      Abraçação (como diz Sancho)

    • Hoje consigo compreender como o nazismo floresceu e cresceu .Aquilo que até ontem era considerado uma barbárie , hoje virou modo de vida .

  4. Não vou debater com vocês cientistas. Ciência meu filho , ciência!, ( resumindo : estudar estudar, estudar , pesquisar , pesquisar, pesquisar ) ,parecem com isto.
    Nós idiotas tomamos as vacinas . Problema nosso !
    Vocês idiotas não tomaram . Problemas seus !
    O que temos em comum ( além do jornal é claro ) ?, somos todos idiotas. E cada idiota segue sua consciência . Uns contra , outros a favor.
    Isto está parecendo um disco riscado com vários depoimentos . Tem dois lado A e B , e um buraco no centro.
    Mas reafirmo , tomei 3 doses da vacina , tomei Ivermectina .
    Albendazol , Bisacodil e Simeticona ,foi por garantia . *
    A pouco recebi um zap de uma pessoa que alerta para o que vai acontecer no Brasil . No áudio ,um alto funcionário do Governo Chinês explica a situação . É aterrador !. Ainda bem que a imprensa alarmista e a imprensa funerária estão cuidando do caso , e com a ajuda da nossa pesquisadora que tenta esclarecer o que ouviu falar. Assim como nós seguimos o que ouvimos falar.
    Certeza ? quem tem ?.

  5. Vejam a que ponto chegamos: Paciente moribundo de COVID-19 se recupera após ordens judiciais do hospital para administrar ivermectina
    Um paciente idoso com COVID-19 se recuperou depois que uma ordem judicial permitiu que ele fosse tratado com ivermectina, apesar das objeções do hospital em que estava hospedado, de acordo com o advogado da família.
    Depois que um hospital de Illinois insistiu em administrar remdesivir caro ao paciente e o tratamento falhou, sua vida foi salva depois que um tribunal ordenou que um médico externo pudesse usar a ivermectina barata para tratá-lo, apesar das extenuantes objeções do hospital.
    Os comprimidos de ivermectina foram aprovados pela Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos para tratar humanos com estrongiloidíase intestinal e oncocercose, duas doenças causadas por vermes parasitas. Algumas formas tópicas de ivermectina foram aprovadas para tratar parasitas externos, como piolhos e doenças da pele, como rosácea. O medicamento também é aprovado para uso em animais.
    A droga “definitivamente” salvou a vida do paciente idoso “porque sua condição mudou logo depois que ele tomou ivermectina”, disse a advogada da família, Kirstin M. Erickson, da Mauck and Baker, com sede em Chicago, ao Epoch Times.

    Sun Ng, 71, que estava visitando os Estados Unidos vindo de Hong Kong para comemorar o primeiro aniversário de sua neta, ficou doente com COVID-19 e em poucos dias estava perto da morte. Ele foi hospitalizado em 14 de outubro no Hospital Edward, em Naperville, Illinois, divisão do sistema de saúde Edward-Elmhurst. Seu estado piorou dramaticamente e ele foi intubado e colocado em um respirador alguns dias depois.

    A única filha de Ng, Man Kwan Ng, que possui doutorado em engenharia mecânica, fez sua própria pesquisa e decidiu que seu pai deveria tomar ivermectina, que alguns médicos acreditam ser eficaz contra COVID-19, apesar da orientação em contrário do FDA.

    Mas contra a vontade da filha, o hospital recusou-se a administrar a ivermectina e negou o acesso a um médico disposto a administrá-la.

    A filha foi ao tribunal em nome de seu pai e, em 1º de novembro, o juiz Paul M. Fullerton do Circuit Court of DuPage County concedeu uma ordem de restrição temporária exigindo que o hospital permitisse que a ivermectina fosse administrada ao paciente. O hospital se recusou a cumprir a ordem judicial.

    https://www.theepochtimes.com/dying-covid-19-patient-recovers-after-court-orders-hospital-to-administer-ivermectin_4130754.html

Deixe uma resposta